Segunda-Feira, 05 de Março de 2018 - 11:47 (Cultura)

L
LIVRE

OSCAR 2018: VEJA A LISTA COMPLETA DOS VENCEDORES DA PREMIAÇÃO

Filme de Del Toro confirmou o favoritismo na 90ª edição da cerimônia. Discurso de Frances McDormand, melhor atriz, celebrou as mulheres.


Imprimir página

A Forma da Água (leia crítica) foi o grande vencedor do Oscar 2018 com quatro prêmios (melhor filme, diretor, para o mexicano Guillermo del Toro, direção de arte e trilha sonora). “Quando criança, via filmes no México e nunca achei que isso pudesse acontecer. Quero dizer para vocês, todo mundo que faz fantasia e conta histórias que são reais no mundo hoje, vocês conseguem. Chutem a porta e entrem”, afirmou Del Toro. Dunkirk, com três troféus, terminou a festa como o segundo longa que mais ganhou estatuetas.

Escolhida como melhor atriz por Três Anúncios Para um Crime vinte anos após seu primeiro Oscar, por Fargo, Frances McDormand protagonizou o momento da noite. Convidou as mulheres indicadas de todas as categorias a ficarem de pé. E deu um recado importante. “Todos nós temos histórias para contar e projetos para serem financiados. Não nos cumprimentem apenas na festa. Nos convidem para os seus escritórios e vamos contar todas essas histórias. Vamos ser roteiristas da inclusão”, falou.

Eleito melhor diretor por A Forma da Água, Guillermo del Toro tornou-se o terceiro mexicano a faturar o prêmio da categoria num espaço de três anos — foi precedido por Alfonso Cuarón (Gravidade) e Alejandro G. Iñárritu (Birdman). “Sou imigrante como muitos de vocês. Nos últimos 25 anos tenho vivido aqui. É o lugar em que mais gosto de viver”, disse o cineasta, visivelmente emocionado.

Jordan Peele, vencedor do melhor roteiro original por Corra!, seu primeiro longa, subiu emocionado ao palco para receber a estatueta. “Parei de escrever umas vinte vezes. Achei que ninguém faria esse filme. Agradeço à minha mãe, que me ensinou a amar mesmo diante do ódio. Agradeço a todo mundo que comprou ingresso e disse pra alguém comprar ingresso”, discursou.

Tom político

O apoio da Academia aos movimentos #MeToo e #TimesUp, contra assédio e machismo na indústria de entretenimento e em ambientes de trabalho, ficou visível nos discursos e na condução da cerimônia. Kimmel abriu a noite abordando a força dessas iniciativas.

Com duas horas e meia de premiação, as atrizes Annabella Sciorra, Ashley Judd e Salma Hayek (foto acima) apresentaram um clipe reforçando a importância da representatividade e da luta contra comportamento abusivo em produções de cinema e televisão. Cenas de Pantera Negra, recente sucesso da Marvel, e depoimentos de artistas como Greta Gerwig (diretora de Lady Bird) e Ava DuVernay evidenciaram o interesse do Oscar em aderir aos ventos da mudança.

Apesar de a diversidade ter dominado a premiação, a Academia ainda revela velhos maus hábitos. Especialmente na categoria de melhor ator. Ano passado, Casey Affleck, mesmo sob acusações de estupro, venceu o prêmio por Manchester à Beira-Mar. Agora, Gary Oldman, acusado pela ex-mulher, Donya Fiorentino, de agressão doméstica, ganhou por O Destino de uma Nação, filme no qual interpreta o ex-primeiro-ministro Winston Churchill.

Oscar vai pra rua

No momento mais curioso da premiação, Kimmel conduziu artistas como Armie Hammer, Guillermo del Toro, Margot Robbie e Gal Gadot para fora do Dolby Theatre, onde a cerimônia era realizada. Eles atravessaram a rua e “invadiram” uma sessão de cinema de uma sala do outro lado da calçada, interagindo com a plateia. Na tela grande, o filme foi interrompido e deu lugar a imagens do público da Academia.

Veja a lista completa dos vencedores do Oscar 2018 (premiados em negrito):

Melhor filme

Corra!

O Destino de uma Nação

Dunkirk

A Forma da Água

Lady Bird: A Hora de Voar

Me Chame pelo Seu Nome

The Post: A Guerra Secreta

Trama Fantasma

Três Anúncios para um Crime

Melhor direção

Christopher Nolan (Dunkirk)

Greta Gerwig (Lady Bird: A Hora de Voar)

Guillermo del Toro (A Forma da Água)

Jordan Peele (Corra!)

Paul Thomas Anderson (Trama Fantasma)

Melhor atriz

Frances McDormand (Três Anúncios para um Crime)

Margot Robbie (Eu, Tonya)

Meryl Streep (The Post: A Guerra Secreta)

Sally Hawkins (A Forma da Água)

Saoirse Ronan (Lady Bird: A Hora de Voar)

Melhor ator

Daniel Day-Lewis (Trama Fantasma)

Daniel Kaluuya (Corra!)

Denzel Washington (Roman J. Israel, Esq.)

Gary Oldman (O Destino de uma Nação)

Timothée Chalamet (Me Chame pelo Seu Nome)

Melhor atriz coadjuvante

Allison Janney (Eu, Tonya)

Laurie Metcalf (Lady Bird: A Hora de Voar)

Lesley Manville (Trama Fantasma)

Mary J. Blige (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi)

Octavia Spencer (A Forma da Água)

Melhor ator coadjuvante

Christopher Plummer (Todo o Dinheiro do Mundo)

Richard Jenkins (A Forma da Água)

Sam Rockwell (Três Anúncios para um Crime)

Willem Dafoe (Projeto Flórida)

Woody Harrelson (Três Anúncios para um Crime)

Melhor roteiro adaptado

O Artista do Desastre (Scott Neustadter e Michael H. Weber)

A Grande Jogada (Aaron Sorkin)

Logan (Scott Frank, James Mangold e Michael Green)

Me Chame pelo Seu Nome (James Ivory)

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi (Dee Rees e Virgil Williams)

Melhor roteiro original

Corra! (Jordan Peele)

Doentes de Amor (Kumail Nanjiani e Emily V. Gordon)

A Forma da Água (Guillermo del Toro e Vanessa Taylor)

Lady Bird: A Hora de Voar (Greta Gerwig)

Três Anúncios para um Crime (Martin McDonagh)

Melhor animação

The Breadwinner, de Nora Twomey

Com Amor, Van Gogh, de Dorota Kobiela e Hugh Welchman

O Poderoso Chefinho, de Tom McGrath

Touro Ferdinando, de Carlos Saldanha

Viva: A Vida É uma Festa, de Lee Unkrich e Adrian Molina

Melhor filme estrangeiro

Corpo e Alma (Hungria), de Ildikó Enyedi

Sem Amor (Rússia), de Andrey Zvyagintsev

O Insulto (Líbano), de Ziad Doueiri

Uma Mulher Fantástica (Chile), de Sebastián Lelio

The Square: A Arte da Discórdia (Suécia), de Ruben Östlund

Melhor documentário

Abacus: Small Enough to Jail, de Steve James

Last Men in Aleppo, de Firas Fayyad, Steen Johannessen e Hasan Kattan

Ícaro, de Bryan Fogel

Strong Island, de Yance Ford

Visages Villages, Agnès Varda e JR

Melhor montagem

Dunkirk (Lee Smith)

Em Ritmo de Fuga (Paul Machliss e Jonathan Amos)

Eu, Tonya (Tatiana S. Riegel)

A Forma da Água (Sidney Wolinsky)

Três Anúncios para um Crime (John Gregory)

Melhor trilha sonora

Dunkirk (Hans Zimmer)

A Forma da Água (Alexandre Desplat)

Star Wars: Os Últimos Jedi (John Williams)

Trama Fantasma (Jonny Greenwood)

Três Anúncios para um Crime (Carter Burwell)

Melhores efeitos visuais

Blade Runner 2049 (John Nelson, Gerd Nefzer, Paul Lambert e Richard R. Hoover)

Guardiões da Galáxia Vol. 2 (Christopher Townsend, Guy Williams, Jonathan Fawkner e Daniel Sudick)

Kong: A ilha da Caveira (Stephen Rosenbaum, Jeff White, Scott Benza e Michael Meinardus)

Planeta dos Macacos: A Guerra (Joe Letteri, Daniel Barrett, Dan Lemmon e Joel Whist)

Star Wars: Os Últimos Jedi (Ben Morris, Michael Mulholland, Neal Scanlan e Chris Corbould)

Melhor fotografia

Blade Runner 2049 (Roger Deakins)

O Destino de uma Nação (Bruno Delbonnel)

Dunkirk (Hoyte Van Hoytema)

A Forma da Água (Dan Laustsen)

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi (Rachel Morrison)

Melhor direção de arte

A Bela e a Fera (Sarah Greenwood e Katie Spencer)

Blade Runner 2049 (Dennis Gassner e Alessandra Querzola)

O Destino de uma Nação (Sarah Greenwood e Katie Spencer)

Dunkirk (Nathan Crowley e Gary Fettis)

A Forma da Água (Paul D. Austerberry, Shane Vieau e Jeffrey A. Melvin)

Melhor figurino

A Bela e a Fera (Jacqueline Durran)

O Destino de uma Nação (Jacqueline Durran)

A Forma da Água (Luis Sequeira)

Trama Fantasma (Mark Bridges)

Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha (Consolata Boyle)

Melhor maquiagem e penteado

O Destino de uma Nação (Kazuhiro Tsuji, David Malinowski e Lucy Sibbick)

Extraordinário (Arjen Tuiten)

Victoria e Abdul: O Confidente da Rainha (Daniel Phillips e Loulia Sheppard)

Melhor canção original

Mighty River, de Raphael Saadiq e Mary J. Blige (“Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi”)

The Mystery of Love, de Sufjan Stevens (“Me Chame pelo Seu Nome”)

Remember Me, de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez (“Viva: A Vida É uma Festa”)

Stand Up for Something, de Andra Day e Common (“Marshall”)

This Is Me, de Benj Pasek e Justin Paul (“O Rei do Show”)

Melhor mixagem de som

Blade Runner 2049 (Christian T. Cooke, Glen Gauthier e Brad Zoern)

Dunkirk (Gregg Landaker, Gary Rizzo e Mark Weingarten)

Em Ritmo de Fuga (Tim Cavagin, Mary H. Ellis e Julian Slater)

A Forma da Água (Christian T. Cooke, Glen Gauthier e Brad Zoern)

Star Wars: Os Últimos Jedi (Michael Semanick, David Parker, Stuart Wilson e Ren Klyce)

Melhor edição de som

Blade Runner 2049 (Mark A. Mangini, Theo Green)

Dunkirk (Richard King e Alex Gibson)

Em Ritmo de Fuga (Julian Slater)

A Forma da Água (Nathan Robitaille e Nelson Ferreira)

Star Wars: Os Últimos Jedi (Matthew Wood e Ren Klyce)

Melhor curta de animação

Dear Basketball, de Glen Keane e Kobe Bryant

Garden Party, de Victor Caire e Gabriel Grapperon

Lou, de Dave Mullins e Dana Murray

Negative Space, de Max Porter e Ru Kuwahata

Revolting Rhymes Part One, de Jan Lachauer, Jakob Schuh e Bin-Han To

Melhor curta de documentário

Edith+Eddie, de Laura Checkoway

Heaven is a Traffic Jam on the 405, de Frank Stiefel

Heroin(e), de Patrick Coker e Isaiah Mackson

Knife Skills”, de Thomas Lennon

Traffic Stop, de Kate Davis

Melhor curta de ficção

DeKalb Elementary, de Reed Van Dyk

The Eleven O’Clock, de Derin Seale

My Nephew Emmett, de Kevin Wilson Jr.

The Silent Child, de Chris Overton

Watu Wote: All of Us, de Katja Benrath

 

 

Fonte: 015 - Metrópoles

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias