Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018 - 15:34 (Geral)

L
LIVRE

EXEMPLO: MORADORES DO COHAB DÃO EXEMPLO E APÓS LIMPEZA, PRESERVAM CANA

Até placa caseira foi instalada para alertar os "sujões" e ajudar na fiscalização para que ninguém jogue lixo.


Imprimir página

Diferente de vários pontos da cidade, principalmente dos canais – que são constantemente alvos de crimes ambientais, com a destinação irregular de lixo e entulhos – moradores da zona Sul de Porto Velho estão dando exemplo. Após equipes de limpeza da Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) terem realizado a limpeza do canal nas proximidades da rua Arruda, os moradores passaram a preservar o local e estão ajudando na fiscalização para que ninguém jogue lixo novamente.

Antes mesmo que a prefeitura tomasse a iniciativa de instalar uma placa, orientando sobre crime ambiental e alertando para que não jogue lixo no canal, os próprios moradores colocaram uma, para alertar os "sujões", mas também como sinal de que eles sabem da importância de se preservar o igarapé e querem a colaboração de todos.

Para Wellem Prestes, subsecretário da Semusb, uma ação de extrema importância para a prefeitura e sobretudo para os próprios moradores. “Quando o canal está limpo, sem lixo, entulho, a água escola rapidamente, não transborda e não causa alagamentos e prejuízos. Infelizmente, entretanto, o que mais vemos na cidade são canais os quais nossa equipe limpa em um dia e no outro lá está um sofá velho, colchão, fogão, garrafas e outros entulhos. Agora, para nossa surpresa e alegria encontramos esse bom exemplo dos moradores. Se em todos os nossos canais isso acontecesse, estaríamos deslocando as equipes para outros pontos da capital para ampliar as frentes de trabalho”, destacou o secretário.

O canal dessa região, a exemplo dos demais, desde o ano passado vem recebendo atenção por parte da Semusb. Mas agora a equipe tem apenas roçado o mato que cresce rapidamente devido ao período das chuvas. “Se não limparmos os canais que são tomados por lixo, eles vão dar dor de cabeça para todos que moram no entorno. Então, iniciativas como essa nos deixam muito felizes, pois quando os moradores fazem isso eles não só contribuem para a qualidade de vida da sua comunidade, como também valorizam o serviço que estamos realizando e o investimento público que é feito pela prefeitura”, observou Prestes.

CRIME AMBIENTAL

A legislação prevê multa de 10 a 2.500 UPFs, o que representa valores entre R$ 700 a R$ 175 mil para destinação de lixo no meio ambiente. A Prefeitura de Porto Velho, por meio da secretaria de Meio Ambiente, disponibilizou o número de whatsapp 9 9374-8556, para recebimento de denúncias, fotos e vídeos não só de descarte irregular de resíduos, como também de queimadas e outros crimes ambientais. O setor de fiscalização da Semusb também deixa à disposição da população o 0800 647 1390.

Fonte: 012 - SEMUSB

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias