Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020 - 17:06 (Geral)

L
LIVRE

Ministério Público e TCE realizam avaliação sobre Call Center do município de Porto Velho para demandas de casos de COVID-19

Foram realizadas ligações em dias e horários alternados para o número 0800 647 5225 para verificar o atendimento


Imprimir página

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio das Promotorias de Justiça da Saúde, juntamente com o Tribunal de Contas do Estado (TCE/RO), realizou avaliação do call center do Município de Porto Velho, que atende as demandas referentes ao COVID-19 com a finalidade de apurar reclamações de usuários do serviço. Constatou-se que o serviço avaliado está cumprindo o fluxograma proposto e está realizando suas atividades com efetividade.

Foram realizadas ligações em dias e horários alternados para o número 0800 647 5225 para verificar o atendimento. Ao realizar a ligação, a pessoa é informada em que posição da chamada se encontra e inicialmente é atendida por um servidor que solicita informações sobre dados pessoais e sintomas e é orientada a aguardar a ligação de um médico.

Ao retornar a ligação, o médico avalia as reclamações do paciente e faz encaminhamento para unidade de saúde ou recomenda a permanência em residência. Segundo informado pela SEMUSA, os recursos humanos foram relotados temporariamente e são prioritariamente do grupo de risco, contando com recepção, responsável pelo primeiro contato com o paciente e o atendimento médico, responsável pela teleorientação e teletriagem dos pacientes.

Conforme fluxograma, os pacientes assintomáticos devem permanecer em isolamento social se positivos ou contactantes com positivos, orientados a retornar periodicamente ao call center e no aparecimento de qualquer sintoma. Sintomas superleves são direcionados para as UBS José Adelino ou Manoel Amorim de Matos para atendimento no período diurno. Sintomas leves típicos para o Centro de Especialidades Médicas, devendo aguardar ligação para agendamento. Sintomas moderados e graves são direcionados para as UPAs e, se for paciente grave e com risco de morte, o médico deverá se dedicar integralmente ao caso e conseguir acionar o SAMU. Os Não COVID são direcionados para UPA leste para Ana Adelaide e, se não for o caso, para Unidade Básica de Saúde.

Fonte: Departamento de Comunicação Integrada (DCI/MPRO)

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias