Segunda-Feira, 05 de Março de 2018 - 09:50 (Política)

L
LIVRE

NO FACEBOOK, MULHER DE ACIR GURGACZ SAI EM DEFESA: “QUEM NOS CONHECE SABE QUE O ACIR É INOCENTE”

Apesar de que ainda cabe recurso da decisão, em nota enviada pela assessoria do parlamentar, sua defesa vai recorrer da punição.


Imprimir página

A família Gurgacz quebrou o silêncio a respeito da condenação do senador Acir Gurgacz (PDT) na primeira instância do Supremo Tribunal Federal (STF) por crime contra o sistema financeiro nacional. A esposa do próprio senador, Ana Maria Gurgacz, fez manifestação sobre o caso e declarou, em rede social, neste domingo (04), que “Acir é inocente”.

A declaração da esposa de Acir ocorreu cinco dias depois do STF decidir pela condenação do senador que estabeleceu quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto. Apesar de que ainda cabe recurso da decisão, em nota enviada pela assessoria do parlamentar, sua defesa vai recorrer da punição.

Paralelo à defesa jurídica, Acir dispôs da defesa familiar. No Facebook, Ana Maria agradeceu as manifestações de apoio que recebeu durante a semana e classificou que o seu marido é inocente neste caso. “Quem nos conhece sabe que o Acir é inocente!! E se os políticos de RO que estão assaltando nosso estado há anos, desviando dinheiro da Saúde , educação segurança etc ,acharam que iriam nos derrubar, estão enganados, nos fortaleceram!”, comentou.

Ainda na postagem, Ana Maria Gurgacz disse que “O Acir não desviou recurso de nenhum obra pública! Fizemos um financiamento no Basa e pagamos integralmente com juros e correção, e o mais estranho inexplicável é que os consultores que fizeram o projeto , os técnicos do Basa liberaram o recurso , o gerente da Eucatur de Manaus da época que acompanhou o projeto , os diretos que assinaram pelo eucatur foram todos inocentados Só o Acir que assinou como AVALISTA foi condenado, mas irá recorrer pois acreditamos em sua inocência, e condenação não o deixa inelegível, para a tristeza dos políticos safados e falsos”.

Ao concluir a defesa em rede social, Ana Maria disse que achou estranha que não foi ouvida no processo e coloca em cheque a condenação em primeira instância do senado ao classificar: “Manobra Política”.

“Agora é incrível que Eu também fui avalista e nem sequer fui chamada para depor!! Vocês têm alguma dúvida da manobra política? A muitos anos estamos sofrendo for causa destes bandidos, mas este sofrimento nos une é fortalece ,cremos em nosso Deus que é maravilhoso nunca nos abandonou!”, concluiu Ana Maria.

A condenação - Gurgacz foi considerado culpado por desviar recursos de um financiamento obtido junto ao Banco da Amazônia, entre os anos de 2003 e 2004, quando o senador era diretor da empresa de viação Eucatur.

Segundo a denúncia apresentada pelo Ministério Pública Federal (MPF), Gurgacz obteve, mediante fraude de documentos e dispensa indevida de garantias, um empréstimo de R$ 1,5 milhão para a renovação da frota de ônibus da empresa.

O dinheiro, porém, não foi utilizado na aquisição de veículos novos, conforme previsto no contrato, mas somente em parte na compra de veículos velhos reformados, com mais de 11 anos de uso, diz a denúncia. Cerca de R$ 510 mil teriam sido embolsados pelo próprio senador, sendo apresentadas notas fiscais falsas para acobertar o desvio.

Em nota, Gurgacz disse ter considerado "injusta" a condenação e afirmou que recorrerá ao plenário do STF. O senador acrescenta estar "confiante de que será inocentado, pois além de não ter participação direta na captação do empréstimo, toda operação de crédito foi quitada na época e considerada regular pelo Banco da Amazônia, como mostra laudo de pericia feito pelo banco".

Fonte: NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias