Terça-Feira, 14 de Julho de 2020 - 09:39 (Colaboradores)

L
LIVRE

Secretário da saúde está na UTI, mas se recuperando. Na linha de frente, foi outra vítima do vírus

O que se ouve nos bastidores é que o pior já passou para Fernando Máximo e que em breve ele estará novamente pronto para a batalha contra o corona, que o colocou na UTI.


Imprimir página

Um inacreditável evento, de repercussão incrível pelo ineditismo e pelo que transmite em termos de concordância com os crimes praticados contra o Brasil, na última década e meia, ocorreu neste último sábado, nas páginas do jornal O Globo, o veículo da mídia impressa da mais poderosa rede da mídia nacional. Obviamente falando em nome da família que comanda toda a estrutura e do jornal em que já foi diretor, o colunista Ascânio Seleme (ele foi diretor do Decom, no governo de Jerônimo Santana, em Rondônia) pisou na sua biografia, arrastando-a para perto do lixo, ao publicar uma espécie de editorial, com o título "É hora de perdoar o PT!" Desesperado com a perda de fortunas do dinheiro público, que se derramavam em seus cofres e que, ao menos parte desse dinheiro, um dia fará parte de profunda investigação, aquele que ainda é o mais poderoso grupo de rádio, TV, jornal e presença nas redes socais do país, rasteja aos pés do petismo, pedindo que todos os erros sejam perdoados e, mais que isso, chamando de "golpe" o impeachment da ex presidente Dilma Rousseff. "Golpe", aliás, que a Globo apoiou, com uma ampla cobertura jornalística, sem que jamais tivesse dito algo em defesa do então governo. No lamentável artigo, que certamente entrará para a História da imprensa brasileira, como um dos seus mais vergonhosos momentos, o colunista afirma que "o PT já punido com o impeachment de Dilma e a prisão de seus principais líderes", como se isso, por si só, absolvesse o partido dos crimes praticados, incluindo-se aí a formação de quadrilha, tendo à frente seu maior líder, o ex presidente Lula. O artigo argumenta, ainda, que "é preciso reconhecer que 30 por cento dos eleitores brasileiros são de esquerda e que o PT é a principal força política deste segmento". Praticamente disse que todos os brasileiros de esquerda seriam desonestos, a ponto de votarem em lideranças que assacaram contra o país, alguns dos maiores crimes da nossa História, partindo de governantes.

A ainda poderosa rede deixa claro, que prefere conviver com a ladroagem e a volta do assalto aos cofres públicos, do que com um governo onde não há corrupção – ao menos até agora - e onde ela está fora dos milhões, senão bilhões de reais que jorravam dos cofres da União para os seus. Depois de demitir uma centena e meia de artistas, alguns dos quais do primeiro time da dramaturgia e das artes do país; depois de perder a propriedade exclusiva sobre a transmissão dos jogos de futebol; depois de ver secar a fonte bilionária, a Rede Globo agora deixou outra vez claro: seus veículos não têm compromisso com a verdade e a democracia, mas apenas com seus interesses. Por isso, compreende-se o desespero para derrubar o governo Bolsonaro e transformá-lo também em bandido. A Globo tem ainda muitos parceiros para essa tentativa (no Congresso e no STF, inclusive!), mas não combinou nada com a população. Ela decidirá, no final, se quer salvar uma grande empresa ou se quer salvar o Brasil das mãos dela...

É HOJE! COMÉRCIO ABRE SUAS PORTAS

Vai depender muito do comportamento da população, o sucesso ou não da nova fase de abertura do comércio da Capital. Com a doença ainda atingindo grande número de portovelhenses (até a noite da segunda, eram 15.801 contaminados e 435 mortos, apenas em Porto Velho, ter todos os cuidados ao andar pelas ruas; ao ingressar nas lojas e fazer todos os esforços para impedir aglomerações, podem ajudar a que mantenhamos nossa economia funcionando, ao mesmo tempo em que continuamos a luta, duríssima, contra o coronavírus. A grande maioria das lojas reabre nesta terça, cada uma delas com um rígido protocolo de atendimento.

Pelo menos é isso que se espera. Já o Porto Velho Shopping retorna amanhã, ainda lentamente, mas, da mesma forma, com uma superestrutura de cuidados e de proteção aos seus clientes. Depois de mais 14 dias com um decreto mais duro em relação ao isolamento (embora, infelizmente, os números da doença não tenham caído e as únicas punições foram mesmo para o comércio e a estrutura da economia em geral), tentamos, novamente, voltar a uma quase normalidade. Conseguiremos, sem que os casos do corona explodam? Tomara que sim!

CASAL ROCHA: QUARENTENA POR CAUSA DO VÍRUS

O governador Marcos Rocha e a primeira dama, dona Luana, também estão em quarentena. Ela testou positivo para o coronavírus e ele, cumprindo os protocolos recomendados pelas autoridades sanitárias, também anunciou que ficará 14 dias despachando de casa. Em postagem nas redes sociais, Rocha afirmou que sua esposa e secretária de ação social está bem e que não tinha tido, até agora, sintomas mais duros da doença. O casal, mesmo tomando todos os cuidados, acabou atingido pela perigosa doença, embora o último teste feito pelo Governador tenha dado negativo. Ele fez novo exame e o resultado deve sair nesta terça. 

Em relação ao secretário de saúde Fernando Máximo, depois de um final de semana difícil, ele começou a ter melhoras já ao anoitecer do domingo.

A medicação fez efeito e seus pulmões, que estavam afetados pela Covid, começaram a melhorar. O que se ouve nos bastidores é que o pior já passou para Fernando Máximo e que em breve ele estará novamente pronto para a batalha contra o corona, que o colocou na UTI. Já sobre o deputado Jean Oliveira, há poucas informações, mas o que se sabe é que seu estado é estável. Ele está internado em São Paulo e Fernando Máximo no Hospital 9 de Julho, em Porto Velho.

MAIS 19 MORTES, AGORA SÃO 647 VIDAS PERDIDAS

Pouco antes da volta à normalidade ou algo perto da normalidade, os números do coronavírus ainda estão altos em Rondônia e em Porto Velho, apesar de ter ocorrido uma pequena queda na média, tanto em número de contaminados como de mortes, nos últimos dias. No domingo, por exemplo, tínhamos, no Estado, 26.728 contaminados. Já nesta segunda à noite, esse número subiu para 27.050, ou seja, 322 novos atingidos pela doença. O número de mortes cresceu bastante. Eram 628 no domingo e, um dia depois, mais 19 casos foram registrados, dez delas em Porto Velho. Agora, são 647 vidas perdidas para a Covid. Eram 15.755 recuperados n o domingo. Foram mais 109 curados, totalizando, na noite desta segunda, 15.864.  Ainda existem 450 internados, embora os números oficiais não indiquem quantos desses estão em leitos comuns e quantos nas UTIs. No total, a segunda-feira marcou 96.835 testes realizados e ainda 1.343 suspeitos, aguardando resultados. Nesta terça, começam a abrir algumas portas no comércio, mas a maioria deve mesmo voltar às atividades nesta quarta.

SUCESSÃO: HAVERÁ CONSENSO NO MDB?

O Desembargador aposentado Walter Waltenberg pensa numa situação ideal que, dentro do MDB, parece um sonho irrealizável: ele aceita ser o nome do partido, desde que haja consenso em torno do seu nome e não aconteça disputa interna. Para quem conhece a história do partido, isso seria um quase milagre, caso ocorresse. Na última convenção, em que foram lançados dois candidatos ao Senado (Valdir Raupp e Confúcio Moura), houve até troca de tapas; discursos virulentos, enfim, um grande racha, até que as coisas se acomodaram. Waltenberg foi convidado pelo partido para ser seu candidato, mas a verdade é que há pelo menos dois outros nomes, ambos apoiados pelo ex governador Confúcio Moura, hoje o nome mais peso pesado do partido: Williames Pimentel e Jorge Braga. O Magistrado, agora aposentado e nome fortíssimo na corrida pela disputa na Capital, avisa que, caso haja disputa, ele sai da corrida e passa a ser apenas o que se chama, tradicionalmente, de "soldado do partido". Por enquanto, a direção emedebista, agora sob o comando de Lúcio Mosquini, o presidente regional, ainda não se pronunciou a respeito. Aguardemos, pois!

EX COMANDANTE DA PM DISPUTA PREFEITURA

Tem mais candidato à Prefeitura de Porto Velho na área. E esse é, na política, realmente um nome novíssimo. O ex governador Daniel Pereira, presidente regional do Solidariedade, confirmou essa semana, oficialmente, a pré candidatura do coronel Mauro Flores como o nome do partido na corrida pela cadeira de Hildon Chaves. Daniel disse que o indicado é nome dos mais respeitados não só na Capital, mas também em todo o Estado, pelo que o ex governador considerou como "excelente trabalho" que Mauro realizou na Polícia Militar, inclusive durante o período em que comandou a tropa, tanto no governo Confúcio Moura, quanto no dele e em pelo menos um ano e meio da administração Marcos Rocha. O próprio Daniel, que era o nome mais cotado para disputar a eleição pelo Solidariedade, já anunciou há semanas que esse não é seu projeto, continuará à frente do Sebrae regional, possivelmente até 2022, quando, aí sim, deve buscar uma nova candidatura. Mauro Flores, convidado, aceitou a missão. Por enquanto, há pelo menos uma dúzia de pré candidatos na Capital. Mas vem mais gente por aí.

 

CAJUÍ É O NOME DO PT PARA PORTO VELHO

O Partido dos Trabalhadores já tem seu nome para a disputa da Prefeitura de Porto Velho. O professor da Unir, Ramon Cajuí, presidente municipal do PT foi o escolhido como pré candidato, pertence ao grupo liderado pela ex-senadora Fátima Cleide. Com sua indicação, uma das principais metas é "reorganizar a sigla em Porto Velho e inserir de volta o PT no protagonismo da política regional". Formado em História e em Direito pela Universidade Federal de Rondônia e com pós-graduação em Direito e Processo Eleitoral, Cajuí foi servidor da Justiça Eleitoral de 1996 a 2016 e atualmente trabalha na Justiça do Trabalho, na 6ª Vara do Trabalho de Porto Velho. Havendo disputado eleição apenas uma vez, o atual presidente do partido dos trabalhadores em Porto Velho, deverá entrar na sua segunda disputa, agora concorrendo à Prefeitura da Capital. Candidato a deputado federal, Cajui somou quase oito mil votos. Ele terá o apoio total do presidente regional, o deputado estadual Lazinho da Fetagro.

FORÇAS ARMADAS EM GUERRA CONTRA GILMAR MENDES

O envolvimento dos ministros do Supremo Tribunal Federal em questões políticas, o que transforma declarações de ministros em posições partidárias, cria cada vez mais problemas para o país. O último, de enorme gravidade, foi um ataque gratuito do ministro Gilmar Mendes às Forças Armadas. Ele criticou o fato de o Ministério da Saúde estar acéfalo, o que, aliás, ele nada tem a ver com o assunto, a menos que opine quando julgar algum caso dentro deste contexto, dizendo que o Exército "se associou a um genocídio", em referência à atuação de militares na Ministério da Saúde. Uma declaração absurda, desnecessária, ofensiva, que pode causar um grave problema institucional, ao ponto de ser divulgada uma nota conjunta, de repúdio ao ministro, assinada pelo Ministério da Defesa e pelos comandantes das três forças do país. Os ministros Fernando Azevedo, da Defesa e os comandantes das três Forças, Edson Pujol (Exército), Ilques Barbosa (Marinha) e Antônio Carlos Moretti (Aeronáutica), na nota pesada, avisaram também que o ministro Gilmar Mendes seja processado. Pedido nesse sentido, aliás, já foi encaminhado à Procuradoria Geral da União. Alguém deveria dizer aos prezados ministros do Supremo, que eles se atenham a cumprir sua enorme missão e largar a política de lado. 

AS CORONAFEST CONTINUAM NO ESTADO

Enquanto a pandemia continua forte, a irresponsabilidade continua também crescente. As Coronafest continuam ocorrendo, tanto em Porto Velho, campeã de casos e mortes, quanto em várias outras cidades, onde a incidência da doença é igualmente significativa. Neste final de semana, tudo se repetiu. Em Ji-Paraná, onde já foram registradas mais de 12 mortes, a PM teve que acabar com uma festa com mais de 90 pessoas, praticamente todas sem qualquer cuidado ou proteção. Em Guajará, onde se registram cerca de 30 mortes pela doença, a PM tem sido constante chamada para atender denúncias de festas ilegais. Moradores da cidade, reclamam que suas denúncias têm sido ignoradas pela polícia. Em Ariquemes, onde até o domingo já havia perto de 30 mortes, festas e banhos ainda lotados, num total desrespeito às normas sanitárias. Desse jeito, não haverá mesmo diminuição nos números assustadores da doença.

PERGUNTINHA

Você acha que, dessa vez, a volta à quase normalidade no funcionamento do comércio e da economia em geral vai funcionar mesmo ou teremos que voltar atrás, outra vez, pelo crescimento do número de afetados pela Covid-19?

Fonte: Sergio Pires

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias