Terça-Feira, 28 de Novembro de 2017 - 10:25 (Economia)

L
LIVRE

COM REFORMA, TRABALHADOR QUE CONTRIBUI POR 15 ANOS RECEBERÁ MENOS

Hoje, esse empregado recebe, integralmente, 85% da aposentadoria. Caso as regras sejam alteradas, o número reduziria para 60%


Imprimir página

e a nova versão da reforma previdenciária já estivesse em vigor, trabalhadores que, depois de 15 anos de contribuição ao INSS, optassem por se aposentar, poderiam receber um valor menor do que é recebido na atual legislação. Hoje, esse trabalhador recebe, integralmente, 85% da aposentadoria. Caso as regras sejam alteradas, o número reduziria para 60%.

Conforme as novas normas, homens precisam ter no mínimo 65 anos para se aposentar. As mulheres, por sua vez, 62, com contribuição de, no mínimo, 15 anos para ambos. Servidores públicos têm que ter contribuído 25 anos. Vale ressaltar que nada muda para quem já é aposentado ou já tem o direito legal de se aposentar.

Segundo informações do UOL, se o empregado quiser receber um valor mais alto, terá que contribuir mais tempo com o INSS. O reajuste será gradativo, conforme a reportagem. Confira:

15 anos de contribuição: 60% do valor da aposentadoria

16 anos de contribuição: 61%

17 anos de contribuição: 62%

18 anos de contribuição: 63%

19 anos de contribuição: 64%

20 anos de contribuição: 65%

21 anos de contribuição: 66%

22 anos de contribuição: 67%

23 anos de contribuição: 68%

24 anos de contribuição: 69%

25 anos de contribuição: 70%

26 anos de contribuição: 71,5%

27 anos de contribuição: 73%

28 anos de contribuição: 74,5%

29 anos de contribuição: 76%

30 anos de contribuição: 77,5%

31 anos de contribuição: 79,5%

32 anos de contribuição: 81,5%

33 anos de contribuição: 83,5%

34 anos de contribuição: 85,5%

35 anos de contribuição: 87,5%

36 anos de contribuição: 90%

37 anos de contribuição: 92,5%

38 anos de contribuição: 95%

39 anos de contribuição: 97,5%

40 anos de contribuição: 100%

Fonte: 010 - noticiasaominuto

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias