1º TRIBUNAL DO JÚRI DIVULGA DATAS DE JULGAMENTOS DE CRIMES CONTRA A VIDA, PARA O MÊS DE JUNHO

A sentença de pronúncia, proferida no dia 27 de agosto de 2018, não menciona a motivação do crime.
Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019 - 10:29

Entre os dias 3 e 19 de junho de 2019, o 1º Tribunal do Júri da comarca de Porto Velho, presidido pelo juiz Enio Salvador Vaz, realizará 11 julgamentos relativos a crimes praticados contra a vida. Desse total, 9 são crimes de homicídios e dois de tentativa.

Os delitos de homicídios consumados envolvem casos de discussão, bebidas alcóolicas, relacionamento amoroso, ameaça, concorrência (funerária), terra madeira e dívida. As tentativas foram por motivo da não aceitação de apelidos e pelo fato de o réu está sendo perseguido e não querer se entregar, atirou contra um policial no exercício de suas funções. Todos crimes foram praticados na comarca de Porto Velho.

O primeiro caso a ser julgado refere-se ao Processo n. 0010155-40.2014.8.22.0501, no qual, dia 3, o réu Edmar Guimarães será julgado sob acusação de ter matado com três tiros a vítima Raimundo Fernandes da Costa. O crime aconteceu, por causa de uma discussão, em um bar, na Rua Miguel Calmon, Bairro Cohab, onde vítima e réu assistiam a um jogo de futebol. A sentença de pronúncia foi proferida no dia 19 de dezembro de 2018. O réu responde ao processo preso.

Dia 4 acontecerá o segundo julgamento pautado. Neste dia, no Processo n. 0011275-50.2016.8.22.0501, José Antônio Ribeiro Santana será julgado por tentativa de homicídio. Ele deu um tiro em Jonas Batista Soares devido a vítima ter lhe apelidado de “baixinho e zé b...”. O tiro deixou a vítima paraplégica e lesões no diafragma e estômago. O crime aconteceu em um churrasquinho, na Rua Jucá, Bairro Castanheira, em Porto Velho. A sentença de pronúncia é de 28 de novembro de 2018. O acusado responde ao processo em liberdade.

No dia 5 será julgado o réu Rosimar José Felício, no Processo Crime n. 0017902-02.2018.8.22.0501, sob acusação de matar Josimar Medeiros Proença. O motivo do crime foi uma discussão por causa de bebidas alcóolicas. A vítima foi morta com facadas, na Rua Prece, Bairro Castanheira, em Porto Velho, no dia 25 de dezembro de 2018. A sentença de pronúncia é de 8 de março de 2019.

Ana Darc Ferreira da Silva, que responde na prisão o Processo n. 0016750-16.2018.8.22.0501, será julgada dia 6. Ela é acusada de atear fogo em Márcio Alves dos Santos, no dia 9 de novembro de 2018, na Rua Lua, Bairro Planalto, em Porto Velho, por suspeitar que a vítima mantinha um relacionamento amoroso extraconjugal homossexual. Para ceifar a vítima, segundo a pronúncia, quando a vítima, embriagada, dormia num sofá, a ré ateou fogo no corpo de Márcio Alves, causando-lhe a morte. A vítima morreu no dia 18 de novembro de 2018. A sentença de pronúncia é de 25 de fevereiro de 2019.

Prosseguindo a pauta de julgamento, no dia 10 será sentado na cadeira dos réus, Deivisson Paixão da Costa. Ele responde em liberdade ao processo n. 0007900-46.2013.8.22.0501, sob acusação de assassinar, com um pedaço de madeira, Ricardo Patress de Jesus Santos. O crime aconteceu no dia 22 de agosto de 2012, em uma borracharia, situada na Rua Novo Hamburgo com a Rua Taumaturgo, Bairro Fortaleza, em Porto Velho. A sentença de pronúncia, proferida no dia 27 de agosto de 2018, não menciona a motivação do crime.

No dia 11, Amilton de Souza Costa, que responde ao processo (0008942-57.2018.8.22.0501) na prisão, será julgado sob acusação de invadir a residência das vítimas Usinael e Ana Lúcia, às 5h, do dia 22 de abril de 2018, e matá-las com tiros. Além dos tiros, ao observar que as vítimas ainda estavam vivas, “destruiu os cadáveres das vítimas, ateando fogo na casa com os corpos dentro. “O denunciado pegou as vítimas de surpresa, posto que ainda estavam dormindo”. Segundo a pronúncia, o crime foi motivado por suspeita de que as vítimas iriam dar uma surra no réu”. A sentença de pronúncia foi proferida em 13 de fevereiro de 2019.

No dia 12, quem vai a julgamento é o réu Celcino de Souza no Processo n. 0000882-91.2010.8.22.0011. Ele é acusado de matar, por concorrência funerária, Vanderlei Korczagin, mediante pagamento de 3 mil reais a terceiro não identificado. A vítima foi executada a tiros no dia 30 de maio de 2010, em frente à Funerária Sistema Prevenir, situada na Avenida Marechal Rondon – Centro, em Ouro Preto do Oeste. A denúncia ministerial foi recebida dia 19 de novembro de 2015, com a sentença de pronúncia proferida dia 26 de fevereiro de 2018.

Edinilson da Silva Santos e Leonir Lemes do Nascimento serão julgados no dia 13. Eles respondem preso ao Processo Crime n. 1010804-80.2017.8.22.0501. Os réus são acusados de participarem do assassinato de João Américo Carneiro dos Santos (o Zé do Brejo). A vítima foi morta durante uma tocaia organizada pelos denunciados Agnaldo Valadares, Ronildo Cândido Vieira (foragidos), Edinilson da Silva Santos, Leonir Lemes do Nascimento e o adolescente M.M.T.S., mediante o pagamento de 30 mil reais. Além desse homicídio, o grupo criminoso, segundo a sentença de pronúncia, cometeu outros crimes, “especialmente na região de Vista Alegre do Abunã, Estrema e outras regiões circunvizinhas”. O assassinato da vítima João Américo, com 13 tiros, ocorreu no dia 28 de junho de 2017, na Rua México, entre as Ruas Jaci-Paraná e Amazonas, Bairro Nova Porto Velho, no momento em que saía de um escritório advocatício e se dirigia para o seu veículo. A motivação do crime foi desentendimentos por causa de terras e de madeira.

No dia 17 vai a julgamento Zivaldo Fernandes Júnior. Ele responde preso ao Processo n. 0014672-49.2018.8.22.0501, sob a acusação de ter matado com tiros de um rifle e golpes de enxada desferido na cabeça da vítima Alonso Costa. A motivação do crime foi uma dívida de 500 reais que vítima devia ao réu. No dia do crime, 21 de agosto de 2018, no Km 22, da BR 364, antes do assassinato, houve um desentendimento entre réu e vítima.

No dia seguinte, 18, a ré Bianca de Oliveira Albuquerque, presa, vai a julgamento por meio do Processo Crime n. 0009735-93.2018.8.22.0501. Ela é acusada de matar a facadas a vítima Ilza Santos Correia. Segundo a sentença de pronúncia, a vítima foi à casa da ré a procura do filho desta (o Addam), e como a acusada não aceitava a presença da vítima na sua residência, pegou uma faca e saiu em direção à Ilza e a esfaqueou, na rua. A vítima tentou fugir, mas foi alcançada. O crime aconteceu no dia 24 de maio de 2018.

O último julgamento pautado acontecerá no dia 19. Nesse dia, Elimar Alves Lima Damasceno, que responde preso ao Processo n. 0017824-08.2018.8.22.0501, é acusado de ter tentado matar com tiros o policial militar Harrison Garcia Vargas Silvestrini de Andrade. O policial, que estava de serviço, ao fazer uma abordagem, o réu saiu correndo e o agente estatal em sua perseguição, porém, o acusado, não querendo se entregar, apontou um revólver e apertou o gatilho contra o PM, mas o cartucho não detonou, por isso a morte da vítima não foi consumada.

Fonte - TJ-RO

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.