Sabado, 15 de Janeiro de 2022 - 10:07 (Geral)

L
LIVRE

David, o homem que recebeu coração de porco: “Era morrer ou fazer o transplante”

O porco usado no transplante foi geneticamente modificado para eliminar vários genes que teriam levado o órgão a ser rejeitado pelo corpo de Bennett, informou a agência de notícias AFP.


Imprimir página

David Bennett é o nome da primeira pessoa do mundo a receber um transplante feito com coração de porco, cirurgia que mostramos no início da semana aqui no Só Notícia Boa. O paciente de 57 anos passa bem, segundo os médicos que o acompanham em Baltimore, nos Estados Unidos.

Mas por que uma pessoa aceitaria receber um coração de porco, se perguntam internautas no mundo inteiro? A resposta de David Bennet, que tinha uma doença cardíaca terminal, é curta e grossa:  “Era morrer ou fazer esse transplante […] Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última escolha”, afirmou.

Apesar de os médicos não saberem quais são as reais chances de sobrevivência de David a longo prazo, o transplante dele foi considerado a última esperança de salvá-lo.

E Bennett espera que seu transplante permita que ele continue vivendo, independentemente de quanto tempo.

Ele ficou de cama durante seis semanas antes da cirurgia e ligado a uma máquina que o manteve vivo depois que foi diagnosticado com doença cardíaca terminal.

“Não vejo a hora de sair da cama depois que me recuperar”, disse ele na semana passada.

Respirando sozinho

Na segunda-feira, 10, foi relatado que Bennett já respirava sozinho. Mas não está claro exatamente o que acontecerá a partir de agora.

O porco usado no transplante foi geneticamente modificado para eliminar vários genes que teriam levado o órgão a ser rejeitado pelo corpo de Bennett, informou a agência de notícias AFP.

David Bennett Jr, filho do paciente, disse à Associated Press que a família está em “território desconhecido neste momento”. Mas acrescentou: “Ele percebe a magnitude do que foi feito e realmente percebe a importância disso”.

A cirurgia inédita

A cirurgia de David foi feita no último dia 7 e a foto do cirurgião Muhammad M. Mohiuddin segurando o coração de porco geneticamente modificado usado no transplante correu o mundo.

O transplante foi feito no centro médico da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos.

Os médicos conseguiram uma licença especial do órgão regulador médico dos EUA para realizar o procedimento, porque sem ele, David Bennett já teria morrido.

“Nós nunca havíamos feito isso em um humano e eu gosto de pensar que nós demos a ele uma opção melhor do que continuar sua terapia”, disse o cirurgião Bartley Griffith. “Mas se [ele viverá] um dia, semana, mês, ano, eu não sei dizer.”

Por ter saúde já muito debilitada, ele foi considerado inelegível para um transplante de coração humano.

Crise da escassez de órgãos

A equipe médica que realizou o transplante, comemorou o procedimento inédito. Disse que é o ápice de anos de pesquisa e poderá mudar vidas em todo o mundo.

Em comunicado da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland, o cirurgião Bartley Griffith disse que a cirurgia deixa o mundo “um passo mais perto de resolver a crise de escassez de órgãos”, segundo

Hoje, 17 pessoas morrem por dia nos EUA à espera de um transplante, com mais de 100 mil na lista de espera.

A possibilidade de usar órgãos de animais para o chamado xenotransplante (transplante de células, tecidos ou órgãos de uma espécie para outra) para atender a demanda por transplantes é uma possibilidade estudada há anos.

Fonte: 025-sonoticiaboa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias