Quinta-Feira, 28 de Dezembro de 2017 - 10:36 (Colaboradores)

L
LIVRE

AS 10 FRASES QUE MELHOR DEFINEM 2017, ANO EM QUE OS IDIOTAS PERDERAM A MODÉSTIA

As frases ditas pelos luminares brasileiros também definem o Brasil de 2017, o ano em que, como diria Nélson Rodrigues, os idiotas perderam a modéstia.


Imprimir página

DCM, por Joaquim de Carvalho – Como a época é de retrospectiva, decidi fazer a minha, com as 10 frases que melhor sintetizam o que foi o Brasil de 2017.

Não refletem mensagens propriamente grandiosas, como frases de Abrahan Lincoln (…"não se pode enganar a todos durante todo o tempo”…), Churchill (…“sangue, suor e lágrimas”..) ou Chê Guevara (“hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás”), definidoras de uma época.

As frases ditas pelos luminares brasileiros também definem o Brasil de 2017, o ano em que, como diria Nélson Rodrigues, os idiotas perderam a modéstia. Seguem as frases:

Amados, decidi que vou trabalhar de graça para a Prefeitura. Como frequentadora assídua, vou inspecionar os banheiros do Parque Ibirapuera.

Janaína Paschoal, a jurista do impeachment de Dilma. Em 1/01.

“Eu fui num quilombola em Eldorado Paulista. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem pra procriadores servem mais”.

Jair Bolsonaro, durante palestra na Hebraica do Rio de Janeiro. Em em 03/04.

"Tem que manter isso, viu?”.

Michel Temer a Joesley Batista, quando este falava sobre propinas pagas a Eduardo Cunha na cadeia. Em 17/05.

“Tem que ser um que a gente mate antes de fazer delação”.

Aécio Neves, senador, na conversa gravada com Joesley Batista. Em 17/05.

O ministro Marco Aurélio Mello, do STF:

“O agravante (Aécio neves) é brasileiro nato, chefe de família, com carreira política elogiável”.

Marco Aurélio Mello, ministro do STF. Em 30/06.

"Entendo que não houve que não houve constrangimento, tampouco violência ou grave ameaça, pois a vítima estava sentada em um banco de ônibus quando foi surpreendida pela ejaculação do indiciado."

José Eugênio do Amaral Souza Neto, juiz de direito. Em 30/08.

"Foi nesse momento que o dr. Emílio Odebrecht fez uma espécie de pacto de sangue com o presidente Lula."

Antônio Palocci, ex-ministro da Fazenda. Em 06/09.

“Muita gente confunde militarismo com ditadura. Nós não vivíamos numa ditadura, vivíamos num militarismo vigiado.”

Zezé Di Camargo, cantor sertanejo. Em 12/09.

“O alimento utilizado é o mesmo que os astronautas comem quando vão em missões espaciais.”

João Doria, prefeito de São Paulo. Em 12/10.

“O trabalho executado sem a correspondente remuneração, sem sombra de dúvida, se assemelha a trabalho escravo.”

Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos. Em 02/11, ao pedir salário de R$ 61 mil.

Fonte: Luciane Oliveira

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias