Livre

Geral

OVOS DA DISCÓRDIA: CONFÚCIO CRITICA 'PERSEGUIÇÃO' AOS VENDEDORES DE OVOS DO INTERIOR

Inicialmente Confúcio fez um breve relato sobre como se expandiu a criação de galinhas e a exportação de ovos naquela região.
26/02/2018

O governador Confúcio Moura (MDB) teceu críticas, em seu blog, aos órgãos de fiscalização que vem praticando verdadeira “perseguição” aos criadores de galinhas poedeiras e vendedores de ovos no interior do estado.  Sob o título “Os ovos de Cacoal”, a publicação deste sábado (24) trouxe uma proposta de dialogo entre a Secretaria de Agricultura e as prefeituras de Ji-Paraná e Cacoal.

Inicialmente Confúcio fez um breve relato sobre como se expandiu a criação de galinhas e a exportação de ovos naquela região. Em seguida, justifica que muitos produtores querem trabalhar sob as condições impostas pela legislação, no entanto, o retardo da legalização acontece por falta de maquinário.

“De certo ponto para cá, ainda sem todos os equipamentos exigidos pela Vigilância (Idaron e Sanitária), trataram de se organizar, na forma da lei. A vontade de todos eles [produtores] para se legalizarem, é grande. E estão fazendo o dever de casa. Os galpões já estão erguidos. O maquinário virá do Estado na parceria com as agroindústrias”, descreveu.

Ainda na conversa aberta do executivo, ele denunciou que há alguns dias os órgãos de fiscalização apreenderam cargas e consecutivamente, por falta de insumo, houve rompimento com fornecedores e compradores. Moura comentou que o trabalho de fiscalização é válido, mas, vem acontecendo na hora errada.

“De poucos dias para cá tiveram cargas apreendidas. Os fornecedores anunciaram o rompimento das compras. E o céu escureceu, de repente. Muito ovo e pouca venda. Desde o ano passado que venho acompanhando estes produtores. São jovens. Geralmente trabalham em família. E a Secretaria de Agricultura do Estado vem monitorando as obras. E todo mundo animado. Claro que está certa a medida. Mas, ela veio numa hora errada do processo. O pessoal está metendo a cara no negócio, terminando as instalações, e este “baque” corta o combustível deles”, denunciou Moura.

Para resolver o imbróglio, o governador blogueiro propôs “que a Secretaria de Agricultura, nesta segunda-feira, junto com as prefeituras de Ji-Paraná e Cacoal possam encontrar a alternativa de transição. E que não prejudiquem os produtores. Porque a nossa política é de incentivo aos pequenos, para que possam expressar todo potencial empreendedor que têm”.

Alice Saito, produtora, pediu que medidas urgentes pudessem ser postas em prática e reiterou que os criadores estão encontrando dificuldades para cumprir com as determinações dos órgãos de fiscalização.

“Nós precisamos de tempo, porque muitas das exigências da Vigilância não depende só de nós, criadores de galinhas poedeiras, mas sim de máquinas que a industria brasileira não dispõe a fornecer a curto prazo. Sem falar no alto custo deste maquinário, que ocasiona uma concorrência desleal. Que haja cobrança para melhorias é bom e saudável para todos. O que não pode acontecer é,que essas medidas prejudiquem a economia local de cada município (...) Espero,que haja medidas urgentes, nos aparando”, Alice Saito respondeu.

Comentários

Outras Notícias

NEWS Polícia

Siga-nos:

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.