Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020 - 17:42 (Colaboradores)

L
LIVRE

Do fundo do Baú: Clube do Ferroviário

Com a abertura da Avenida Norte Sul, hoje Avenida Rogério Weber, foi necessário a demolição desse antigo casarão.


Imprimir página

Essa data não foi um simples acaso, já que em 10 de julho de 1931, há exatos 89 anos, o governo brasileiro assume a direção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, quando na ocasião foi nomeado como diretor, o Tenente Aluízio Pinheiro Ferreira. Ele foi o primeiro brasileiro a dirigir a EFMM e foi também o primeiro Governador do Território Federal do Guaporé (1943/1946).

Quando o Ferroviário foi criado, ficou estabelecido que seu presidente seria o diretor da EFMM. Sendo assim, seu primeiro presidente foi Joaquim Araújo Lima, que sucedeu Aluízio Ferreira na direção da EFMM e foi também Governador do Território Federal do Guaporé (1948/1951). No início, sem nenhuma sede, o clube ocupava uma sala em um dos galpões da ferrovia.

Posteriormente, no final da década de 40 passou para uma antigo casarão construído pela EFMM, chamado de Casa 9, situado onde é hoje o Mercado Central. Posteriormente, na decada de 50, transferiu-se para a Praça Marechal Rondon. 

Com a abertura da Avenida Norte Sul, hoje Avenida Rogério Weber, foi necessário a demolição desse antigo casarão. 

Em 1968, na gestão do Cel. Oliveira, que assim como seus antecessores, era diretor da EFMM e presidente do Ferroviário, o clube passa usar como sede, um prédio que foi construído no início dos anos 50, para ser a nova estação da ferrovia, o que nunca aconteceu. 

Desde então, a sua sede está estabelecida na Avenida Sete de Setembro, esquina com a Rua Euclides da Cunha.

Atualmente, o Ferroviário é presidido pelo amigo Horácio Guedes, e o gerente administrativo é o amigo Adalberto Albuquerque, que está no clube há 39 anos.

Ainda sobre o 10 de julho, não é demais registrar que a Estrada de Ferro Madeira Mamoré foi desativada definitivamente no dia 10 de julho de 1972, um dia muito vivo em minha memória.

Parabéns à todos que fizeram parte dessa história e aos que ainda hoje lutam com muitas dificuldades para manter essa história viva.

Saudades dos bailes, do time de futebol, das aulas de natação e da super equipe feminina de voleibol. Bons tempos!

Parabéns Ferroviário.

ANÍSIO GORAYEB

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias