Quinta-Feira, 24 de Agosto de 2017 - 12:06 (Geral)

L
LIVRE

LIVRE DAS DROGAS, PAULISTA BATE RECORDE AO CORRER MAIS DE 500 KM EM 72 H

Arison Silvaé o brasileiro a realizar o Maior percurso em pista de atletismo. RankBrasil acompanhou o desafio e oficializou a marca


Imprimir página

Oultramaratonista Arison Silva, mais conhecido como Ariman, entra para o RankBrasil em 2017 pelo recorde de Maior percurso em pista de atletismo. Entre os dias 17 e 20 de agosto, ele percorreu 508,4 km em 72 h, durante desafio realizado no Ginásio Municipal Vicente Quercia, na cidade de Brodowski (SP).

O representante do RankBrasil, Luciano Cadari acompanhou todos os dias de prova e ao término oficializou o título brasileiro com entrega do troféu de recordista. A corrida foi realizada na área externa do ginásio, em uma pista de 400 m. Foram 1.271 voltas em sentido único, com 16 pausas (média de 18,27 minutos cada) para troca de roupa, idas ao banheiro, alimentação e assistência médica.

Conforme Cadari, é uma satisfação para o RankBrasil oficializar este recorde que exigiu preparo e determinação. “Além de mostrar muita resistência física, o título evidencia uma superação de vida. É umgrande exemplo que é possível abandonar o vício do álcool e das drogas”.

Natural de Altinópolis (SP), o desafiante entrou para o atletismo há apenas um ano e oito meses, após viver 30 anos no mundo do alcoolismo e das drogas. Além de vencer várias competições pequenas, já correu 100 km em 14h, 166 km em 24h e 320 km em 48h.

De acordo com Ariman, as principais dificuldades do desafio das 72 h foram o cansaço físico e o sono, e as temperaturas baixas e altas. “Nestes três dias enfrentei muita chuva, frio, vento, neblina e também sol quente”, conta. Apesar dos obstáculos ele jamais pensou em desistir. Segundo o recordista, desistir é a mesma coisa que voltar para a morte. “A palavra desistir não faz mais parte do meu dicionário”, destaca.

Para o desafio, o paulista se preparou correndo várias horas por dia, treinos em academia e ainda fazendo natação. Nos dias da prova, contou com toda uma logística e estrutura de apoio, estando à sua disposição médico, fisioterapeuta, massagista, entre outros profissionais.

O atleta afirma que o recorde junto ao RankBrasil não significa que ele é mais ou melhor que ninguém. “Meu legado é deixar este exemplo que se você estiver envolvido no mundo das drogas e do álcool pode se libertar. Quero ter voz ativa para falar que é possível, basta ter força de vontade. No meu caso foi com a corrida, mas pode ser através de qualquer sonho”.

Das drogas para o atletismo

Depois de muitos anos de dependência física, aos 45 o desafiante resolveu mudar de vida. Atualmente com 47 anos, é atleta profissional e ministra palestras sobre os primeiros contatos com a droga e a devastação que o álcool e as drogas causam na vida das pessoas.

O recordista comenta que a corrida de rua e estes desafios são tudo para ele. “Minha vida é resumida em correr, tenho um preparo físico invejável e quero estabelecer novos recordes”. Segundo Ariman, antes da prova das 72 h já havia percorrido 14.760 km entre treinos, ultramaratonas e outras competições. “Toda vez que sentia vontade de usar drogas eu corria, durante o dia, à noite ou de madrugada: troquei de vício”, finaliza.

Fonte: 010 - Imprensa RankBrasil

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias