News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quarta-Feira, 05 de Maio de 2021

10 anos

MULHER GRÁVIDA É PRESA APÓS REVIDAR AGRESSÃO DO MARIDO

Mulher grávida de 5 meses é presa após revidar agressão do marido. Homem chegou em casa embriagado e estava espancando a vítima, até que ela decidiu enfrentá-lo
Terça-Feira, 18 de Dezembro de 2018 - 22:12

TOCANTINS - Uma mulher grávida foi presa na noite desta segunda-feira (17) na cidade de Araguatins (TO) depois de reagir às agressões do marido.

A jovem de 24 anos estava sendo espancada pelo homem, que chegou embriagado em casa, mas conseguiu se desvencilhar e golpeou as costelas do marido com um pente.

O homem sofreu perfurações, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e precisou ser internado. A mulher foi autuada por lesão corporal leve. Ela está grávida de cinco meses e foi liberada para responder ao processo em liberdade.

Segundo a Polícia Civil, a própria mulher chamou os bombeiros e foi até a delegacia registrar a ocorrência. Testemunhas confirmaram que ela estava sendo agredida pelo marido.

Violência doméstica: denuncie

Cada dia mais denúncias relativas à violência doméstica chegam à Justiça brasileira, onde tramitam cerca de 900 mil processos desse tipo: 23% foram pedidos de medidas protetivas de urgência. Os dados são consolidados pelo Conselho Nacional de Justiça a partir de informações dos tribunais.

No caminho da solução desses casos, as delegacias especializadas são uma das mais importantes portas de entrada das denúncias de agressão.

A Lei Maria da Penha estabelece que, após o Boletim de Ocorrência (B.O.), o caso seja remetido ao juiz em, no máximo, 48 horas. A Justiça também tem 48 horas para analisar e julgar a concessão das medidas protetivas de urgência. Em Brasília, no entanto, esse tempo costuma ser mais curto.

Um canal de entrada volumoso de denúncias é a central telefônica Disque-Denúncia (Disque 180), criada pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM).

O Brasil ocupa o 5º lugar entre os países mais violentos do mundo no que se refere à violência doméstica contra mulheres.

Juízes, promotores e defensores públicos são unânimes em relação à importância da denúncia. Para esses especialistas, elas funcionam como um freio inibidor da violência que, muitas vezes, impede o mal maior: o feminicídio. Vale lembrar que qualquer pessoa pode denunciar violência doméstica.

Fonte - pragmatismopolitico

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.