Quarta-Feira, 10 de Janeiro de 2018 - 10:40 (Colaboradores)

L
LIVRE

PLANO DE SEGURANÇA NOS PRESÍDIOS - POR CARLOS SPERANÇA

Com a situação agravada e vários Estados pedindo forças nacionais para controlar seus presídios, o que se vê é a esfera federal perdida quanto à situação.


Imprimir página

Como nos governos Lula e Dilma, quando as crises nos presídios e a criminalidade foram às alturas, o presidente Michel Temer (PMDB) lançou mais um Plano Nacional de Segurança, seguindo as práticas e falácias de gestões anteriores que não foram adiante. Nos governos petistas, como se recorda, tinha plano nacional para todos os gostos. A grande maioria não saiu do papel, e aqueles iniciados não tiveram sequência.

Com a situação agravada e vários Estados pedindo forças nacionais para controlar seus presídios, o que se vê é a esfera federal perdida quanto à situação. Algumas medidas são encaradas de emergência, como controlar as fronteiras do Brasil com o Paraguai, Bolívia, Peru e Colômbia; e a origem do tráfico de drogas e de armas para o Brasil.

Mesmo com as fronteiras com o Paraguai, no Paraná e Mato Grosso do Sul fortemente controladas, a criminalidade desandou no Sul e no Sudeste brasileiros. Pior é a situação das fronteiras do Brasil com a Bolívia. Só Rondônia tem mais de mil quilômetros de porteira aberta para o crime organizado. Não é à toa que Rondônia, Acre e o Amazonas estão com seus presídios abarrotados de traficantes e de lideranças das facções criminosas.

Lançamento

O PT rondoniense programou o lançamento, no próximo dia 19, do seu candidato ao governo, Marcos Pereira; e postulante ao Senado, Terrinha, em ato programado para ocorrer na sede do Diretório Estadual. O partido formou forte chapa de postulantes à Assembleia Legislativa liderada pelo ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho e pelo deputado estadual Lazinho da Fetagro, que pleiteia a reeleição, pelo município de Jaru e a região da Bacia Leiteira.

O monitoramento

A imprensa acriana e as lideranças políticas e empresariais do vizinho Estado começaram a monitorar com preocupação a situação do rio Madeira, que já dá sinais para uma grande cheia nesta temporada. A grande preocupação da população acriana é com relação ao abastecimento, já que na cheia histórica de 2014 o Estado foi seriamente prejudicado com a interrupção da rodovia 364. E passados três anos, a ponte na altura do Abunã continua em obras e não deve socorrer os acrianos tão cedo.

Ano favorável

Os técnicos de planejamento da esfera estadual acreditam em um ano favorável para a economia de Rondônia, e projetam um PIB de 5% para o Estado alavancado pelo agronegócio, com grande participação nas exportações de carne, na produção do leite e seus derivados, com o pescado numa crescente, na produção mineral e no novo motor da economia estadual, que é a produção da soja, que se espraia de Cerejeiras, no Sul a Nova Mamoré, já no Vale do Guaporé.

Início difícil

É um início de ano difícil para a administração do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSDB). Chove muito na capital e as alagações se multiplicam geometricamente e atingem de rijo as regiões mais baixas. Atualmente todos os acessos para a populosa região do Setor Chacareiro – caso das ruas e avenidas que cortam os bairros Pantanal, Jardim Santana e Socialista – estão esburacadas e gerando reclamações generalizadas da população.

Via Direta

*** Com os recentes “dilúvios”, a situação das estradas vicinais da zona rural do município já é preocupante. Os produtores rurais encontram dificuldades de acesso à cidade de Porto Velho *** Já tem chapa pronta para disputar o governo do Estado, com candidato ao governo, seu vice, dois postulantes ao Senado e as nominatas das coligações para federal e estadual definidas *** É a aliança liderada pelo PDT/PSB/DEM botando seu bloco na rua, logo depois do carnaval…

Fonte: Carlos Sperança - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias