POLÍTICA & MURUPI: ACESSIBILIDADE - POR LEO LADEIA

O advogado Jailton Delogo, funcionário do TCE, deficiente visual está na mesma luta num grupo de trabalho da prefeitura da Capital, pois a inclusão social é tão relevante quanto a acessibilidade física e deve ser a preocupação de todos.
Quinta-Feira, 26 de Outubro de 2017 - 21:32

“Alguns ministros podem mudar de opinião… mas acho que existe uma expectativa da sociedade, da imprensa, de que isso não mude. E não tem nada a ver com Lava Jato.”. – Sergio Moro sobre a prisão em segunda instância.

A Aneel (agência de energia elétrica) autorizou um aumento médio de 24,37% na tarifa geral para a região do Vale do Paraíba. O aumento ficou muito acima da inflação no período de um ano que foi de 2,53% e isto agita a bandeira dos desiguais. Bom para o governo, mau para o povo e o que é mau para o Vale do Paraíba será uma hora mau para todos. Como o valor da energia, gasolina, gás, etc., é o mesmo para banqueiros e garis, sobra a verdade perversa: o pobre paga mais em valor e imposto. Pena igual para desiguais é pena maior para o mais pobre. E ó, Top! Top! Top!

2-Acessibilidade I

Para um ex-atleta como o deputado Léo Moraes, a bandeira da acessibilidade é algo bem natural. Para suas marcas como nadador Léo sabia da importância de cada tópico em sua preparação como alimentação, treino, horário, intensidade, infraestrutura e material para condicionamento.

Falta de calçadas e rampas em escolas, postos de saúde, ônibus e prédios são barreiras quase intransponíveis para pessoas com algum tipo de deficiência. No dia a dia é como se um nadador disputasse um prova de 100m dando meia piscina de vantagem ao adversário. É impossível.

3-Acessibilidade II

O advogado Jailton Delogo, funcionário do TCE, deficiente visual está na mesma luta num grupo de trabalho da prefeitura da Capital, pois a inclusão social é tão relevante quanto a acessibilidade física e deve ser a preocupação de todos.

Escolas com pessoal treinado para receber cadeirantes dentre as tantas deficiências, postos de saúde com atendimento específico para que cada pessoa seja tratada na medida de sua necessidade, calçadas e ruas arrumadas sem buracos, tudo é parte de soluções para a inclusão em espaços dignos de cidadania. Só isso. Peninha, chorinho, dozinha, nada resolve. Que se dê a cada um a possibilidade da disputa igual. Basta isso.

4-Curto-circuito

Ao contrário do que possa parecer, a redução na geração de energia em função de suposto erro no projeto do linhão das usinas do Madeira para o resto do país, não impacta Rondônia e Acre. Como seis turbinas da Santo Antonio trabalham em circuito fechado para ambos os estados, o que quer que ocorra e que possa provocar o desligamento não vai alterar a geração local.

Aliás, chegou a hora da ALE-RO tomar providências para regularizar a questão destas turbinas saindo do estágio atual que é precário para a solução definitiva autorizando a cota de 71 metros da usina, que até hoje vai em passo de valsa. É coisa é simples assim. Quem sabe faz a hora né Vandré?.

5-Trabalho escravo

A ministra Rosa Weber por liminar suspendeu a Porc)taria do Ministério do Trabalho que alterou a fiscalização e classificação de trabalho escravo. Com a liminar a portaria não vale até julgamento da ação. Sem prazo para julgar o mérito e com o criador da Por(c)taria “apanhando mais que mala velha pra largar poeira”, a Por(c)taria vai sumir.

Até Temer, o fraco, já rifou o pastor do cão: “Na verdade, não foi ato meu, do presidente. Mas uma portaria do ministro.” Isso tem dedo do Temer. “O diabo quando não vem manda o secretário”, ou no caso, o ministro. Esse Temer é a treva!

6-Merval Pereira

“Quando se vê que Luciano Huck aparece como opção de 40% a 60% dos eleitores de Lula, fica claro que a questão ideológica tem pouco a ver com escolha. Aqui, a identificação é com medidas assistencialistas de Lula e Huck, sejam elas bolsas governamentais de vários tipos, ou presentes em programas de TV.

Assim como o populismo de direita com Collor derrotou Lula e Brizola em 1989, e hoje o ex-presidente e o atual senador são farinha do mesmo saco, na eleição de 2018 a mesma tendência política tem candidatos fortes para disputar com Lula ou Ciro Gomes, seja Dória ou Alckmin, Huck ou Bolsonaro.” É esperar pra ver e analisar com critério. Chega dessa corja.

leoladeia@hotmail.com
Facebook Leo LadeiaII

Fonte - Leo Ladeia/NewsRondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.