Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018 - 20:12 (Geral)

L
LIVRE

EXONERADA APÓS ENSAIO NU, EX-ASSESSORA DE VEREADORA RELATA ASSÉDIO E AFIRMA TER FEITO TRABALHO ARTÍSTICO

Confira o desabafo de Niuara Artiaga, que foi exonerada após ter ensaio nú divulgado.


Imprimir página

A ex-assessora de gabinete da Câmara Municipal de Cáceres, Niuara Artiaga, fez um desabafo nas redes sociais, nesta quarta-feira (21), após ela ter sido exonerada do seu cargo por fazer um ensaio fotográfico de nu artístico com o profissional Darlan Brunel. Ela, que é historiadora e assistente social, diz não se arrepender da escolha, relata que vem sofrendo assédio em seu perfil e pontua que a atitude é “consequência do machismo da nossa sociedade”.

Em seu desabafo, a modelo do ensaio fotográfico expôs a “situação constrangedora que venho passando em relação de ter realizado um ensaio fotográfico de Nu Artístico Feminino. Primeiro que fui exonerada do meu trabalho por ter feito o ensaio fotográfico. Segundo, eu tinha consciência dos possíveis assédios e comentários in Box e eu sempre soube lidar com isso em razão de ter minha vida sempre exposta e com fotos diversificadas nas redes sociais”.

Niuara afirma que diversos homens foram até o seu perfil para perguntar sobre valores para que ela desse uma “saidinha, passeio, ou o famoso PG [programa]”. Houve ainda aqueles que ofereceram dinheiro em troca das fotos: “Só quero esclarecer que realizei um trabalho artístico para as lentes de um profissional que visou divulgação do teu trabalho enquanto fotógrafo, sem abono ou presentinhos por isso”.

“Esse tipo de atitude infelizmente é uma consequência do machismo da nossa sociedade, que naturalizada a ideia de que mulheres estão sempre disponíveis e interessadas pelo ato sexual e ainda são consideradas vulgares. Eu, enquanto MULHER, historiadora e assistente social devo sim levantar a voz contra o assédio sexual no contexto das redes sociais, e já informo as mulheres e homens que isso não tem nada haver com moralismo, e sim com o respeito”, diz outro trecho da postagem.

Por fim, Niuara mandou uma mensagem às mulheres para que elas não se sintam acuadas e intimidadas em fazer o que sentem vontade ou para recusar um avanço sexual — seja ele ao vivo ou pelas redes sociais. Por fim, ainda lembrou aos que a importunam que “cantada invasiva pode ser considerada uma contravenção penal de importunação ofensiva ao pudor, definida pelo artigo 61 da Lei de Contravenções Penais (Lei nº 3688/41)”.

A exoneração aconteceu no dia 16 de fevereiro, dois dias após a publicação da foto.

"Galera venho aqui expor uma situação constrangedora que venho passando em relação de ter realizado um ensaio fotográfico de Nu Artístico Feminino. Primeiro que fui exonerada do meu trabalho por ter feito o ensaio fotográfico. Segundo eu tinha consciência dos possíveis assédios e comentários in Box e eu sempre soube lidar com isso em razão de ter minha vida sempre exposta e com fotos diversificadas nas redes sociais. No entanto tem muito "Homem" sendo incoveniente e ofensivo querendo saber valores pra eu me sujeitar a uma saidinha, passeio, ou o famoso PG e até a compra das fotos!!

Só quero esclarecer que realizei um trabalho artístico para as lentes de um profissional que visou divulgação do teu trabalho enquanto fotógrafo, sem abono ou presentinhos por isso.

E venho informar que NÃO SOU GAROTA DE PROGRAMA como tem gente imaginando apenas por eu ter feito esse ensaio fotográfico.

Esse tipo de atitude infelizmente é uma consequência do machismo da nossa sociedade, que naturalizada a ideia de que mulheres estão sempre disponíveis e interessadas pelo ato sexual e ainda são consideradas vulgares.

Eu, enquanto MULHER, historiadora e assistente social devo sim levantar a voz contra o assédio sexual no contexto das redes sociais, e já informo as mulheres e homens que isso não tem nada haver com moralismo, e sim com o respeito. Por isso digo: mulheres não se sintam acuadas e intimidadas em fazer o que sente vontade ou para recusar um avanço sexual — seja ele ao vivo ou pelas redes sociais.

E tem mais: cantada invasiva pode ser considerada uma contravenção penal de importunação ofensiva ao pudor, definida pelo artigo 61 da Lei de Contravenções Penais (Lei nº 3688/41)

#SouMulherãoDaPorra 😘😘😘"

Confira abaixo a portaria com a exoneração:

PORTARIA Nº 12/2018

O PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE CÁCERES, ESTADO DE MATO GROSSO, no uso de suas prerrogativas legais e regimentais;

R E S O L V E:

Art. 1º EXONERAR, a Servidora NIUARA JÉSSICA ARTIAGA SILVA, sob a Matricula 585, do cargo de Assessora de Gabinete da Câmara Municipal de Cáceres-MT, nível CC-04, a que alude o Anexo II da Lei Complementar nº 111, de 10 de fevereiro de 2017, vinculado ao Regime Geral da Previdência Social-INSS, a partir de 16 de fevereiro de 2018.

Art. 2º Esta Portaria entrará em vigor a partir de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, em especial a Portaria nº 038 de 03 de fevereiro de 2017.

Câmara Municipal de Cáceres-MT, 16 de fevereiro de 2018.

Domingos Oliveira dos Santos

Presidente

Alvasir Ferreira de Alencar

 

1º Secretário

Fonte: 012 - Wesley Santhiago/Olhar Direto

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias