APENADO EM LIBERDADE MATA MULHER APENAS DOIS MESES APÓS O CASAMENTO

Luana Rutzen, de apenas 22 anos, tornou-se mais uma mulher a entrar para as estatísticas de feminicídio no Brasil.
Sexta-Feira, 03 de Maio de 2019 - 09:09

Luana Rutzen, de apenas 22 anos, tornou-se mais uma mulher a entrar para as estatísticas de feminicídio no Brasil.

A jovem foi assassinada por Marcelo Carvalho, 30, com quem havia se casado há apenas dois meses.

O crime aconteceu na última terça-feira, (30), na frente da casa da jovem, em Joinville (SC).

A mãe da vítima também foi ferida e está internada em estado grave.

Luana e sua mãe, Iliane Aparecida dos Santos, de 45 anos, foram alvejadas por três tiros cada, como concluiu a perícia.

A mãe acabou atingida quando foi prestar socorro à filha e levada de helicóptero para o Hospital São José, onde está internada em estado grave. Marcelo foi preso oito horas após o crime - o qual confessou para a Polícia Civil.

O assassino cumpria liberdade condicional e usava uma tornozeleira eletrônica, que foi retirada por ele próprio após cometer o crime.

Testemunhas afirmam que o acusado estacionou o carro em frente à casa da vítima, às 14h. Após uma discussão, o homem começou os disparos.

Carvalho teria chegado a andar em direção ao carro, mas, ao perceber que Luana ainda estava viva, voltou para concluir o assassinato. Wanderson Alves, delegado encarregado da investigação, afirmou que o homem “atirou para matar. [Ele] voltou e deu um tiro na cabeça. [Ele] tentou fazer com a sogra, só que ele errou e a bala perfurou o pescoço”.

Ainda segundo as investigações, uma pistola 380 foi apreendida na casa do irmão de Marcelo, com o número de identificação raspado.

Já Carvalho foi localizado na casa da irmã, em Joinville, e levado para Delegacia de Homicídios, onde responderá pelo crime de homicídio.

Ele já havia sido preso em 2015, por matar um homem e deixar outro ferido, utilizando-se de uma arma de fogo ilegal.

Ele conseguiu a liberdade condicional há quatro meses e, em fevereiro, casou-se com Luana.

Segundo a irmã da vítima, Luana e Marcelo começaram a namorar enquanto o homem ainda estava na cadeia.

Ela nunca havia reclamado ou registrado atos violentos por parte do namorado.

Como Carvalho foi preso em flagrante, o inquérito será mais rápido, devendo ser encaminhado à Justiça em 15 dias. Wanderson Alves ainda ouvirá testemunhas e familiares para apurar se Luana sofreu outras violências do companheiro.

Fonte - 015 - YAHOO

Coment�rios

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.