Sexta-Feira, 22 de Dezembro de 2017 - 08:53 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA: 36 ANOS DE CRIAÇÃO DO ESTADO

Apesar de não se comemorar oficialmente, a data é importante para nossa história.


Imprimir página

Neste dia 22 de dezembro do ano de 2017, o estado de Rondônia completa 36 anos de criação. Apesar de não se comemorar oficialmente, a data é importante para nossa história.

Poucos estados da federação têm uma história tão bonita, como a do nosso estado de Rondônia. Desde os primórdios, quando as terras que formam nosso estado, pertenciam aos estados do Mato Grosso e Amazonas, a história é rica em pormenores.

Começa com a tentativa da construção da Ferrovia Madeira Mamoré ainda no século XIX e passa pelo Vale do Guaporé com a chegada dos quilombolas que fugiam do chicote dos feitores das fazendas mato-grossenses.

E chega aos dias atuais, depois de passar pelos ciclos da borracha, da construção da Madeira Mamoré, do minério manual da cassiterita, da extração de ouro no rio Madeira e por aí vai.

Rondônia da colonização agrária que começou na década de 1970. Rondônia do cacaeiro pioneiro e corajoso que enfrentou chuva, lama e muito sol, além de muita fera como onça, cobra e tantas outras das quais, a pior, eram os “Jagunços” contratados por latifundiários, para eliminar na bala, os colonos que chegavam na esperança de dias melhores.

O estado de Rondônia foi criado através da Lei Complementar nº 41, de 22 de dezembro de 1981. Assinada ou sancionada pelo presidente João Batista de Figueiredo.

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:

CAPÍTULO I - Da Criação do Estado de Rondônia

Art. 1º - Fica criado o Estado de Rondônia, mediante a elevação do Território Federal do mesmo nome a essa condição, mantidos os seus atuais limites e confrontações.

Justamente em 1981, após uma campanha dos defensores do nosso maior patrimônio histórico, o então governador doTerritório Federal de Rondônia Jorge Teixeira de Oliveira colocou o trem pra rodar de Porto Velho a Santo Antônio, foi uma festa sem precedente.

Hoje, passados 36 anos da criação do estado. O trem que deu origem, pelo menos à capital Porto Velho, está jogado às traças. Quando vejo uma autoridade se vangloriar durante um evento natalino, porque conseguiu que a Sirene que nunca foi da Madeira Mamoré e sim a Usina do SALFT, apitasse numa noite onde a festa era para o Papai Noel. Fico pensando cabreiro:

Será que a Santo Antônio Energia vai mesmo, revitalizar a Madeira Mamoré, não digo nem que faça o trem voltar a correr pelos lendários trilhos, mas, que pelo menos construa uma frente digna de uma capital de estado à beira do Rio Madeira.

Revitalizar o cemitério da Candelária, depois que a especulação imobiliária praticamente já ocupou toda a área!

Não seria o caso de o MP e o IPHAN reivindicarem a reintegração de posse daquela área, do que desenterrar as cruzes que estão nas covas, que um dia abrigaram corpos das vítimas da Malária, Beribéri e outros males que assolavam a região, no tempo da construção da ferrovia?

Não tem português que me convença, que ainda exista alguma coisa original (exceção das peças das composições do trem), no complexo ferroviário?

Só para lembrar os que se dizem defensores do patrimônio da EFMM. O pátio de manobras, foi todo descaracterizado quando o governador do estado era o Dr. Oswaldo Piana.

Pois é, foi o Piana enquanto governador, que mandou arrancar os trilhos do pátio e construiu o que chamamos de complexo, mas, que foi inaugurado pelo governador e toda sua equipe, como “Praça da Madeira Mamoré”.

O interessante mesmo, é que hoje dia 22 de dezembro, é o dia que o estado completa oficialmente, 36 anos de criação.

O resto é conversa fiada!

Fonte: 012 - Silvio Santos/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias