Sabado, 07 de Fevereiro de 2015 - 10:35 (Cultura)

MOCAMBO BRINCA ATÉ QUE A NOITE VIRE DIA

Este ano o Até Que a Noite Vire Dia, homenageia a única vítima que morreu em virtude da cheia do rio Madeira que aconteceu no ano passado, o Faqui.


Imprimir página

O centenário bairro do Mocambo, é o reduto de onde sairá na noite desta sábado 07, o bloco “Até Que a Noite Vire Dia”. De acordo com a programação oficial os foliões podem começar a se concentrar a partir das 21h00, na Praça São José, onde um grupo de sambistas estará tocando, fazendo o aquecimento para o desfile do Bloco que começa a Meia Noite.

Este ano o Até Que a Noite Vire Dia, homenageia a única vítima que morreu em virtude da cheia do rio Madeira que aconteceu no ano passado, o Faqui.

“Faquir era um desses caras que, se você fosse ao Mocambo, enquanto tu estavas com o Márcio ou com o Mourão arrumando alguma coisa, ou mesmo preparando show, ele estava por perto resolvendo tudo para o teu bem estar. Seja te trazendo uma gelada, um tira-gosto ou coisa assim. O negócio dele era que você estivesse à vontade. Era flamenguista, ajudava todo mundo, era aposentado por acidente de trabalho e quando recebia não tinha miséria. Gostava de um joguinho. Era baralho, jogo do bicho, etc. Morava na Travessa Mamoré e era casado com a Dulce. Um dos pilares do Bloco” conta  o compositor Ernesto Melo autor da marchinha tema do bloco que será cantada durante o desfile de hoje. Vela a letra:

Bloco Até Que a Noite Vire Dia – Saudades do Faqui

Fonte: Zé Katraca

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias