Terça-Feira, 13 de Abril de 2021 - 18:06 (MINHA HISTÓRIA)

L
LIVRE

Advogada cria projeto de combate à fome para superar perda do pai

Ela perdeu o pai para a Covid-19 e, para homenageá-lo, passou o dia do próprio aniversário distribuindo cestas básicas para comunidades carentes de Fortaleza, no Ceará.


Imprimir página

Você já ouviu aquela frase que diz que podemos transformar nossa dor mais profunda no amor mais puro? Tayane Sales é um ótimo exemplo.

Ela perdeu o pai para a Covid-19 e, para homenageá-lo, passou o dia do próprio aniversário distribuindo cestas básicas para comunidades carentes de Fortaleza, no Ceará. “Acho que papai deve estar orgulhoso de mim”, comenta.

Tayane visitou bairros como Titanzinho, Pirambu e Leste-Oeste, levando alimentos para quem mais precisa.

Onda Solidária

Tayane conta que foi o surfe que a tirou da depressão, há alguns anos. Como frequentava alguns points de ondas na capital, notou que muitas das pessoas da comunidade da região passavam por dificuldades.

Com a chegada da pandemia, a vulnerabilidade das famílias aumentou. Foi quando Tayane resolveu criar o projeto Onda Solidária, em abril do ano passado.

Desde então, ela ajudou aproximadamente 400 famílias carentes. ”Tive a ideia em março de 2020, logo que começou a pandemia. Eu comecei a ver que pessoas estavam saindo de casa porque estavam passando por privações. Eu me juntei com alguns amigos e com o Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM-CE), no qual eu presido uma comissão”, afirmou a advogada.

Homenagem ao pai

Tayane conta que o projeto a ajudou a enfrentar a perda do pai. ”Eu tive um mês de luto. Eu não conseguia nem comer direito, não conseguia tomar banho, não conseguia me levantar da cama”, lembra.

A advogada conta que em todos os aniversários que passou até agora, o pai era a primeira pessoa a parabenizá-la. “Eu sabia que não ia ter isso, então, ontem deu meia-noite, pronto, meu pai não está aqui, mas se eu estou aqui é por alguma razão”, diz.

O aniversário de Tayane foi no último sábado (10). Ela disse que resolveu homenagear o pai da forma como mais gostava: ajudando outras pessoas.

”Ontem (10) foi o meu aniversário, foi a primeira entrega que a gente fez, e foi o pior dia da minha vida, e eu queria que o pior dia da minha vida não fosse tão ruim assim. […] Descobriram que era meu aniversário e começaram a bater parabéns para mim. Chorei demais, mas acho que papai deve estar orgulhoso de mim”, relata Tayane.

Fonte: 20 - Por redação Só Notícia Boa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias