Terça-Feira, 05 de Dezembro de 2017 - 09:38 (Geral)

L
LIVRE

SECRETÁRIO DA SEMAGRIC QUE AINDA NÃO RECUPEROU ESCAVADEIRA ROUBADA EM FAZENDA DE CUJUBIM PODE RESPONDER EM JUÍZO

Caso o secretário Francisco Evaldo de Lima, apesar das investigações estarem a cargo do gabinete do Prefeito e da Casa Militar, ‘ele deve comparecer em Juízo para prestar esclarecimentos sobre o caso’.


Imprimir página

Porto Velho, Rondônia – Apesar de que não estava licenciada para extrair cascalhos em reservas ou em propriedades privadas ao longo da BR-319, a escavadeira automática (PC), modelo News Holand, roubada de uma fazenda no Distrito de Cujubim, era usada na correção de pontos críticos em vicinais e abertura de tanques de peixes a produtores e agricultores.

Com o roubo – ainda não esclarecido pelo secretário Francisco Evaldo de Lima, titular da Secretaria Municipal de Agricultura, SEMAGRIC – os prejuízos continuam imensuráveis aos pequenos agricultores e chacareiros dos ramais ao longo das BRs-319 e 364. Por do inverno rigoroso estão impedido de participar do Dia de Campo previsto para o próximo dia 16 deste mês.

Em que pese o prefeito Hildon Chaves tenha determinado o uso de um helicóptero privado às buscas em Porto Velo e no interior do Amazonas, segundo um membro do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável, ‘a escavadeira ainda encontra-se em lugar incerto e não sabido’.

De acordo o que dispõe no contrato de cedência de recursos estaduais para o município de Porto Velho, através da subscrição entre a secretaria de Agricultura (SEMAGRIC) e a Secretaria de Finanças do Estado (SEFIN), ‘o valor da PC está avaliado acima de R$ 600 mil’.

Caso o secretário Francisco Evaldo de Lima, apesar das investigações estarem a cargo do gabinete do Prefeito e da Casa Militar, ‘ele deve comparecer em Juízo para prestar esclarecimentos sobre o caso’.

A escavadeira roubada da fazenda do produtor de pré-nome BARATA, em Cujubim, era usada em serviços de abertura de tanques de peixe, recuperação de vicinais e extração de cascalhos ao longo de toda a BR-319 – mesmo sem licenciamento.

Agricultores das Linhas C-1 e C-10 (Km 33) e do Ramal do Índio, no quilômetro 114, da BR-319, rumo a Humaitá, sul do Amazonas, atribuíram o roubo da escavadeira à chefia do setor de estradas. Segundo eles, ‘a SEMAGRIC não teve o cuidado de construir um termo de compromisso com o dono da fazenda onde a máquina foi roubada, misteriosamente’.

De acordo com o consultor João Roberto Lemes, ‘o município tem prazo para apresentar o equipamento roubado e cumprir com o objeto do convênio com o Estado’, sob o risco de devolver o valor pago pelo bem que está sob sua guarda por força do convênio com o Fundo Para Investimentos em Transporte e Habitação (FITHA).

Na gestão passada, todos os equipamentos da patrulha mecanizada da SEMAGRIC e SEMOB, segundo parte de ex-técnicos da garagem municipal, ‘eram monitorados através de sinais de satélites’.

No governo do tucano Hildon Chaves, ‘o contrato com a empresa que fazia o monitoramento, misteriosamente, foi suspenso’. E lembraram que, um trator de esteira de marca Komatsu, modelo D-51,  foi roubado, mas logo achado na localidade de Areia de Branca, zona urbana da Capital.

Fonte: NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias