Quinta-Feira, 19 de Janeiro de 2017 - 13:01 (Polícia)

14
Não recomendado para menores de 14 anos

SITUAÇÃO TENSA NO PRESÍDIO: VÍDEOS MOSTRAM PRESOS TRAVANDO LUTA

Neste exato momento um cenário de guerra é montado dentro do presídio em Alcaçuz. Ao menos duas ambulâncias deram entrada e o motim segue.


Imprimir página

Rio Grande do Norte - Neste exato momento um cenário de guerra é montado dentro do presídio em Alcaçuz. Ao menos duas ambulâncias deram entrada e o motim segue. A repórter Marina Rossi (Elpaís) à todo momento traz informações de mais este motim. Ainda segundo informe, mais dois ônibus foram queimados, totalizando 21 desde a tarde de ontem (18) a mando das facções criminosas.

No dia seguinte à transferência dos 220 internos do presídio de Alcaçuz, em Natal (Rio Grande do Norte), os presos fazem novamente um motim nesta quinta-feira, fazendo da penitenciária uma verdadeira batalha campal entre membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Sindicato do Crime do RN. Do lado de dentro, presos amotinados, munidos de armas brancas (facões feitos com barras de ferro) travam uma guerra, atirando pedras uns contra os outros. Já há detentos feridos, que podem ser vistos do lado de fora sendo socorridos por outros detentos, mas ainda não há informações se há mortos — ao menos duas ambulâncias entraram no início da tarde na penitenciária.

O novo confronto entre facções ocorre em um momento em que o PCC, que era minoria na penitenciária, passou a ter praticamente o mesmo tamanho que a facção rival (que surgiu como uma dissidência do próprio grupo), já que os 220 detentos transferidos prisão na quarta eram do Sindicato do Crime. De fora do presídio, é possível ouvir o barulho dos tiros disparados pela força especial da Polícia Militar e as bombas de efeito moral jogadas lá dentro. Um helicóptero sobrevoa a penitenciária que fica a 50 quilômetros da capital do Rio grande do Norte. O clima é de tensão e há bastante correria dos internos.

Já do lado de fora, ainda há muitas esposas e familiares dos presos, que acompanham com apreensão a guerra entre facções, já que afirmam não ter sido comunicadas sobre quais detentos foram transferidos. Assim, alegam não saber se seus familiares estão ainda no presídio. Na quarta-feira, um grupo de mulheres dos detentos montou barricadas na rua da penitenciária, ateando fogo em um sofá e em restos de lixo, em protesto contra a transferência.

Dois ônibus também foram queimados na manhã desta quinta-feira em Natal. Ao todo, de quarta para quinta, 21 veículos, entre ônibus e microônibus, foram incendiados em todo o Estado.

Fonte: Anderson Nascimento - Newsrondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias