SENAI É REFERÊNCIA NO ENSINO DE LIBRAS, CUJA OBRIGATORIEDADE COMPLETA 15 ANOS

Alunos PcD participam de curso no Senai de Porto Velho, que já formou mais de 2000 alunos desde 2007
Quinta-Feira, 16 de Novembro de 2017 - 15:18

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), ciente da importância de incluir surdos socialmente conta, por meio do Programa Senai de Ações Inclusivas (PSAI), no seu quadro de colaboradores, com intérpretes atendendo os surdos nos diversos cursos de aprendizagem e qualificação. O programa já realizou inúmeras ações em todo o Estado, disponibilizando cursos nas mais diversas áreas. O PSAI conta também com a parceria da indústria local na realização destes projetos sociais.

Na média foram formados 2.600 alunos desde 2007. Esse número é bem significativo em virtude da parceria do Senai com a Odebrecht e Camargo Correa, em virtude da instalação da Usinas, todos os alunos Jovem Aprendiz dos cursos que desenvolveram a disciplina de Libras: Assistente Administrativo; Auxiliar de Operações Logística; Operador de Computador; Assistente de Produção; Auxiliar de Padeiro e Confeiteiro; Eletricista de Instalações de Veículos Automotores; Mecânico de Manutenção em Motores a Diesel; Mecânico de Manutenção de Motocicleta e Mecânico de Manutenção em Automóveis.

No dia 24 de abril de 2002 foi sancionada pelo então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, a Lei nº 10.436 que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais, popularmente conhecida como Lei de Libras. Criada com o objetivo de incluir o surdo na sociedade a Lei de Libras é de extrema importância para a comunicação surdo/ouvinte.

O superintendente do Sesi-IEL-RO e diretor regional do Senai-RO, Valério Duarte, ressalta que as aulas de Libras nas turmas de aprendizagem têm por objetivo capacitar os alunos surdos e ouvintes para a utilização da Libras, estabelecendo relações mútuas de amizade, e um conhecimento útil na vida pessoal e profissional de ambos. “O aprendiz ouvinte que sabe Libras tem uma formação diferenciada para o mercado de trabalho. A linguagem de Libras no Brasil vem conseguindo igualdade que antes não havia”, disse.

O diretor do Senai destaca a importância do papel social da entidade ao disponibilizar para a comunidade cursos inclusivos. “Trabalhando por sistema de educação inclusiva, a escola Senai propõe oferecer esses subsídios básicos para qualificar e formar profissionais que se tornarão multiplicadores, para que mais pessoas portadoras de necessidades especiais possam se integrar ao mercado de trabalho”, afirmou.

O presidente do Sistema Fiero, Marcelo Thomé, destaca que o Senai tem promovido importantes ações inclusivas, por exemplo, como a realizada com os índios da etnia Karitiana, como o programa de capacitação para deficientes auditivos, programa de inclusão digital de mulheres, entre outros projetos. “Com estas ações o Senai cumpre seus objetivos, incluindo a formação destas pessoas, oferece condições de empregabilidade à população e atende a demanda da indústria”.

A coordenadora de educação Sesi-Senai-RO, Patrícia Ribeiro, acentua que o programa é desenvolvido com sucesso pelo Senai Nacional e realizado pelas Regionais desde 1999. O PSAI estabelece amplo atendimento à educação profissional nas unidades operacionais dos seus 27 Departamentos Regionais.

O objetivo do programa é incluir nos cursos do Senai, pessoas com deficiência auditiva, expandir o atendimento a negros e índios, oportunizar acesso das mulheres aos cursos estigmatizados para homens e vice-versa, bem como, requalificar na educação profissional pessoas acima de 45 anos e idosos. O programa está subdividido em duas vertentes de atendimento: Vertente PcD (Pessoas com Deficiência); e a Vertente REGI – Raça; Etnia; Gênero e Idosos.

De acordo com a articuladora do PSAI em Rondônia, Marcela Vieira, atualmente o Senai disponibiliza a disciplina de Libras nos cursos de Assistente Administrativo (800h) e Auxiliar de Operações Logística (800h) da modalidade Jovem Aprendiz.

Maria Batista, da escola Sesi-Senai Marechal Rondon, lembra que o objetivo do PSAI é disseminar o conhecimento e a aplicação da Linguagem de Sinais, contribuindo com o processo inclusivo do público com deficiência auditiva junto à comunidade em geral. “Como resultado obtido, além da capacitação do número acima, seria o reconhecimento do Senai pela comunidade como uma instituição que se preocupa em contribuir no processo de inclusão de pessoas com deficiência”, comentou. 

Ainda de acordo com a colaboradora, estes conhecimentos suscitam interesse e entusiasmo nos alunos em virtude de ser algo bem prático, contribuindo para diminuição da evasão escolar. “É importante ainda que estes alunos consigam se comunicar com pessoas surdas através da Libras, pois ao se depararem com uma pessoa surda no mercado de trabalho poderão além de estabelecer uma boa comunicação, contribuir no acolhimento do surdo junto aos diferentes estabelecimentos, não somente de trabalho, mas também nos demais ambientes públicos”, esclareceu.

Fonte - 010 - Fiero Rondôni

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.