LENHA NA FOGUEIRA: REDUÇÃO DE SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

Uma coisa é tirar o pouco que o funcionário público ganha, outra, é não oferecer condições para esse funcionário sanar seus compromissos.
Terça-Feira, 05 de Maio de 2020 - 09:51

Antes de entrar no assunto relativo a cultura, vamos apenas fazer uma pergunta a algumas pessoas:

Pessoas que são políticos eleitos para defender o povo e estão jogando contra, ao estarem querendo aprovar redução de salários dos funcionários públicos.

Inclusive nosso prefeito está com o mesmo pensamento. Daí vem a nossa pergunta!

Será que vocês já pensaram em sugerir as financeiras, os bancos e tudo quanto é entidade e empresa que trabalhe com empréstimos aos funcionários públicos. Os famosos CDS ou empréstimo consignado no sentido dessas entidades, suspenderem as cobranças das prestações que os funcionários ainda têm que pagar?

Foram nas financeiras e exigiram que as mesmas, parem de cobrar as prestações devidas por esses barnabés?

Uma coisa é tirar o pouco que o funcionário público ganha, outra, é não oferecer condições para esse funcionário sanar seus compromissos.

Só não vimos nenhuma dessa "autoridade" dizer que vai renunciar as mordomias que o cargo proporciona do tipo, recurso moradia, paletó, passagens entre outras.

Mexer no bolso dos outros tudo bem, agora tirar do próprio bolso, nem pensar!

Bom, vamos deixar essa discussão para os 'Dinos' do Papo de Redação e cuidar do que interessa.

Fiquei deveras pávulo com os comentários sobre a história que publiquei na coluna de domingo: "As quatro portas do Mercado Municipal". Vamos acompanhar e comentar os comentários:

Ismael Barreto - Relato de quem viveu esses momentos, onde era um fato social e hoje é história. Pergunta: ipecacuanha, o que é?

O Acadêmico da ARL Abel Sidney se encarregou de responder ao Ismael. Veja a resposta!

Trata-se da poaia ou poalha, uma planta com propriedades medicinais "muito usada pelos ribeirinhos, índios e seringueiros (...) no tratamento de vermes e lombrigas, além de funcionar como um excelente expectorante" (da obra "Trem das Almas", de Simon Oliveira dos Santos) da Temática Editora.

Um leitor que não quis se identificar postou: Silvio, esse povo aí, de Risada, Oceano Alves, meus tios: Zé Passos, Raimundo Passos e muitos outros foram para o Mercado onde até hoje é o central acho que já foram umas três reformas, boas lembranças.

Esclarecendo, O José Oceano não foi para o Mercado Central não.

Meu amigo e parceiro José Carlos Lobo disse: Silvio obrigado pela lembrança da Viadinho de Ouro, apelido dado pelo amigo Dimas Oliveira pai do Dimarcy

E prossegue: Sei que sua cabeça não tem memória de computador, mas, vamos lembrar de alguns: Seu Zé Lemos, Cabo Lira com o Bar Guanabara. Bem antes do Bar Bacurau naquela esquina teve um Bar e Restaurante do Capixaba sempre usando sua gravata borboleta

Outro anônimo escreve: Teve também o Ataciel vizinho do Zizi.

Outro anônimo: Parabéns meu GRANDE AMIGO SÍLVIO SANTOS! Belíssimos retalhos da nossa história. Vivi este tempo e meu pai me levava de madrugada para ficar na fila com a cesta de cipó (hoje chamam de vime). Além do TREM BOIADEIRO, esperávamos atentamente, olhando para o céu, a chegada da carne pelo avião DC-3 da Companhia Aérea Paraense. Ver no céu, o avião da Paraense em direção ao Aeroporto do Caiari (geralmente às quintas-feiras, à tarde), era sinal de carne bovina chegando. Aí, na madrugada da sexta-feira, meu pai me deixava na fila esperando a abertura do portão da Rua José de Alencar.

Pelo corredor interno do Mercado, que dava saída para a Rua Henrique Dias, ficava também o Box do BAFO DA ONÇA (atingido pelo incêndio), do meu primo José Passos. E pelo lado externo, ao lado da porta que dá de frente para o Palácio Getúlio Vargas, ficava o primeiro Bazar Bezerra, do meu cunhado Cleodomildo Gomes Bezerra (não atingido pelo incêndio).

Legal que nossos leitores estão ligados na nossa história. Obrigado!

Fonte - 015 - Silvio Santos/NewsRondonia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.