Quinta-Feira, 01 de Março de 2018 - 10:39 (Geral)

L
LIVRE

CONFÚCIO RECEBE DENÚNCIA, POR CARTA, E CLASSIFICA: 'ACHEI O DENUNCIANTE CORAJOSO'

Confúcio evitou explanar se vai ou não tomar medidas drásticas sobre a denúncia. Ele apenas disse que cabe o estado não se intimidar e manter o pulso firme contra a criminalidade, mas, exclusivamente sobre o problema em tese, pouco comentou.


Imprimir página

O governador Confúcio Moura (MDB) recebeu uma denúncia sobre as condições no Parque de Guajará-Mirim que vem sendo ocupado de forma irregular e que por conta disso sofre com a insegurança e tráfico de drogas. Ontém (28), Confúcio disse que a denúncia foi enviada por carta e que classificou o denunciante como “corajoso” e “intelectual”.

“Recebi uma carta denúncia, bem séria, afirmando que, mais dias ou menos dias o Parque de Guajará-Mirim será totalmente tomado por pequenos e grandes produtores. Segundo a denúncia, isto é certo. Profético. Porque o pessoal está dentro, olhando e demarcando. E sabe a hora que a fiscalização entra. Eles escondem. Deixam a Polícia passar e voltam as mesmas atividades”, escreveu Moura.

Confúcio evitou explanar se vai ou não tomar medidas drásticas sobre a denúncia. Ele apenas disse que cabe o estado não se intimidar e manter o pulso firme contra a criminalidade, mas, exclusivamente sobre o problema em tese, pouco comentou. O gestor maior do estado apenas tratou de “estudar” a figura do denunciante.  

“A carta é longa, bem escrita, traz fundamentos e diz que é corredor de tráfico de drogas e armas. A coisa é feia. É perigoso. Mas, cabe ao Estado não se intimidar. Continuar firme, fiscalizando, cuidando e protegendo o imenso patrimônio que é o belíssimo Parque de Guajará-Mirim. Achei o denunciante corajoso”, classificou o governador.

Ao concluir sua publicação, Moura diz que a denúncia apresenta embasamentos que testificam a falta de segurança no local e que a fiscalização torna-se efêmera. “Pela escrita, sem erros e com argumentos lógicos, trata-se de pessoa com ótima formação intelectual. E que aponta com “segurança” que o Estado é omisso e fraco no quesito fiscalização e destinação correta de tudo que o Parque pode oferecer ao homem de hoje e do futuro”, concluiu o executivo.

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias