Segunda-Feira, 16 de Agosto de 2021 - 19:06 (Política)

L
LIVRE

Marcos Rocha não assina carta em defesa do STF; 13 dos 27 governadores apoiam a Corte

No atual momento, o Judiciário tem sofrido ataques e ameaças verbais por parte de Jair Bolsonaro.


Imprimir página

Apenas 13 dos 27 governadores assinaram documento em defesa do Superior Tribunal de Federal (STF) contra as ameaças do presidente Jair Bolsonaro a democracia. O documento divulgado, nesta segunda-feira (16) pelo Fórum de Governadores, menciona o teor da crise causada pela postura de Jair Bolsonaro que tem feito constantes ameaças contra a Corte. 

Apoiador declarado do governo Bolsonaro, o governador de Rondônia Marcos Rocha (sem partido) é um desses chefes de estado que não assinam o documento, publicado nesta segunda.

No atual momento, o Judiciário tem sofrido ataques e ameaças verbais por parte de Jair Bolsonaro. Numa carta pública pela instituição, sem mencionar nomes, o STF declara que a “Corte só existe com um poder judiciário livre e independente e livre para decidir de acordo com a Constituição e com as leis”, diz a nota que continua. “No âmbito dos nossos estados, tudo faremos para ajudar a preservar a dignidade e a integridade do Poder Judiciário. Renovamos o chamamento à serenidade e à paz que a nossa Nação tanto necessita”.

Analistas ouvidos pela reportagem do News Rondônia, acreditam que o ódio de Bolsonaro aumentou, após ter sido derrotado na PEC do voto impresso no Senado, como exigia o presidente nas próximas eleições de 2022. Bolsonaro havia levantado suspeitas contra o sistema eletrônico, ele chegou, inclusive a dizer que apresentaria provas, mas não o fez. Além disso, Bolsonaro ameaça levar nomes de dois ministros do STF ao Senado para que sofressem impeachment. A mensagem é seria e tem impacto muito grande na administração.

A carta é assinadas pelos governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB); da Bahia, Rui Costa (PT); do Maranhão, Flávio Dino (PSB); de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB); de São Paulo, João Dória (PSDB); do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB); do Ceará, Camilo Santana (PT); da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania); do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB); do Piauí, Wellington Dias (PT); do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT); de Alagoas, Renan Filho (MDB); de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD); e do Amapá, Waldez Goés (PDT).

Fonte: News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias