Terça-Feira, 21 de Julho de 2020 - 10:14 (Polícia)

10
Não recomendado para menores de 10 anos

Bailarina do Faustão é presa após realizar festa clandestina em Balneário Camboriú

Na festa que terminou com a bailarina presa, a Polícia Militar contou 20 pessoas, entre modelos, jogadores de futebol e uma médica.


Imprimir página

Uma bailarina do Domingão do Faustão foi presa na madrugada desta segunda-feira (20), após realizar uma festa em um apartamento de luxo na praia de Balneário Camboriú, Litoral Norte de Santa Catarina. De acordo com o boletim de ocorrência, Natacha H., de 28 anos, acabou sendo detida por resistir à fiscalização dos guardas municipais, depois que vizinhos denunciaram o som alto da reunião clandestina.

"Ela foi conduzida pela Guarda Municipal e por funcionários da Prefeitura de Balneário Camboriú, por desacato e resistência. Ela não se identificou como tal [bailarina], mas sabíamos que era ela. Qualificação, características... Não é difícil de reconhecê-la", explicou a G1, o delegado que atendeu a ocorrência, Eduardo Dallo.

Desde março, festas e eventos estão proibidos no estado como medida de contenção do novo coronavírus. Até o momento, Santa Catarina registra 53.336 casos confirmados e 685 mortes causadas pela Covid-19, encontrando-se em estado de aceleração de contágio da doença. Balneário Camboriú é considerada uma das cidades em situação gravíssima na transmissão do vírus, contabilizando 3,1 mil casos e 30 mortes.

Na festa que terminou com a bailarina presa, a Polícia Militar contou 20 pessoas, entre modelos, jogadores de futebol e uma médica que seria de João Pessoa (PB), segundo a prefeitura municipal. Ainda de acordo com a PM foram encontrados no local, além de bebidas álcoolicas, entorpecentes ilegais.

Segundo as autoridades, a o imóvel foi alugado conjuntamente pelos participantes da festa, que deverão ser multados em R$ 5 mil, assim como o dono do apartamento. O decreto municipal prevê multa de R$ 5 mil para o organizador do evento, e outros R$ 5 mil para o proprietário do imóvel.

Natacha, que chegou a ser algemada para ser levada até a delegacia,  onde usou seu direito de "permanecer calada". Ela foi liberada após assinar um termo circunstanciado. A lista com nome de todos os presentes na festa também deve ser encaminhada ainda nesta semana ao Ministério Público de Santa Catarina.

Fonte: Diario de Pernambuco

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias