RAPAZ SAI EM DEFESA DA TIA AMEAÇADA PELO EX-COMPANHEIRO E ATINGE HOMEM A GOLPES DE FACÃO

Vítima disse que ex costumava deixá-la trancada em casa
Terça-Feira, 06 de Agosto de 2019 - 16:23

Vilhena, RO - Ao tentar invadir a casa de sua ex-companheira, no bairro Jardim das Oliveiras, um homem de 24 anos foi golpeado com um facão, e levado ao Hospital Regional de Vilhena. O autor do golpe é sobrinho da dona da casa, que tem 41 anos e relatou estar recebendo ameaças de seu ex.

De acordo com a ex-companheira do homem ferido, há dias ele direciona ameaças a ela. Porém, na manhã desta terça-feira, 06, por telefone, ele disse para sua ex tirar as crianças de casa dentro de 30 minutos, porque iria lá acertar as contas. “Não deu tempo de tirar, porque ele já foi chegando no portão”, disse.

Ainda segundo a mulher, o ex tentou pular o muro da residência. Durante a discussão, um sobrinho da mulher ameaçada estava dentro da casa, e também passou a ser alvo da ira do ex-marido da tia, enquanto ela tentava conter ambos para evitar uma briga.

Porém, em dado momento, o autor das ameaças tentou pular para dentro da casa, foi quando a mulher abriu o portão e deixou seu sobrinho, de 20 anos, sair. “Se ele pula dentro da casa, os dois iam se matar lá, no meio das crianças”, contou.

Ao sair, o sobrinho atingiu o ex da tia com um golpe de facão, no rosto. “Meu sobrinho saiu para fora com o facão da mão, mas ele pulou no meu sobrinho, e os dois entraram em luta corporal no chão”, relatou. Ela disse ainda que o rapaz mais novo agiu em legítima defesa, e que durante a briga, fugiu para a casa de uma vizinha, para se proteger.

Ela contou ainda que seu ex-marido é usuário de drogas, e que chegou a ser preso na cidade de Jaru. Além disso, quando eles estavam juntos, o homem tinha o costume de sair de casa e a deixar trancada dentro do imóvel.

Ainda não se sabe se o caso será registrado como lesão corporal ou tentativa de homicídio.

DEAM

Para casos como o citado acima, Vilhena dispõe de uma DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher). Vítimas de ameaças de ex e atuais e atuais companheiros podem procurar o órgão, que fica na avenida Paraná. Lá, é registrada a ocorrência e pode ser solicitada medida protetiva.

Aliada a DEAM, há uma rede de apoio, com acompanhamento psicológico, e uma equipe que vai até a residência da vítima tirar seus objetos pessoais, caso ela queira sair. Ao ter conhecimento desse trabalho, muitas optam por registrar a ocorrência contra o agressor. Todas são encaminhadas ao Centro de Atendimento a Mulher (CAM), onde há uma equipe de psicólogas que darão apoio.

A Lei garante que o agressor fique afastado da vítima, mas para isso é preciso que o caso chegue aos órgãos competentes. Após deferimento do juiz, a delegacia pede que o marido saia de casa, não mantenha contato com a vítima ou se aproxime de qualquer lugar que ela esteja. Essa medida tem um prazo de 90 dias. Se for descumprida, o infrator pode ser preso e cumprir pena de até 2 anos.

Em alguns casos, quando a perseguição é grande, a vítima precisar ir refazer a vida em outra cidade. Para isso, há amparo legal, como a licença de 6 meses do trabalho.

Além disso, foi criada em novembro de 2018 a Patrulha Maria da Penha, que faz visitar periódicas às mulheres que registram ocorrências, e a partir do registro uma viatura passar a fazer rondas periódicas nas proximidades da casa das mulheres que solicitaram medida protetiva, como forma de evitar que o ex se aproxime.

Fonte - 010 - Carlos Mont Serrate/ Rota Policial News

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.