Quinta-Feira, 15 de Março de 2018 - 10:03 (Polícia)

16
Não recomendado para menores de 16 anos

PROFESSOR DE TEATRO É PRESO POR ESTUPRAR PELO MENOS 10 ADOLESCENTES EM ESCOLA

Mandado de prisão contra o suspeito, considerado foragido, foi cumprido nesta quarta-feira (14). Homem foi afastado das atividades e levado para presídio na capital do Amazonas.


Imprimir página

Manaus (AM) - O professor de teatro Varildo Alves de Almeida, 52, foi preso nesta quarta-feira (14) após cumprimento de mandado de prisão por estupro de vulnerável. O homem é suspeito de estuprar mais de 10 adolescentes em uma escola estadual localizada no bairro Nova Cidade, Zona Norte da capital.

De acordo com a Polícia Civil, o mandado em nome do professor foi expedido no dia 19 de setembro de 2017. Uma denúncia anônima indicando a localização do infrator levou a polícia até o bairro Presidente Vargas, Zona Sul da capital, onde ele foi preso.

A delegada titular da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP), Fernanda Antonucci, explicou que o professor era considerado foragido da Justiça por conta da existência do mandado de prisão preventiva em nome dele.

“Atualmente, ele estava trabalhando como professor de Teatro em uma escola da rede estadual localizada no bairro Nova Cidade, Zona Norte, onde ele vitimou mais de 10 adolescentes. Todos do sexo masculino. Varildo também foi carnavalesco de uma agremiação com fundação na zona centro-oeste”, relatou.

Varildo foi indiciado por estupro de vulnerável e foi encaminhado ao Centro de Recebimento e Triagem (CRT) do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) afirmou que Varildo não é professor da rede. No comunicado, a assessoria de imprensa da Seduc explicou que ele era responsável por um projeto de teatro na escola, de forma voluntária, e assim que os gestores da escola tomaram ciência das investigações, ainda nas primeiras denúncias, ele foi afastado das atividades.

Fonte: 010 - acritica

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias