Segunda-Feira, 04 de Dezembro de 2017 - 21:47 (Polícia)

10
Não recomendado para menores de 10 anos

ADVOGADO DO COMANDO VERMELHO É INDICIADO POR DANO AO PATRIMÔNIO APÓS 'SURTAR' EM PRISÃO

O advogado acabou preso após ter vazados vídeos em que mostrava armas de fogo, munições e afirmava pertencer e defender o Comando Vermelho, inclusive citando nomes de pessoas já condenados por ter ligação com o grupo criminoso.


Imprimir página

O advogado Manoel Elivaldo Batista de Lima Júnior, que afirmou em vídeo ser membro do Comando Vermelho, uma das facções criminosas que atuam no Acre, foi levado à audiência de custódia no domingo, dia 03, após destruir parte da cela em que está preso, no Batalhão Ambiental, em Rio Branco.

O advogado acabou preso após ter vazados vídeos em que mostrava armas de fogo, munições e afirmava pertencer e defender o Comando Vermelho, inclusive citando nomes de pessoas já condenados por ter ligação com o grupo criminoso. Ele está preso há cerca de 10 dias.

Segundo apurou ac24horas, Manoel Elivaldo foi ouvido pelo juiz plantonista após o indiciamento. Ele vai continuar preso no Batalhão Ambiental por ter nível superior. Mas um detalhe aumenta a necessidade de mantê-lo separado dos demais detentos: a afirmação de pertencer ao Comando Vermelho.

A reportagem tentou contato com o advogado Silvano Santiago, mas até a tarde desta segunda-feira, dia 04, não obteve êxito. O celular só dava desligado até as 18 horas. Santiago, contudo, conversou com o ac24horas na semana passada, quando afirmou que não iria pedir a liberdade do advogado preso.

“Ele está sendo ameaçado pelo Comando Vermelho, da qual ele dizia participar, e pelo Bonde dos 13. E eu já conversei com a família e achamos por bem não pedir a liberdade porque ele tá mais seguro lá (na prisão), porque ele também não está no Francisco D’Oliveira Conde, do que aqui fora”, revelou.

Santiago pediu à Justiça que Manoel passe por exames para avaliação da sanidade mental. A tese da Defesa é que Manoel tem problemas mentais. Mas o exame pode demorar mais de um mês para ser realizado e, enquanto isso, Júnior deve permanecer preso.

Manoel Elivaldo teve a inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) suspensa preventivamente pelo prazo de 90 dias. Ele foi preso no dia 24 de novembro pela Polícia Civil, minutos após comparecer para prestar esclarecimentos. Manoel vai responder pelos crimes de porte ilegal de arma, disparo de arma de fogo e associação criminosa.

Fonte: ac24horas

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias