Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017 - 15:17 (Cidades)

L
LIVRE

GOVERNO FORMALIZA PROJETO PARA COMBATE RACISMO E INTOLERÂNCIA RELIGIOSA DURANTE WORKSHOP EM PORTO VELHO

Rondônia deu um importante passo na luta contra discriminação racial e a religiosa, durante workshop realizado nesta sexta-feira (15), no Rondon Palace Hotel em Porto Velho


Imprimir página

O evento buscou conscientizar a importância do respeito às religiões de matrizes africanas, promovendo o debate, a reflexão e o encaminhamento de ações em um projeto para a superação de violações de direitos, do racismo e o combate à discriminação religiosa.

O workshop pelas Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania e a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) em parceria com e a Secretaria de Políticas Públicas de Promoção da igualdade Racial(SEPPIR) como parte das ações do Programa Rondônia Mais Segura.

O evento contou com a participação do secretário-adjunto de Segurança, Luiz Roberto de Mattos e de religiosos de matriz africana, conselheiros municipais e estaduais, membros da OAB Rondônia, Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e sociedade civil organizada ligadas ao movimento negro.

Durante todo o dia, foram debatidos diversos eixos ligados ao tema central “A criação e implantação de um Núcleo de Especializado em Crimes Raciais e Discriminação Religiosa” com realização da palestras Racismo: os contrastes de nosso Estado, instalação e boas práticas da delegacia especial de repressão aos crimes de discriminação racial, religiosa, orientação sexual, contra idosos e da pessoa com deficiência e o Brasil na década dos afrodescendentes.

O Brasil é o país com a maior população negra fora do continente africano. É a segunda maior do mundo, atrás apenas da Nigéria. O Estado de Rondônia também não é diferente possui 68% da população formada por negros, conforme levantamento da SEPPIR do Ministério dos Direitos Humanos.

Na abertura do evento, o secretário-adjunto, Luiz Roberto, falou sobre a realidade do negro no Brasil e destacou a importância de se discutir políticas públicas que fortaleçam a luta contra o preconceito e das diretrizes do programa Rondônia Mais Segura.

Segundo o Assessor da Ouvidoria da Sesdec, Tiago Felipe, o Programa Rondônia Mais Segura se direciona em conjunto com os demais órgãos do Estado e com a Sociedade Civil organizada para debater este tema.

“O que devemos compreender é que se enganam aqueles que pensam que o Racismo associa-se tão somente ao preconceito contra os negros, é indiscutível que os atinjam em maior grau, contudo, as atitudes racistas são contra qualquer raça ou etnia, sejam negros, asiáticos, brancos e índios. O Brasil é laico justamente porque prega a liberdade religiosa para quem deseja professar sua fé, ou a ausência dela, a partir do pressuposto de que todos são iguais perante a Lei, com os mesmos direitos e deveres”, destacou.

Para a presidente da Federação dos Cultos Afros Religiosos do Estado, Mãe Nilda, toda e qualquer ação que venha em defesa e luta em prol das comunidades de matrizes africanas e de outros povos é bem vinda. “Esse evento é de suma importância para as comunidades de terreiro, que diariamente sofre com o preconceito, intolerância e racismo. A criação  e implantação desse núcleo é um olhar a mais do Governo para as nossas comunidades, garantindo o direito de todos”.

O governador Confúcio Moura participou da abertura do Workshop dando boas vindas a todos através de vídeo conferência.  Ele informou, que além de acolher o cidadão que tenha sido vítima, será oferecido atendimento psicológico e social. “O Estado quer implantar esse núcleo, pois já havia realizado o alinhamento em um momento anterior. Portanto, agora é só partir para ação”.

Fonte: 010 - SECOM-GOV/BR

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias