Sexta-Feira, 02 de Março de 2018 - 15:18 (Geral)

L
LIVRE

MAITÊ PROENÇA SE PRONUNCIA SOBRE PENSÃO MILITAR QUE RECEBE DESDE 1989

QUESTIONADA SE DEVERIA OU NÃO ABRIR MÃO DO BENEFÍCIO PARA SER UM EXEMPLO A OUTRAS PESSOAS, MAITÊ PROENÇA SE IRRITOU. NO PASSADO, A ATRIZ JÁ CHEGOU A PERDER O BENEFÍCIO NA JUSTIÇA, SOB ALEGAÇÃO DE QUE VIVIA UMA UNIÃO ESTÁVEL, MAS ENTROU COM RECURSO E CONSEGUIU REAVER A DECISÃO


Imprimir página

Em entrevista exclusiva ao programa Mariana Godoy Entrevista, a atriz Maitê Proença falou sobre a pensão que recebe do governo desde o falecimento de seu pai, que trabalhava como Desembargador. A artista alegou, em resposta a uma internauta, que o benefício ocorre por conta dos pagamentos de impostos que seu pai fez em vida, destinados especificamente a se tornar uma pensão. A entrevista completa vai ao ar nesta sexta-feira (02), a partir das 23h.

Esse benefício que ela acha que eu recebo – que eles dizem que é de militar e meu pai nunca foi militar – meu pai pagou a vida inteira dele, então está pago (…) Saiu do salário dele mensalmente, isto foi um benefício pago pelo imposto, pelo imposto específico para isto”, argumentou Maitê sobre a pensão.

Na pergunta selecionada via redes sociais, lida no programa pelo repórter Mauro Tagliaferri, Maitê foi questionada se deveria ou não abrir mão do benefício para ser um exemplo a outras pessoas.

Em resposta, a atriz enfatizou que não precisa explicar como usa seus recursos financeiros: “Não vou discutir o que eu faço da minha vida privada e como eu distribuo meu dinheiro”, disse. “Ela [internauta que perguntou] não sabe se eu faço caridade ou não, se eu pego esse dinheiro e dou para alguém, ela não sabe nada disso. Eu prefiro fazer isso por conta própria do que dar na mão do governo”, pontuou.

Maitê ainda defendeu que as leis sobre o tema não devem ser aplicadas ao que já foi contribuído ao governo no passado. “Você não pode tirar retroativamente, você pode mudar a lei. Se a lei não servir mais para o país porque o país aumentou ou porque as circunstâncias são outras e a lei é antiga e obsoleta, ela tem que mudar depois. Ela não pode mudar para trás porque para trás já está pago”, justificou.

O pai da atriz, o procurador da Justiça Eduardo Gallo, faleceu em 1989 e o benefício da pensão é pago a ela pelo Governo do Estado de São Paulo. De acordo com a lei, Maitê tem direito a pensão permanente porque nunca se casou no papel. A atriz chegou a perder a permissão na Justiça, sob alegação de que vivia uma união estável, mas entrou com recurso e conseguiu reaver a decisão.

Fonte: 015 - Pragmatismo Político

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias