Quarta-Feira, 12 de Setembro de 2012 - 13:54 (Cidades)

MARIO PORTUGUÊS ANUNCIA 1.000 CASAS POPULARES JÁ EM SEU 1º ANO DE MANDATO

Mario ressaltou que não adianta somente construir as casas, mas dotar o local de infraestrutura.


Imprimir página

 

A construção de 1.000 casas populares, já no seu primeiro ano de mandato, foi um compromisso assumido pelo candidato a prefeito Mario Português (PPS), durante seminário sobre moradia popular, promovido pela Central Única dos Movimentos Populares e Sociais (CUMPS).

“O nosso plano de Governo contempla investimentos na moradia popular, com baixo custo, mas com qualidade, infraestrutura e oferecendo dignidade às milhares de famílias carentes de Porto Velho. No meu primeiro ano de mandato, quero fazer 1.000 casas populares”, assegurou Mario.

Segundo o candidato, hoje a prefeitura está legalmente autorizada a utilizar 2% de seu orçamento anual, que em 2013 será superior a R$ 1 bilhão, para investir na habitação popular. “Isso representa pouco mais de R$ 20 milhões. Agindo com rigor contra os desvios, não superfaturando a obra, e possível fazermos mais com menos. Eu vou mostrar que é possível sim”.

A CUMPS existe há 23 anos e é presidida hoje por Josué Schoness. “O que motivou a realização desse seminário foi conhecermos as propostas dos candidatos para acabar com a carência de moradias em Porto Velho”, disse o presidente.

“Meu objetivo não é falar bonito, meu objetivo é ser bom administrador. E como eu administro minhas empresas, quero administrar a capital”.

Mario ressaltou que não adianta somente construir as casas, mas dotar o local de infraestrutura. “Não adianta construir a moradia, mas não oferecer água tratada, rede de esgoto, drenagem, asfalto, linha de ônibus, coleta de lixo, iluminação e outros serviços”.

 

Desapropriação de áreas para moradia popular

Português defendeu, que, dentro das normas legais, áreas devolutas sejam aproveitadas para a construção de moradias. “Se existem terrenos desocupados, mas os donos tem dívidas com impostos na prefeitura, por exemplo, poderia ser feito um encontro de contas. Vamos atuar para, respeitando as leis, pois sou legalista, fazermos o maior programa de habitação popular da capital”.

O prefeito da mudança disse que o Ministério das Cidades, da presidente Dilma Roussef, é comandado por Márcio Fortes, filiado ao PP, partido que integra a sua coligação. “Vou ter trânsito facilitado em Brasília e também vou criar a Secretaria dos Bairros, para ter esse contato direto com as comunidades e associações”.

Ao final, Mario assinou um termo se comprometendo em investir na moradia popular.

Fonte: mudança23

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias