Segunda-Feira, 11 de Dezembro de 2017 - 09:27 (Geral)

L
LIVRE

PAPAI NOEL ROUBA A CENA DURANTE ABERTURA DO NATAL DE LUZ 2017 NA MADEIRA MAMORÉ, NO DOMINGO 10

Em grande estilo, a personagem do imaginário das crianças posou para fotos, abraçou e beijou crianças e liderou uma grande ‘Papai Noel Caminhada’ em meio ao público.


Imprimir página

Porto Velho, Rondônia – Com ares momentâneos de cidade sulista e européia, esta Capital vestiu-se de alegria e comodidade aparente para enfrentar uma grande maratona de festas até a chegada do duo natalino, cuja programação oficial poderá esticar-se ao Dia dos Reis (6 de janeiro) para romper com o ano velho.

É que o Papai, diante de um público calculado de mais de 2,5 mil pessoas, pela vez primeira, chegou às crianças porto-velhenses vindo num pequeno ‘pássaro de aço’ (helicóptero da SESDEC) num heliporto improvisado na Estrada de Ferro Madeira Mamoré (EFMM).

O ‘Bom Velhinho’, desta vez, não desceu pela ‘chaminé’, mas usou uma aeronave para abrir a programação oficial da Prefeitura para o ‘Natal de Luz 2017’. Em grande estilo, a personagem do imaginário das crianças posou para fotos, abraçou e beijou crianças e liderou uma grande ‘Papai Noel Caminhada’ em meio ao público.

Saído do seio do Grupo Teatral Êxodus’, o Papai Noel - que não teve o homem pelo presidente da Fundação Cultural, Antônio Ocampo -, ainda assim, ‘foi à atração máxima do momento’ entre a petizada que se aglomerou numa área reservada à aterrissagem.

Em entrevista, Papai Noel – ricamente caracterizado – desejou um bom Natal e paz duradoura para todos e que os bons fluidos arraigados na alegria, no amor e na felicidade sejam derramados sobre as crianças, nos idosos e nos enfermos de casa e nos hospitais’.

Irradiando alegria e serenidade, o ‘Bom Velhinho’ atraiu para selfies os presidentes da Fundação Cultural e da EMDU, respectivamente, Antônio Ocampo e Breno Mendes, que, ‘emocionados, se demoraram coladinhos nele até momentos antes da decolagem do helicóptero até a sua base operacional’.

- Custos paralelos advindos da montagem de estrutura física, adornos, ornamentações e peças de época, saíram de contribuições voluntárias de grandes empresas já parceiras e apoiadoras das ações sociais e culturais do município.

Diferentemente, de outras gestões, Ocampo, fez questão de citar que, ‘o papai Noel é daqui, do nosso meio artístico e cultural’; e que, no Natal deste ano foram reaproveitados peças, materiais, equipamentos e acessórios usados na administração Mauro Nazif.

Segundo programação oficial, depois do frisson causado por conta e risco da chegada do Papai Noel, o prefeito Hildon Chaves - que tinha hora marcada para pisar o palco, exatamente, às 19h30, foi surpreendido com o aguaceiro que caiu sobre o Complexo Ferroviário da Madeira Mamoré, afugentando a parte maior do grande público.

Nem por isso, a festa – que parecia ser a coqueluche do momento - por sua grandeza e força participativa entre Prefeitura, apoiadores, parceiros e coadjuvantes – não foi dada como encerrada e continuou nos intervalos da chuva uma que, o prefeito e sua entourrage e o próprio Papai Noel, abrigaram-se no palco em forma de concha marinha e nas barracas dos artesãos.

Após a tempestade, de pouco menos 30 minutos, a programação foi retomada e o público já não era o mesmo que disse ‘sim’ desde as primeiras horas da tarde deste domingo (10). O dia se apresentava de muito sol e temperatura no período e não de mau tempo, mas não deu outra: chuva forte, ventos e alagações em vários ambientes no entorno do palco, das barracas e os galpões. 

Fonte: NewsRondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias