News Rondônia Notícias de Rondônia, Brasil e o Mundo
Quinta-Feira, 03 de Dezembro de 2020

Livre

COLUNA LEITURA FINALIZADA: HISTÓRIA DE QUEM ESCREVE ESTÓRIAS

Nesta primeira entrevista tenho o prazer de apresentar Anna Black, escritora do livro O Reino da Guerra – Uma fantasia romântica.
Quarta-Feira, 25 de Março de 2020 - 07:00

Para enriquecer ainda mais a nossa coluna, vamos trazer entrevistas com autores para nossos leitores conhecerem um pouco sobre suas histórias e trabalhos.

Nesta primeira entrevista tenho o prazer de apresentar Anna Black, escritora do livro O Reino da Guerra – Uma fantasia romântica.

RC - Sobre você: quem é Anna Black? De onde você é? Quantos anos? 

AB - Anna Black é um pseudônimo como escritora. Como gosto de ter os vilões como protagonistas, e trabalhar os conflitos éticos e morais sobre o tema, então eu coloquei o Black, como alusão ao meu lado sombrio.

Sou natural de Belém do Pará, mas vivo no Acre há mais de dez anos.

Precisa responder isso mesmo? rsrsrs trinta e sete.

RC - Desculpa Anna. Não precisava responder, mas já que você respondeu, vou ser solidária, também tenho 37 anos.

RC - Qual sua formação? Além de escritora, você tem outra profissão?

AB - Sou formada em licenciatura em música, com mestrado em tecnologia informática aplicada à educação, e atuo como professora no ensino superior.

RC - Como você começou a escrever?

AB - Juro que eu não planejei começar a escrever, na verdade, se você me perguntasse um dia antes de eu começar a escrever, se eu gostaria de ser uma escritora, eu provavelmente riria com a ideia. Mas eu um dia simplesmente me sentei em frente ao computador, e não encontrei nada interessante para ler, e quando percebi eu já estava escrevendo.

RC - Você escreveu um livro que te agradasse e ainda agradou muitos leitores, o livro está na lista da Amazon entre os mais vendidos na loja Kindle. Parabéns por essa conquista!

RC - Fala sobre a sua rotina de escrita e criação.

AB - Comecei a escrever em janeiro, e já estou no meu terceiro livro. Então escrever tem se mostrado um vício. Eu escrevo um capítulo por dia ou a cada dois dias, e trabalho concomitantemente com a minha revisora Luh Andreoli que é maravilhosa, e me orienta muito bem nas histórias.

RC - Como é ser uma autora independente?

AB - Nossa! É muito complicado por inúmeros motivos. Vou enumerar os principais aqui:

1 - Divulgação: É MUITO difícil. Os grupos voltados ao Wattpad (onde eu comecei) estão cheios de autores, e não encontramos leitores. Por outro lado, os grupos de leitores não gostam de muita divulgação nas suas páginas (ou nenhuma divulgação), então o encontro entre autores e leitores fica muito prejudicado.

2 - Preconceito: Muitas leitoras (do gênero romântico) tem um enorme preconceito com autoras nacionais, e preferem somente escritores estrangeiros. Mas não percebem que os livros que vem de fora já passaram por um longo processo de revisão, diagramação, tradução, marketing etc, e as autoras nacionais muitas vezes não têm esse suporte para ajudar, na verdade, a esmagadora maioria não tem editora, e tem que fazer todo o trabalho sozinhas.

3 - Aspectos financeiros: se gasta muito e se ganha muito pouco, na verdade, é muito comum ver autoras tirando do próprio bolso (pagando capistas, revisão, diagramação, etc.) e o que ganha não cobre os gastos. Mesmo com livros tão baratinhos (alguns com preços de R$ 1,99), as pessoas ainda preferem baixar a versão pirata. 

Então em resumo: É um mercado muito difícil de ser conquistado, e difícil de ser rentável. Eu costumo comparar o escritor com jogador de futebol, muitos querem ser, mas quanto poderão realmente viver disso?

RC - Muito obrigada pela opinião franca e realista. Tenho muito respeito à todas as pessoas que se dedicam ao ofício da escrita criativa.

RC - Conta um pouco sobre o gênero que você escreve.

AB - Até agora escrevi um livro de fantasia romântica, e romance dark. O motivo é o que eu dei anteriormente: adoro os vilões.

RC - Como foi escrever O Reino da Guerra? De onde surgiu a inspiração?

AB - Foi engraçado, tive sonhos (sim, vários deles) sobre um mundo com seres misteriosos com diferentes poderes, divididos em quatro reinos, e que não eram nem bons, nem maus. Mas eles eram responsáveis por manter o equilíbrio desse mundo fantástico. Esse sonho que tive por algumas vezes, foi a base para escrever o livro. Já estava tudo tão maduro na minha cabeça, que o livro saiu em apenas duas semanas. Demorou mais tempo para revisar e publicar, mas ele foi finalizado rapidamente.

RC - Como você divulga seu livro?

AB - Divulgo na minha página do Face (Romance - Anna Black), no Instagram (autoraanablack), e nos grupos e amigos que encontro abertos e receptivos para a divulgação.

RC - Pode contar com essa parceira para divulgar seus livros.

RC - Já está escrevendo um livro novo?

AB - Sim, atualmente estou escrevendo uma trilogia sobre a máfia. Estou no segundo livro. A trilogia se chama: Os irmãos Costatinis, e tanto o primeiro quanto o segundo livro (Destinada para o capo, e Destinada para o consiglieri), estão disponíveis gratuitamente pelo Wattpad, e futuramente pretendo levá-los para a Amazon.

RC - Estou ansiosa pela chegada dos Irmãos Costatinis na Amazon.

RC - Quem são seus autores preferidos?

AB - Adoro a Jeaniene Frost e Michelle Reid.

RC - Dica para quem gostaria de escrever livros.

AB - Perseverança, e se divertir enquanto escreve. Se for divertido para você já está valendo, o resto é lucro.

RC - Anna Black, muitíssimo abrigada por essa conversa. A Coluna Leitura Finalizada deseja a você muita inspiração.

Sobre o livro:

O Reino da Guerra – Uma fantasia romântica

E-book Kindle

Páginas: 195

Sinopse:

“Uma estória de amor sobrenatural.

Leila tem tido sonhos com um homem misterioso, que resolve aparecer pessoalmente em sua vida. Ela não sabe nada sobre ele, mas uma coisa ela sabe de modo inequívoco: ele não é bom, ele é perigoso!

Envolvida no mundo fantástico da monarquia vampírica, Leila se vê conectada a uma profecia que a relaciona à destruição do mundo, e o homem dos seus sonhos é o fator desencadeante para o cumprimento desta, com o seu consequente fim. E agora, ela deve tentar desvendar a inexplicável atração que sente por ele? Ou fugir para tentar salvar o mundo? Será que salvar o mundo vale a pena, quando o perigo parece ser tão atraente?”

Fonte - Renata Camurça - NewsRondonia

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.