Domingo, 21 de Junho de 2020 - 11:14 (Polícia)

18
Não recomendado para menores de 18 anos

Motoboy é friamente assassinado em frente ao local de trabalho em Vilhena

Rapaz assassinado tirou satisfações com homem que teria olhado para sua namorada; imagens de câmeras serão analisadas


Imprimir página

VILHENA - Na noite deste sábado, 20, um atentado a tiros na região central de Vilhena, resultou na morte de um jovem de 20 anos que estava trabalhando. A polícia ainda faz diligências e portanto ainda não registrou  boletim de ocorrência do caso. Mas, segundo as primeiras informações, João Vitor Santana Fernandes da Silva foi baleado na cabeça e morreu no pronto socorro do Hospital Regional de Vilhena para onde foi levado por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

A reportagem conversou com um dos bombeiros que socorreram a vítima e ouviu dele que quando chegaram ao local o jovem ainda tinha sinais vitais, embora fracos. O bombeiro relatou que rapidamente eles o levaram para o pronto socorro do HRV, mas ele acabou sofrendo uma parada cardíaca e faleceu.

Ainda de acordo com o bombeiro, eles identificaram duas perfurações, uma delas na mão, e a outra na face.

Segundo informações de testemunhas, João Vitor, que é motoboy e presta serviços para uma das lanchonetes da Praça Padre Ângelo Spadari, no centro Vilhena, estava no interior do estabelecimento quando o atirador chegou e começou a disparar conta ele, fugindo em seguida.

Rapaz assassinado tirou satisfações com homem que teria olhado para sua namorada; imagens de câmeras serão analisadas

Uma testemunha do crime deu novos detalhes sobre a execução do jovem  João Vitor Santana Fernandes da Silva, de 20 anos. Ele foi assassinado a tiros na noite de ontem, a poucos metros da lanchonete onde trabalhava como entregador .
 
De acordo com a entrevistada, o mesmo homem que fez os disparos já havia ido duas vezes antes à lanchonete, e em ambas as ocasiões, ele chegou dirigindo uma caminhonete, que parecia ser do modelo Triton.
 
Na primeira ida à lanchonete, o suspeito chegou de máscaras para comprar chicletes. Mais tarde, já à noite, ele pediu um lanche para levar, mas resolveu comer lá mesmo. Como se estivesse deliberadamente demorando para sair, após consumir o lanche, ele pediu outro refrigerante, antes de ir embora.
 
Na terceira visita ao estabelecimento, o homem, que aparentava ter cerca de 25 anos, foi abordado pelo entregador, já que estava olhando para a namorada dele, uma garota de 16 anos. A adolescente costumava ir para o trabalho com o namorado aos sábados.
 
A testemunha garante que não houve sequer discussão entre atirador e vítima, e que só escutou o estampido do tiro. O assassino, que desta vez estava em uma moto, fugiu logo em seguida. Tudo indica que o rapaz não conhecia o homem que o assassinou.
 
A polícia deve analisar imagens de câmeras de monitoramento do Corpo de Bombeiros, já que o homicídio aconteceu em frente o quartel da corporação. Imagens da igreja Nossa Senhora Auxiliadora, onde o assassino estacionou a picape na primeira visita à lanchonete, também devem ajudar a identificá-lo.

 

 

Foto: Carlos Mont Serrate/ Rota Policial News

Fonte: folhadosulonline/rotapolicialnews

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias