Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2018 - 20:59 (Colaboradores)

L
LIVRE

PIRARUCU DO MADEIRA EXALTA BLOCOS ANTIGOS COM FREVO E ESTANDARTES

Blocos como Rei da Selva, Lira do Amor, Triângulo Não Morreu, Oxerevause, Cobra e Piranhas serão exaltados com o frevo e também estandartes.


Imprimir página

“Queria ver de novo” é o título do frevo composto por Oscar Knightz e Thobá para o desfile do bloco Pirarucu da Madeira que completa 25 anos.

Interpretado por Toninho Tavernard, lembra a história de blocos que deram início à tradição carnavalesca em Porto Velho.

Blocos como Rei da Selva, Lira do Amor, Triângulo Não Morreu, Oxerevause, Cobra e Piranhas serão exaltados com o frevo e também estandartes.

O fundador do bloco, o advogado Ernande Segismundo, diz que a intenção é provar a resistência do carnaval popular, pois muitos blocos mantém o formato dos que surgiram ainda na década de 20.

“Será mágico mostrar aos novos foliões a força da tradição. O frevo atende a um apelo dos que sentem saudades do carnaval de graça, colorido e belo. Agradecemos imensamente o presente que Oscar e Thobá deram ao bloco e também ao Toninho que gravou alegremente”, disse Segismundo.

O desfile acontece dia 04 de fevereiro, na avenida Pinheiro Machado, ao lado do Poliesportivo Deroche Pequeno Franco. A concentração começa às 15 horas e por volta das 17 horas a orquestra Puraqué puxa os foliões.

O bloco Pirarucu do Madeira só cobra alegria. Não há venda de abadás, nem cordas que separem os foliões.

O uso da fantasia é estimulado e o trio elétrico foi dispensado há alguns anos para que o formato seja o mais tradicional possível.

QUERIA VER DE NOVO

Composição: Oscar Knightz e Thobá
Intérprete: Toninho Tavernard

O TEMPO VAGUEIA

VAGUEIA E ME FAZ LEMBRAR

OS CORSOS, BLOCOS DE SUJOS

DOS ANTIGOS CARNAVAIS

QUANTA SAUDADE ME DÁ

 

CADÊ DONA JOIA, PROF. INÁCIO

O BLOCO DA COBRA, OXEREVAUSE

CADÊ O REI DA SELVA, OS FOLIÕES

NOS BAILES E NOS SALÕES

 

QUERIA VER, LIRA DO AMOR

O SOL E A CHUVA NO APOGEU

AS PIRANHAS, O PURGATÓRIO

E O TRIÂNGULO NÃO MORREU

 

A SAUDADE BATEU EM MIM

NÃO VOU CHORAR, VOU CANTAR

NO PIRARUCU DO MADEIRA

SOU RESISTÊNCIA POPULAR.

Fonte: Luciane Oliveira / NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias