SURREAL: FLÁVIO BOLSONARO SE JUNTOU COM O PT PARA TENTAR ENTERRAR A CPI DA LAVA TOGA. TOFOLI DESABAFA!

O senador não apenas reforçou que não assinaria o pedido de criação da comissão, como também defendeu que a CPI seria um fator de instabilidade para o governo.
Sábado, 14 de Setembro de 2019 - 07:01

Bolsonaro, o filho desaba!

Olha que Bolsonaro, o Flávio disse sobre a CPI que pretende investigar os ministros do STF, STJ; enfim os homens de toga (judiciário):

“Tenho a clara percepção que uma CPI com essa pauta – além de ser uma coisa questionável entrar no mérito das decisões de cada ministro –, não tenho a menor dúvida, toca fogo no país”, disse Flávio Bolsonaro, em entrevista ao site Terça Livre. O senador não apenas reforçou que não assinaria o pedido de criação da comissão, como também defendeu que a CPI seria um fator de instabilidade para o governo.


Flávio: senador explicou em entrevista que o Brasil não "precisa de uma guerra institucional" neste momento (Roque de Sá/Agência Senado)

“A quem interessa uma instabilidade política nesse momento? Não é possível que as pessoas não enxerguem. A gente tem que ter equilíbrio. Agora seria muito ruim uma CPI como essa”, disse.


Senador Rondolfe Rodrigues posta no twiter após declaração de Flávio Bolsonaro sobre a Lava Toga na tribuna do senado.

A concretização da CPI, entretanto, é uma incógnita: em outras duas ocasiões, os apoiadores da ideia disseram ter alcançado o número de assinaturas necessárias, mas a instalação foi rejeitada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

PT com o filho do Rei?

O que mais chama atenção desta vez é a aliança improvável entre o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente da República, e a bancada do PT para impedir a instalação da CPI. Situação que causa ainda um princípio de racha no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e no próprio bolsonarismo.


Manifestações nas Redes Sociais contra o posicionamento de Flávio Bolsonaro que é contra a CPI da Lava Toga.

Filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio é o único dos quatro senadores do PSL que não apenas não assinou a petição pela abertura da comissão como agiu para enterrá-la. Tanto no Congresso como no Palácio do Planalto as investigações da CPI são vistas como perigosas, com potencial para afetar a relação entre os Poderes.


Eleitora e líder de uma página de Bolsonaro nas Redes Sociais, reclama da postura de Flávio, após sua justificativa contra a CPI.

O presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), admitiu que Flávio foi chamado para convencer seus pares a retirar assinaturas do pedido de abertura da CPI.

O cabo de guerra vai romper.

O cabo de guerra em torno da CPI da Lava Toga no Senado Federal continua. O senador Alessandro Vieira (Cidadania), autor do requerimento de criação da comissão, conseguiu, mais uma vez, a 27ª assinatura, atingindo o número necessário para pedir a instalação do colegiado.


Major Olympio, líder do PSL no Senado também recebeu pressão de Flávio Bolsonaro para a não instalação da CPI da Lava Toga.

Após a senadora Maria do Carmo (DEM) retirar o nome dela na segunda-feira (9), o senador ElmanoFérrer (Podemos) incluiu a dele nesta quinta-feira (12).


A juíza e senadora Selma Arruda (PSL-MT)reafirmou nesta sexta-feira (13), em entrevista ao programa Os Pingos nos Is da Jovem Pan, ter sido pressionada pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) a retirar a sua assinatura no pedido de instalação da CPI da Lava Toga.


Presidente do Senado, David Alcolumbre resiste na abertura da CPI, mesmo tendo as assinaturas dos senadores exigindo a instalação. O senador Flávio Bolsonaro é um dos arquitetos da resistência da abertura da CPI.


A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava Toga, que pretende investigar a atuação do Poder Judiciário, conseguiu recuperar as 27 assinaturas necessárias para sua instalação.

Major Olímpio, assim como a Juíza Selma, também recebeu um telefonema exaltado de Flávio Bolsonaro, em sua tentativa de barrar a CPI da Lava Toga.

O senador do PSL disse para a Veja:

“O tom foi muito ruim. Para mim, o Flávio não existe mais.”

Sobre o acordão para enterrar a Lava Jato, ele disse:

“É um quebra-galho geral.”

Tofoli, o outro presidente, desabafa!

Toffoli rejeita ativismo do STF e defende reduzir "constitucionalização" e esclareceu que não é o caso de se fazer uma nova assembleia constituinte ou uma revisão, mas evitar que temas venham a ser novamente constitucionalizados.

Medo, Sr. Tofoli? Vamos aguardar os próximos capítulos!

Fonte - Victoria Bacon - News Rondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.