Sabado, 02 de Dezembro de 2017 - 10:02 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: CADEADO DEFEITUOSO - POR LEO LADEIA

Os dois são parte do esquema que movimentou R$ 260 milhões em propina, mas a última prisão de ambos, neste mês, aconteceu no âmbito da Operação Cadeia Velha, que apura corrupção, formação de bando, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Alerj.


Imprimir página

O grupo Globo precisa começar a usar consigo mesmo os critérios que emprega com alguns terceiros. Critérios que o levaram a pedir a cabeça de Michel Temer antes mesmo de uma investigação formal.Reinaldo Azevedo, jornalista

1-“Mingana que eu gostio”

Vá tentar entender a República Sindical Brasileira que nos seus estertores ainda consegue dar um ar de seriedade produzindo numa nota conjunta de CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e a CSB uma autêntica piada bem brasileira: “Diante da informação que a proposta de reforma da Previdência não será votada na próxima semana, decidimos suspender a greve marcada para 5 de dezembro.” Tradução: a greve só vai ocorrer por conta da votação, ou seja, apenas em função da forma e não do conteúdo. (*)oda-se se a reforma será aprovada ou não. O que vale é o barulho no dia da votação e dar visibilidade aos marcados de sempre para disputar as eleições de 2018.      

2-Radicalizando

João Amoêdo quer ser presidente do Brasil e como é uma tarefa quase impossível para ele e seu “Partido Novo” provoca para marcar espaço: “Nós achamos que o Estado não tem de ter nenhuma empresa. Somos favoráveis a privatizar Banco do Brasil, Caixa, Petrobras.

Não teríamos nenhum problema com a privatização dessas empresas consideradas ícones. Elas são estratégicas para políticos, que usam essas empresas para se perpetuar no poder.” Radicalizar é ruim e afirmações do tipo mostram que Amoedo conhece pouco de Brasil. Aí o Novo já nasce velho.

3-Copa do Mundo

No sorteio desta sexta o Brasil pegou uma chave bem “mamão com açúcar”. Como a maioria dos picaretas do futebol está presa, enrolada ou perseguida e as empresas pagadoras de propina – inclusive a Globo – monitoradas, investigadas ou no olho do furacão, quedo-me a imaginar sobre quem teria feito a lambança desta feita. Putin que deu o nó em Trump? Duvido seu negócio são eleições. Kim Jong-un nem pensar.

Seu negócio é festa de São João pra soltar foguete. Talvez Trump para dar o troco em Putin ou Temer. Por mim fico com meu Bahia e a pureza de Garrincha: “Já acabou o campeonato? Que torneio mais mixuruca, não tem nem segundo turno”.

4- STF e Cassol, ambos em julgamento

A PGR Raquel Dodge pediu e a presidente do STF ministra Carmem Lúcia marcou para quinta-feira, dia 07, o julgamento do recurso do senador Cassol condenado em agosto de 2013 a quase cinco anos em regime semiaberto, por fraude em licitação.

Para entender: quase 5 anos após o STF condenar Cassol, o próprio STF não findou o julgamento dele e mais dois réus condenados. É a hora do STF explicar ou não seu incômodo atraso à sociedade. Dia 7 Cassol vai comemorar a decisão que pode abrir sua campanha ao governo do estado ou tirar seu cavalinho da chuva.

5-Cadeado defeituoso

O ministro Gilmar Mendes, do STF mandou soltar pela terceira vez o empresário de ônibus do Rio de Janeiro Jacob Barata Filho e o ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio Lélis Teixeira. Nas duas vezes anteriores, em agosto Gilmar Mendes já havia determinado que os dois fossem soltos ma decisões judiciais mandaram os dois sortudos de novo pro xilindró do cadeado quebrado. Barata e Lélis são alvos da Operação Ponto Final, um desdobramento da Lava Jato.

Os dois são parte do esquema que movimentou R$ 260 milhões em propina, mas a última prisão de ambos, neste mês, aconteceu no âmbito da Operação Cadeia Velha, que apura corrupção, formação de bando, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Alerj. “Quem tem padrinho não morre pagão”, diz Zé de Nana. Vai que o Zé tenha razão, e aí?

6-13 anos de Rede TV! Você é Show

No início de forma tímida, enfrentando as dificuldades próprias de quem chega numa praça cheia de emissoras já consolidadas. Os avanços vieram com o foco no jornalismo e crônica policial. Cair no gosto do povo foi só uma questão de tempo quando, apoiada pela Eucatur – e até hoje é assim – viu o esporte como o olhar diferenciado. A torre caiu, a Rede TV se levantou e para comemorar os 13 anos de vida um olhar sobre os talentos musicais de Rondônia. Amanhã, Joelma abre o primeiro reality show musical genuinamente rondoniense. Amanhã é o dia “D”! Dia do “Você é show”! Um “The Voice Beradeiro”? A gente não sabe, mas espera que você curta muito.  

[email protected] 
Facebook Leo Ladeia II

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias