Quinta-Feira, 30 de Novembro de 2017 - 07:47 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: PEDRA NO SAPATO DO CASSOL - POR LEO LADEIA

Cassol tá numa maré de azar. Vaia no cabaré num dia e PGR pedindo prioridade ao STF no outro para concluir seu julgamento como condenado.


Imprimir página

FRASE DO DIA:

"[...] comecei a ter contato com a J&F antes da delação acontecer. Respondia perguntas, refletia sobre o caso e não estou negando nada disso. Fiz uma avaliação e não cometi crime, espero mesmo que apurem os fatos, mas eu cometi um erro brutal de avaliação. Eu fiz uma lambança"Deltan Dallagnol

1-Mamãe eu quero mamar

Agarrados como cracas ao casco de uma piroga abandonada a “tchurma do queru mêu” empurra emendas à MP que muda as regras da legislação trabalhista.

Já são 1.003 emendas e tende a aumentar com a instalação da comissão que vai analisar a MP. Se você acredita que tudo é fruto de preocupação com o trabalhador, esqueça. O que querem os pelegões é o imposto sindical, – R$3,5 bilhões por ano – e sem controle. Até aqui as excelências ligadas a sindicatos são donos de75% das emendas: PCdoB 150, PSB 90, Rede 46, PDT 36, Psol1 e apenas o senador Paulo Paim enfiou 59. Grudados na teta seca, berram: mamãe eu quero mamar. É até bonito de ver.

2-Pedra no sapato do Cassol

Cassol tá numa maré de azar. Vaia no cabaré num dia e PGR pedindo prioridade ao STF no outro para concluir seu julgamento como condenado. De Raquel Dodge: “[...] a condenação ocorreu há mais de 4 anos e os fatos praticados no período de 1998 a 2002. Sobressai, assim, a necessidade de se iniciar a execução da pena imputada o quanto antes” e lembrou que a ação está livre para a pauta desde agosto.

O caso é de 2005 e é um imbróglio de justificativa impossível. Agora são duas mulheres no feito: Dodge cobra e Carmem Lúcia pauta. E quando? Sabe Deus. Para meu “analista de rolos jurídicos inexplicáveis”, o Zé de Nana, o caso que era sem jeito ficou até fácil de resolver: “É só sim ou não, sem enrolação. Agoraou vai ou racha ou lasca a tampa da caixa”.

3-PSDB tirando o time de campo

"Coisa complicada que pode ser simples". Com essa singeleza republicana esquecendo o “toma-lá-dá-cá” franciscano que envolve participação tucana no governo Temer, FHC deu o pontapé inicial (ou seria apito final?) para abandonar o barco.

"Não precisa de data. Qual a razão principal pela qual para o PSDB é melhor ficar fora do governo? O PSDB quer ter candidato à presidência da República. Então precisa ter autonomia, cara própria. O governo é o governo do PMDB." FHC é assim, único: simplifica o complicado, complica o simplificado e não raro, até o vice-versa.

4-Terror no buzão

Não é a primeira vez que ocorre, mas não é frequente. Talvez por isso – invisibilidade estatística – não seja uma preocupação da UNIR ou de órgãos de segurança pública a quem, em tese, caberia as providências. Ontem à noite bandidos tomaram o ônibus que faz o trajeto Porto Velho Campus.

Quando o ônibus seguia para Porto Velho os bandidos anunciaram o assalto eusando extrema violência agrediram alguns alunos, levaram pertences e a chave do ônibus. A UNIR fará hoje uma reunião para estudar como prevenir novos fatos, mas convenhamos não é tarefa fácil.

5-CPI da linguiça frita

Considerando a grande soma de dinheiro distribuída a rodo por Joesley Batista aos congressistas do Brasil, e considerando que Joesley Batista se abrir a boca pode enfiar mais de 200 excelências no xilindró, fico a me perguntar por que tanto trabalho para fazer uma CPI – um dos instrumentos que ajudou na desmoralização do Congresso – sabendo que no final, em lugar da pizza, sairá uma picanha na chapa e linguiça frita? Chega a ser patético ver uma excelência ofender o Joesley– “a mão que afaga é a mesma que apedreja”– e pedindo a ele que (Deus o livre e guarde!!!) fale a verdade. A canalhice não tem limites, não se esgota. E os canalhas nem sequer coram.

6-Quer que explique ou desenhe?

Peço licença, agradeço e copio o post do advogado Itamar Ferreira no facebook sobre a audiência na CAERD. “A desembargadora do TRT estava mesmo inspirada nesta histórica audiência. Ela que tem o hábito de sempre inciar as audiências com o trecho de algum filme, visando inspirar as partes em conflito a buscarem uma conciliação, exibiu desta feita um trecho do memorável filme de Charles Chaplin, intitulado "O Grande Ditador". Nada poderia ser mais adequado, considerando-se as praticas reinantes na diretoria da CAERD, esta sob presidência de Iacira Azamor. Parabéns Dra. Maria Cerineide.

[email protected]
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias