Terça-Feira, 07 de Julho de 2020 - 10:02 (Colaboradores)

L
LIVRE

Entre tantas más notícias, há avanços a se comemorar. Só faltam as autoridades falarem a mesma linguagem

A situação, nesse contexto, melhorou bastante, a tal ponto de que, nessa segunda, havia 86 por cento dos leitos ocupados, quando na semana passada eram quase 95 por cento. Ou seja, mais leitos para atender os casos mais graves.


Imprimir página

Não há outro tema que não o corona vírus e tudo o que ele traz em seu bojo, como praticamente o único tema, em torno do qual gira todo o resto de nossas vidas. No dia a dia, a maior parte das notícias são ruins , algumas péssimas, mas também há avanço, evolução, busca de melhoria no atendimento e de alternativas que possam amenizar o medo dos milhares de contaminados, entre nós e, pior de tudo, das mais de 560 mortes que já tivemos no nosso entorno. O que está faltando, ainda, é que as autoridades consigam sentar à mesa de conversações com espírito desarmado e os egos desinflados e que, antes de tudo, pensem no povo. Infelizmente, não é o que está acontecendo em Rondônia, onde cada grupo defende seus interesses e posições com unhas e dentes, não importando se isso vá ou não amenizar as dores da população. Tudo tem se transformado em discursos eventualmente pesados, troca de críticas, decisões com visão política e, no fim das contas, no meio disso tudo, está o cidadão comum, exposto a uma doença inédita, incompreensível e indomável. Que todos os dias tranca em casa dezenas de doentes e, ainda, leva para o cemitério os corpos de amados familiares, engolidos pela peste do século 21.

O fato de mais de 54 por cento dos contaminados já estarem curados, é das notícias que fazem parte do pacote de eventos positivos, que, embora em menor escala, também precisam ser registrados, durante  essa crise terrível. Não se pode negar também o esforço do Estado e dos demais entes envolvidos nessa guerra, de realizarem exames na população. Quase 86 mil já foram feitos. Outro evento dos mais importantes: em meados de março, havia pouco mais de 60 leitos de UTI para tratar pacientes da Covid. Menos de três meses depois, já são 165 leitos e ainda outros 30 vão ser instalados no antigo Cero. A situação, nesse contexto, melhorou bastante, a tal ponto de que, nessa segunda, havia 86 por cento dos leitos ocupados, quando na semana passada eram quase 95 por cento. Ou seja, mais leitos para atender os casos mais graves. Há melhorias, a tal ponto que o governo prepara um novo decreto, se já não o fez na noite dessa segunda, permitindo que os municípios que tenham menos de 80 por cento dos leitos de UTI ocupados, possam passar a Fase 2, abrindo vários setores da sua economia. Nada é definitivo, nada é concreto, porque a doença continua avançando e seus males são cada vez piores. Mas, mesmo em tempos de tão más notícias, há sim o que se comemorar. Poderia haver muito mais, se nossas autoridades falassem a mesma linguagem. Mas daí já é pedir demais.

MAIS TRÊS MORTES: JÁ SÃO 588 VIDAS QUE PERDEMOS

Os números de segunda-feira mostrando que o contágio do corona continua em expansão, com 441 casos a mais do que o domingo, totalizando nada menos do que 23.920 rondonienses atingidos pela doença. Embora se for uma só morte já é motivo de sofrimento de todos, ao menos em termos de números, houve uma queda acentuada, em relação à média do sábado e do domingo. Na segunda-feira, três pessoas faleceram, acometidas pela doença. Até a noite dessa segunda e desde o início da pandemia, nada menos do que 558 rondonienses já perderam a vida. Ainda há um número muito relevante: nada menos do que 13.035 infectados, já estão livres do vírus e completamente recuperados. Isso representa que, de dois infectados, um já está curado. Como esses percentuais mudam todos os dias, é bom destacar que o cálculo vale apenas para a segunda-feira. O governo já realizou, também, nada menos do que 85.306 testes rápidos e exames.

PELO EXEMPLO, AS FESTANÇAS VÃO CONTINUAR

Num final de semana em que continuaram crescendo os casos de pessoas atingidas pelo corona vírus no Estado, infelizmente se viu muito movimento na ruas, Coronafestas, amontoamentos de gente, desrespeito às regras básicas de proteção à saúde pessoal e dos outros. Dezenas de exemplos negativos poderiam ser citados, tanto em Porto Velho como em várias cidades do interior. O caso mais complexo foi registrado em Ji-Paraná, onde a polícia, quando chegou ao local da farra, foi recebida com agressões e xingamentos. Pelo menos 30 pessoas foram levadas à Delegacia. Infelizmente, esses irresponsáveis não serão punidos como deveriam, pela brandura das nossas leis. Fazendo festas e aglomerações, sem proteção alguma e ainda agredindo a polícia, deveriam ao menos serem incursos em artigos da lei que os indiciassem como formadores de quadrilha e por tentativa de homicídio culposo, contra dezenas de pessoas, que, certamente, poderão ser infectadas por eles e elas. Mas como nada vai acontecer, pelo exemplo, no próximo final de semana será de mais festa e festa. Lamentável.

GARÇON CONCORRE SE HILDON NÃO FOR À REELEIÇÃO

Por questão de amizade e fidelidade, o ex deputado Lindomar Garçon não tem confirmado seu projeto de, eventualmente, concorrer à Prefeitura de Porto Velho. Ele só o faria se o prefeito Hildon Chaves decidisse não disputasse um segundo mandato. O Plano A de Garçon, um ex deputado federal e ex prefeito de Candeias. sempre bom de voto, é estar ao lado de Hildon, caso ele busque a reeleição. Até agora, contudo, a decisão do prefeito é algo que está sendo mantido a sete chaves. Pessoas muito próximas a ele não ouviram, até agora, qualquer confirmação de que ele estará ou não na campanha que começa em poucas semanas. O plano B de Garçon é concorrer, sem Hildon no páreo. Para isso ele já teria apoio do diretório regional e da nacional do seu partido, o Republicanos. Pesquisas não oficiais que têm sido mostradas ao ex deputado federal, o colocam em posição muito boa numa eventual disputa. Alguns amigos mais fieis chegam a afirmar que ele iria para um segundo turno, caso concorresse. O que vai acontecer agora não depende do próprio Garçon, mas sim do seu parceiro que é o atual Prefeito da Capital. Esperemos para ver os próximos capítulos.

JÚNIOR E AS AÇÕES DO GOVERNO NA GUERRA AO CORONA

Pelas redes sociais, o chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves,  divulgou ações,  enumerando alguns avanços do governo estadual, no contexto da luta conta o corona vírus. Escreveu: "hoje já são 165 leitos de UTI e 365 leitos clínicos específicos para o Covid-19 em Rondônia. Os gráficos mostram a projeção crescente do Estado, desde o primeiro caso e traz o resultado do esforço gigante do governador coronel Marcos Rocha e toda a equipe do secretário Fernando Maximo da Sesau. Mesmo com todas as dificuldades, o governo tem cumprido o compromisso com a população, instituindo medidas de prevenção e enfrentamento; criando diversos Drive Thru para testagem rápida e nos colocando entre os três Estados que mais testaram por milhão de habitantes, além da distribuindo kits de medicação e higienização.

Criamos um programa de indenização, no valor de 300 reais mensais complementares, para todos os profissionais que estão na linha de frente durante a pandemia.

DESTAQUE PARA O PROGRAMA AMPARO

O chefe da Casa Civil e um dos assessores mais próximos do Governador, continuou seu resumo sobre a atuação da atual administração estadual,  nessa crise que envolve a Covid 19: "criamos o programa Amparo, que está beneficiando 48 mil famílias, com mais um complemento de renda, além do já fornecido pelo governo federal, além de muitas outras ações". Junior destacou que "tudo isso sempre contando com a ajuda de uma equipe dedicada de governo; com Exército Brasileiro; com o Corpo de Bombeiros; com apoio da Assembleia Legislativa, dos deputados federais, empresários, Grupo Pensar, além do apoio dos Prefeitos, que têm seguido a risca todos os protocolos do Plano de Enfrentamento. Não temos dúvidas que a união de todos e com a ajuda da população venceremos essa batalha!", conclui Júnior, com otimismo.

EXPEDITO NETO E FAMÍLIA LIVRES DO VÍRUS

O deputado federal Expedito Neto não tem só seu lado hard, aquele dos discursos duros (recentemente, aliás, ele atacou duramente o senador Marcos Rogério, por exemplo), mas também o lado soft. Ele postou mensagem nas redes sociais, com foto da família: a esposa Gabi Selhorst e a filha do casal, Cecília. No texto, comemora que ele, esposa e filha estão livres da Covid 19 depois de 14 dias de quarentena e lamentando tantas mortes no Brasil. Veja o texto: "Vencemos a Covid-19! Hoje as lágrimas são de gratidão! Foram 14 dias de muita angústia e muitas incertezas. Medo por não saber como seria o próximo dia, os próximos sintomas... Um vírus que ameaça o mundo inteiro, estava dentro de nossa casa, ameaçando nossa família. Hoje estamos comemorando nossa vitória, nossa cura, graças a Deus. Vencemos juntos! Mas, infelizmente, quase 65 mil pessoas não tiveram o final feliz que tivemos. Envio minha solidariedade a todas as famílias que perderam um ente querido. Se cuidem, pessoal. Vamos juntos passar por essa crise e vencer esse vírus!".

ROMPIMENTO: SENADOR E GOVERNO TROCAM FARPAS

Por falar em Marcos Rogério, o senador do DEM de Ji-Paraná também entrou em rota de colisão com o governo rondoniense. Disse que tentou acertar detalhes da liberação de recursos para a saúde do Estado, mas que jamais recebeu resposta. O governador Marcos Rocha divulgou um vídeo nas redes sociais, dizendo que jamais recebeu uma só ligação do senador e, mais que isso, que está sempre a disposição para tratar de assuntos que se refiram a verbas para nosso Estado. Marcos Rogério retrucou, com um vídeo bastante agressivo, dizendo que mandou mensagem ao secretário da saúde, Fernando Máximo, mas que jamais foi atendido. O tom áspero e as duríssimas críticas do jovem senador rondoniense em relação à administração estadual demonstram um rompimento público. No final, Marcos Rogério disse que enviou todos os recursos para as Prefeituras e o Estado ficou sem nada, porque teria ignorado  seus contatos para definir onde o dinheiro seria aplicado. E tudo isso acontece  em plena pandemia e no momento em que se iniciam as campanhas eleitorais nos municípios. Uma pena!

SEXTETO DISPUTA REITORIA DA UNIR

Um sexteto quer a reitoria da Unir, a partir de novembro próximo, quando encerra o mandato cheio de realizações do professor Ari Ott. A única mulher pretendente ao cargo é Marcele Pereira. Os outros cinco são homens: José Odair Ferrari, Luiz Carlos Albuquerque, Cláudio Amaral Santini, Delson Xavier e Marcelo Vergotti. A eleição será em menos de um mês: dia 6 de agosto, uma quinta-feira, das 9h às 21 horas, apenas pelo sistema on line, sem voto presencial, por causa da pandemia. Podem votar todos os professores e alunos. O voto dos professores, contudo, têm peso de 70 por cento; dos estudantes 15 por cento e dos técnicos, outros 16 por cento. Uma lista tríplice com os três nomes mais votados será encaminhada ao Presidente da República, que tem o poder de decidir quem será o próximo reitor da Unir. Nos bastidores, ouve-se que os nomes da professora Marcele Pereira e do professor Marcelo Vergotti teriam chances maiores, mas tudo vai depender do posicionamento da maioria dos professores. Por enquanto, todos os seis têm chances reais de cumprirem a difícil missão de manter a qualidade do mandato que Ari Otto realizou.

EM PLENA PANDEMIA, CEMETRON NÃO PARA!

Em plena pandemia, continuam a todo vapor as obras de reforma, ampliação e reconstrução do novo Cemetron, o hospital que, atualmente, está centrado no atendimento aos pacientes atingidos pelo corona vírus. O secretário de Saúde, Fernando Máximo, comemorou, no final de semana, o fato de as obras estarem aceleradas, depois de quatro meses de construção. A previsão é de que, em mais oito meses, tudo esteja pronto. O novo Cemetron, um hospital que estava praticamente quase abandonado há pelo menos uma década, terá 9.800 metros quadrados. Está sendo construído com recursos do Estado, mas principalmente através de parceria com a bancada federal, que tem destinado recursos para que tudo seja concluído dentro do prazo. No período pós pandemia, teremos um novo e moderno Cemetron, então com muito mais qualidade, moderno e pronto para continuar prestando os imensos serviços na saúde que sempre prestou não só a Rondônia, mas a toda a região.

GARÇON CONCORRE SE HILDON NÃO FOR À REELEIÇÃO

Por questão de amizade e fidelidade, o ex deputado Lindomar Garçon não tem confirmado seu projeto de, eventualmente, concorrer à Prefeitura de Porto Velho. Ele só o faria se o prefeito Hildon Chaves decidisse não disputasse um segundo mandato. O Plano A de Garçon, um ex deputado federal e ex prefeito de Candeias. sempre bom de voto, é estar ao lado de Hildon, caso ele busque a reeleição. Até agora, contudo, a decisão do prefeito é algo que está sendo mantido a sete chaves. Pessoas muito próximas a ele não ouviram, até agora, qualquer confirmação de que ele estará ou não na campanha que começa em poucas semanas. O plano B de Garçon é concorrer, sem Hildon no páreo. Para isso ele já teria apoio do diretório regional e da nacional do seu partido, o Republicanos. Pesquisas não oficiais que têm sido mostradas ao ex deputado federal, o colocam em posição muito boa numa eventual disputa. Alguns amigos mais fieis chegam a afirmar que ele iria para um segundo turno, caso concorresse. O que vai acontecer agora não depende do próprio Garçon, mas sim do seu parceiro que é o atual Prefeito da Capital. Esperemos para ver os próximos capítulos.

PERGUNTINHA

Pagar em média 4,17 reais por um litro de gasolina e quase 85 reais por uma botija de gás de 13 quilos, com aumentos absurdos durante a pandemia, não estraga ainda mais o seu dia?

Fonte: Sergio Pires/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias