Quarta-Feira, 03 de Janeiro de 2018 - 11:32 (Geral)

L
LIVRE

ONDA DE ASSALTOS E ARROMBAMENTOS TIRA A TRANQUILIDADE DA POPULAÇÃO DA PERIFERIA LESTE

Nos últimos dois meses de 2017, ao menos uma dezena de pequenas propriedades rurais foram assaltadas ou arrombadas. Chácaras e sítios viraram alvo de criminosos, sobretudo na região Leste desta Capital.


Imprimir página

Porto Velho, Rondônia – As quadrilhas que praticam assaltos, arrombamentos e que atuam também no comércio formiguinha de drogas na periferia da cidade ainda não foram presas.

A tranqüilidade na zona rural e urbana vizinhas aos setores chacareiros no Jardim Santana, Ulysses Guimarães, Marcos Freire e Linhão da Eletronorte já não é a mesma, dizem a parte maior das associações de produtores da agricultura familiar dentro das associações da categoria chacareira.

Nos últimos dois meses de 2017, ao menos uma dezena de pequenas propriedades rurais foram assaltadas ou arrombadas. Chácaras e sítios viraram alvo de criminosos, sobretudo na região Leste desta Capital.

No início e final de dezembro passado, três potenciais ladrões dinheiro, eletro-doméstico (geladeiras, freezers, fogões, liquidificadores e máquinas de lavar). Além de aparelhos digitais, entre TV de LED, relógios, celulares e veículos.

Alguns dias, num dos casos mais espetaculares, dois jovens armados renderam uma família à porta da casa e fizeram à limpa, levaram o televisor de LED, celular, jóias e dinheiro.

- Não passava das 19 horas, apontou um líder chacareiro do Jardim Santana, que reúne o maior número de propriedades do cinturão verde de Porto Velho.

A onda e de assaltos e arrombamentos de propriedades rurais na periferia Leste da cidade, agora, atribuída a criminosos que controlariam ‘bocas de fumo’ da divisa com Ulysses Guimarães e Marco Freire, tem se constituído um grande desafio a Policia.

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias