Sabado, 02 de Janeiro de 2016 - 14:52 (Polícia)

L
LIVRE

APÓS MASSACRE NO COMPAJ, PRESOS DO CENTRO DE DETENÇÃO PROVISÓRIA DE MANAUS SE REBELAM

Segundo o Comitê de Gerenciamento de Crise, também houve movimentação anormal no Instituto Penal Antônio Trindade; situação é considerada estável.


Imprimir página

acritica.com
Manaus (AM)

Após o fim da rebelião que resultou na morte de 60 detentos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, presos de outro presídio da capital amazonense, o Centro de Detenção Provisória (CDP), começaram uma rebelião na tarde desta segunda-feira (2). Os detentos rebelados também seriam membros da facção criminosa Família do Norte (FDN).

Informações preliminares dão conta de que os presos têm como objetivo chegar até os pavilhões 1 e 2 aonde estão alojados estupradores e membros da facção criminosa do Primeiro Comando da Capital (PCC). Policiais militares da Rocam e da Tropa de Choque já foram deslocados para o local.

Segundo informações apuradas pela reportagem, os detentos membros da FDN começaram a bater com objetos nas grades das celas para chamar atenção e com a intenção de ameaçar o contingente de 300 presos do PCC alocados nos pavilhões 1 e 2, considerados mais seguros.

De acordo com familiares de detentos do CDP, que estavam do lado de fora da unidade prisional, os presos do PCC estão trancados nas celas, enquanto os internos membros da FDN estavam soltos pelos corredores e armados com armas de fogo. Porém, tal informação não foi confirmada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

“Foi um princípio de rebelião, mas já está sob controle. Não houve mortes”, falou, em poucas palavras, o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio. A Polícia Militar também informou que o incidente já foi controlado e que não há registros de fugas, mortos ou feridos.

Em nota, o Comitê de Gerenciamento de Crise do Sistema de Segurança confirmou “movimentação anormal de internos” no CDP e também no Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), este último onde ocorreu uma fuga em massa na tarde de ontem.

“No CDPM os internos alojados em um dos pavilhões tentaram efetuar uma fuga, sendo impedidos pelo reforço da Polícia Militar que estava empregado na unidade No Ipat os internos se movimentaram em um 'batidão de grade’, que foi contornado logo em seguida pela direção da unidade”, informou o comitê. A situação é considerada estável nas duas unidades.

Fonte: acritica.com

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias