Terça-Feira, 28 de Novembro de 2017 - 15:57 (Colaboradores)

L
LIVRE

AS COMPARAÇÕES: HILDON CHAVES X MAURO NAZIF

Não vejo como fazer isto com justiça, já que as situações enfrentadas pelos dois são bem opostas.


Imprimir página

O prefeito tucano Hildon Chaves vai encerrando seu primeiro ano de administração e as comparações com a administração anterior de Mauro Nazif já estão aparecendo. Não vejo como fazer isto com justiça, já que as situações enfrentadas pelos dois são bem opostas.

Nazif assumiu com o pau cantando na frente do Palácio Tancredo Neves por conta dos problemas fundiários no setor chacareiro que ameaçava se transformar num conflito sangrento. Hildon Chaves recebeu a municipalidade com recursos em caixa para iniciar sua gestão.

Mesmo sem talento para gestão pública, Nazif enfrentou com méritos a enchente histórica que devorou grande volume de verbas públicas da municipalidade, diante da omissão das esferas estaduais e federais com o desastre ambiental ocorrido na capital. Hildon vê seu segundo inverno e ainda as alagações.

O que dá para estabelecer como diferença é que Hildon tem vocação para gestão pública e trabalha melhor os meios de comunicações, justamente no que Nazif falhou desastrosamente.

Definição do PMDB

Tudo indica como irreversível a decisão do PMDB lançar candidatura própria ao governo de Rondônia com o nome do deputado estadual Maurão de Carvalho, presidente da Assembleia Legislativa pilotando a chapa governista. Qualquer aliança com outros partidos e candidatos foi chutada para depois do primeiro turno, caso haja a segunda etapa. A ala que queria um candidato alternativo perdeu a parada.

As motivações

O PMDB, que já procura equipe de marketing para cuidar do lançamento da candidatura de Maurão tem seus motivos para optar pela candidatura própria. Em primeiro lugar, para fortalecer seus candidatos à Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e ao Senado. Com candidato e número de outro partido ao governo, o PMDB ficaria em segundo plano. Também está acertado que, num eventual segundo turno sem Maurão, a prioridade seria se aliar ao pedetista Acir.

Com segundo turno

Com três fortes blocos definidos para as eleições do ano que vem, mais uma leva de candidatos novos, saindo do forno, é mais do que previsível que teremos uma eleição em dois turnos. É provável também que os dois candidatos ao segundo turno despontem das três composições em andamento: A primeira liderada pelo PDT/PSB, com Acir; o segundo bloco pilotado por Maurão e o terceiro do ajuntamento de Cassol/Expedito.

No ranking

Com uma diferença de apenas 3 mil habitantes com relação a Ananindeua (PA), Porto velho se manteve na 3ª posição do ranking das maiores cidades da Amazônia, perdendo apenas para Manaus e Belém, conforme recente estimativa divulgada pelo IBGE. Ananindeua é a quarta cidade da Amazônia e Macapá (AP) a quinta já se aproximando dos 500 mil. Jipa já fez a aproximação para se tornar a 10ª cidade mais populosa do Norte.

O punhal da traição

O punhal da traição dos políticos está mais afiado do que nunca. A infidelidade é descarada e chega-se ao ponto do mesmo político visitar três governadoráveis diferentes numa só semana prometendo – e jurando lealdade. Os tataranetos de Dalila se multiplicam como bactérias na busca de acordos vantajosos, não bastando apenas à rapinagem dos recursos dos fundos partidários a cada pleito mais generosos.

Via Direta

*** Aumenta a legião de zumbis perambulando pelo centro histórico de Porto Velho *** Além de um boom de noiados, constata-se uma explosão de natalidade de urubus, ratazanas e pombos em diferentes pontos da capital rondoniense *** Trocando de saco para mala: a recente estimativa do IBGE evidencia que Rondônia tem crescido pouco demograficamente. *** É que enfrentamos um deslocamento migratório para o Acre, sul do Amazonas, Pará e Roraima.

Fonte: Carlos Sperança - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias