Quinta-Feira, 29 de Setembro de 2016 - 08:51 (Colaboradores)

L
LIVRE

O QUE VEREMOS QUANDO SE ABRIR A CAIXA PRETA DO BNDES?

PERGUNTINHA: A quatro dias da eleição, você já decidiu seu voto para Prefeito e para Vereador ou ainda faz parte da maioria de indecisos?


Imprimir página

Nossas rodovias estão em situação lamentável. Faltam obras importantes na maioria dos municípios . A mobilidade nas grandes cidades tem investimentos pífios. Como Porto Velho, cidade que precisa de viadutos, alargamentos de ruas, melhoria na sinalização, vias expressas para ônibus. Nada disso é feito, porque dinheiro não há. A saúde pública no país está perto do caos. A educação, decadente. Não há recursos para nada. Obras vitais se arrastam por décadas, não só por roubalheira ou mau planejamento, mas também porque a grana é cada vez mais escassa. E há ainda uma crise econômica brutal, que já desempregou quase 13 milhões de brasileiros. Por que todo esse comentário? É porque quando for aberta a caixa preta do BNDES; quando parte do tapete for levantada, se descobrirá toda a sujeira embaixo dele e as vergonhosas irregularidades de bilhões de reais emprestados a países de governos esquerdistas da América Latina e da África, durante os 12 anos e alguns meses dos lamentáveis dois governos e meio do PT, enquanto tanto precisamos de investimentos aqui, no nosso país. Vamos a um só exemplo de grana dada a um governo estrangeiro, para obras gigantescas, sem o aval do Senado, como manda a Constituição, para se ver o tamanho do prejuízo: alguém aí sabia que a República Dominicana recebeu 8 bilhões de dólares (mais ou menos 22 bilhões de reais)? E que com esse dinheiro daria para se construir 110 hospitais de Pronto Socorro, no país, semelhante ao Heuro, que o governo de Rondônia construirá em Porto Velho ao custo de 200 milhões de reais?

Foram bilhões e bilhões de dólares distribuídos generosamente a países “amigos”, desde que seus governantes fossem da mesma ideologia dos petistas. Dinheiro a rodo, sem controle. Dinheiro que não se sabe como saiu e nem como voltará ao país, e se voltará algum dia. Levaremos décadas para recuperar o que essa gente entregou a parceiros ideológicos, como se essa fortuna fosse deles e não do suor do povo brasileiro. Uma verdadeira tragédia...

ATÉ O MST!

Ainda sobre o mesmo assunto: há muitos outros outros exemplos de distribuição de grana para outros países, enquanto nós, aqui, ficamos contando os centavos. Veja só: 200 milhões de dólares (mais de meio bilhão de reais), para construir um moderno aeroporto em Moçambique, enquanto os nossos....Mais 11 bilhões de dólares em empréstimos ao governo do ditador Nicolás Maduro. Mais de 30 bilhões de reais. Tudo isso sem se saber exatamente para que e como nos será devolvido um dia, se é que o será. Angola, cujo ditador está no poder há quase quatro décadas, recebeu 14 bilhões de dólares  ou perto de 38 bilhões de reais. Isso é apenas uma parte. Há muito mais.  Quem sabia que o MST recebeu do BNDES quase 1 milhão e 700 mil reais. Para que, alguém aí pode fazer o favor de dar alguma pista?

NEGÓCIO DOIDO

Não deu outra! Com seis votos a zero o TRE decidiu que Roberto Sobrinho é inelegível. Mas, ao mesmo tempo, deu a ele todos os direitos de disputar o pleito, fazer campanha, participar do debate da TV Rondônia/Globo, nesta quinta e ter seu nome da urna eletrônica. Só decisão em última instância, no TSE, pode confirmar essa decisão de impugnação ou mudá-la, mantendo Sobrinho com todos os direitos políticos. É um negócio meio doido, bem dentro do contexto desse país, onde muitas leis são  decorativas e  a plebe ignara não sabe exatamente porque e para que elas foram criadas. A verdade é que a Justiça Eleitoral fez Sobrinho sangrar até o fim e que isso o prejudicou muito na campanha, Agora, se ele for para o segundo turno, se  manterá a a dúvida. E se for eleito Prefeito, continuará a sina de enfrentar essa lei confusa e que mais atrapalha do que ajuda. Sobrinho é um sobrevivente e tem muito voto. Vai incomodar, mesmo tendo sido ferido pela Justiça Eleitoral.

FOGO AMIGO NO PSDB

Nos últimos dias, é notório o crescimento do nome do promotor Hildon Chaves. Também é outro que foi atingido, só que no caso dele, pelo fogo amigo. O PSDB agiu como um partido pequeno, amador, ao deixar para a última hora um nome potencialmente forte, Pode-se até colocar alguma culpa sobre a deputada Mariana Carvalho, por ter decidido que não iria entrar na briga praticamente na última hora. Mas se os tucanos achavam que Hildon era mesmo um bom candidato – e é -  deveriam ter dado um prazo final à Mariana muito antes. Ao menos para permitir que seu representante na disputa, até então completamente desconhecido do eleitorado, tivesse um prazo maior para se apresentar e divulgar suas ideias. Com um período bastante curto, o ex promotor já disse a que veio.  Com mais tempo, poderia ir mais longe...

DÚVIDAS PARA DOMINGO

Não se sabe se nessa quinta ou na sexta será divulgada nova pesquisa do Ibope. Os candidatos que se consideram com chances reais de chegar ao segundo turno, estão torcendo para que haja nova divulgação de intenções de votos, colocando-os à frente, é claro. A tendência é a mesma: Léo Moraes, Mauro Nazif, Williames Pimentel e Sobrinho com possibilidades concretas de alcançar as duas vagas. Ribamar  Araújo terá mais dificuldades, mas não pode ser considerado sem chances. A incógnita nesse momento é a posição de Hildon Chaves, que estava muito mais nas duas pesquisas do Ibope já divulgadas, mas que certamente melhorou bastante, por sua performance nos debates das TVs e em entrevistas que concedeu. Pimenta de Rondônia, do PSOL, apenas participa.

A LEI É PARA TODOS

A OAB agiu em nome da população e conseguiu fazer com que a Justiça determine que ao menos 30 por cento dos funcionários dos bancos, em greve já há 24 dias, atendam normalmente nas agências. Embora a greve seja das mais justas, os bancários não podem fazê-la ignorando a legislação. Tem sim que manter um número mínimo de atendentes, principalmente para cuidar daquela parcela da população que não consegue resolver seus problemas nos caixas eletrônicos. Há também casos de desempregados que estão desesperados, pois não conseguem receber suas rescisões e nem o FGTS. Anciãos que não conseguem dominar a tecnologia e que esquecem suas senhas, precisam de serviços especiais, assim como portadores de deficiência. Enfim, fazer greve é correto. Mas a lei é igual para todos.

RAUPP E OS VIADUTOS

O senador Valdir Raupp,  ao visitar as obras do viaduto do Trevo do Roque, na Capital, em fase final, depois de tantos anos, fez o que toda a autoridade consciente deveria fazer. Entrevistado pela SICTV/Record, sua primeira declaração foi um pedido de desculpas à população, pela enorme demora de uma obra vital para a cidade. Raupp também contou que teve que recorrer ao próprio Presidente Michel Temer, para que a obra não fosse paralisada de novo. E, ainda, anunciou que provavelmente na próxima terça ou quarta-feira, o viaduto (ou elevada), finalmente será aberto ao trânsito, resolvendo um grave problema que se arrastou por anos, naquela região da ligação de Porto Velho com a BR 364.  Raupp comemorou, enfim,  a entrega da obra e disse que os outros viadutos ainda serão concluídos, embora não tenha falado em prazos.

PERGUNTINHA

A quatro dias da eleição, você já decidiu seu voto para Prefeito e para Vereador ou ainda faz parte da maioria de indecisos?

Fonte: Sergio Pires

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias