POLÍTICA & MURUPI: CALDEIRÃO DO DIABO

A panela de cozinhar desgraça está cheia e se nada for feito para baixar a fervura teremos dias complicados pela frente. No caso dos ônibus o povo tem opções de transporte alternativo.
Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019 - 17:07

FRASE DO DIA:

“Ninguém me procurou, por isso não vou falar nada. Estou quieto, só acompanhando os movimentos e observando.” Confúcio Moura sobre a eleição da Mesa do Senado.

1-Caldeirão do diabo

As trombetas anunciam duas greves para os próximos dias: uma nos presídios e outra no sistema de transporte coletivo da capital. A panela de cozinhar desgraça está cheia e se nada for feito para baixar a fervura teremos dias complicados pela frente. No caso dos ônibus o povo tem opções de transporte alternativo.

No caso dos presídios a porta se abre para que as facções tomem as ruas. Reza a lenda que na Quaresma o capeta sai do inferno para fazer o mal. Será possível que o tinhoso já esteja em Porto Velho?       

"Ao tempo que repudio esse ato do Poder Executivo... o projeto é parte de um acordo judicial homologado pelo TJ em ação de Dissídio Coletivo de Greve, cuja previsão orçamentária, aprovada pelo Parlamento estadual, não aumenta um centavo a mais no orçamento da Sejus... já que a própria categoria contribuiu para o enxugamento ao abrir mão de escala, regionalização de unidades e benefícios” disse o deputado Anderson do Singeperon. Boa tacada, mas veio o trôco e com quem estará a razão?

Aí o governo diz: “Dentro do processo de aprovação do projeto orçamentário na ALE, os deputados promoveram alterações. (...) promoveu modificações no orçamento. Essa emenda trazia não apenas modificações de despesas internas da Sejus, mas retirava receitas de outras secretarias para incluir no cumprimento das despesas relativas ao dissídio coletivo. (...) Anderson distorceu o acordo alterando os valores e retirando da Sepog sem estudo ou critério legal. (...) foi ilegal e inconstitucional ferindo de morte os acordos entre Executivo e  Sindicato...” E aí quem tem razão? Se é que existe razão?

O Ministério Público de Rondônia fez história ao criar a primeira Promotoria de Justiça do Brasil, para tratar do feminicídio. Para o Procurador-Geral, Airton Pedro Marin Filho, a criação é fruto do alto número de feminicídios no estado. “É necessário que se tenha para esse crime um olhar sobre a situação de vulnerabilidade da mulher”, disse Airton. Um reforço às Promotorias de Combate à Violência Doméstica, para levar a Justiça e pacificar. Duro quando deve ser, mas parceiro do cidadão sempre. É assim o MP.  

5-Carne fraca

A história escabrosa da “Carne Fraca” lembra um bumerangue. Por mais longe que se jogue ele sempre volta. A ministra Cármen Lúcia, do STF, determinou a abertura de 19 inquéritos contra políticos com foro privilegiado com base na delação premiada de um investigado pela operação.

Os nomes dos investigados estão sob sigilo porque as apurações ficarão sob segredo de Justiça. Mas o delator a gente adianta agorinha pra você: é Daniel Gonçalves Filho que à época do rolo era superintendente do Ministério da Agricultura no Paraná. E ele não se fez de rogado. Contou tudinho pros ninjas.  

leoladeia@hotmail.com

Fonte - Leo Ladeia/NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.