Domingo, 11 de Abril de 2021 - 14:00 (Humor)

L
LIVRE

Eleições na Bolívia neste super domingo revelam ameaça de divisão e dificuldades para partido de Luiz Arce

Os resultados das eleições deste super domingo (11), pelo menos aos bolivianos, começaram a ser computados a partir das 17h01, hora do Brasil.


Imprimir página

Guayaramerín, BENI (Bolívia) – Apesar das interdições da Guarda Nacional Boliviana, o trânsito nos dois lados da fronteira está sendo permitido para alguns setores considerados essenciais desde as últimas 72 horas.  

A medida, segundo apurou o Jornalismo do NEWSRONDÔNIA, é porque neste domingo (11), estão sendo realizadas eleições sub-nacionais válidas para o segundo turno em que apenas três dos candidatos governistas chegaram com vitória no primeiro turno do pleito. Ainda assim, com uma margem de pouca diferença, afirmam integrantes do Colegiado de auto-refugiados que atuava em cinco municípios das províncias do Departamento Pando.    

De acordo com lideranças locais, entre campesinos e indígenas dos municípios de Nueva Esperanza, El Sena, Santa Rosa e Conquista, ‘o presidente Luiz Arce (MAS) destacou emissários para tentar reconquistar dissidentes a fim de obter vantagens perdidas pela ex-prefeita (Alcadeja) Margarita Jimenez’.  

A estratégia usada pelo governo de La Paz, ao menos em relação aos numerosos dissidentes do próprio Movimento Ao Socialismo (MAS), ‘é a de resgatá-los por amor ou pela dor’. Isso implica o uso da força policial e do Judiciário aos que se encontram presos em cadeias de Cobija, anunciaram lideranças que teriam escapado da localidade Arca de Noé.  

Por conta das eleições de hoje, há duas semanas, emissários governistas tiveram grande sucesso nas missões de ‘convencimento de lideranças dissidentes do MAS encarceradas em Cobija’ e que aceitaram capitular ao candidato governista de dentro da cadeia’, revelaram fontes dissidentes em Guayaramerín. 

- Essas pessoas, que atuaram para eleições de Luiz Arce para Presidente, receberam sinal verde para ligar às comunidades e dessa forma tentar convencê-los a votar no candidato governista, eles informaram.  

Um dos dissidentes alcançados por essa medida tomada por La Paz, segundo lideranças campesinas e indígenas de Gran Cruz, cidade distante a 80 quilômetros de Nueva Esperanza e a 110 de Guayaramerín (essa, no Departamento Beni), atuou em ligações com partidários e lideranças replicando recomendações que apontam decisão dele em apoiar o candidato governista.  

Marcelo (ex-candidato a prefeito em Nueva Esperanzsa) é do Movimento Democrático Amazônico (MDA), partido de oposição ao governo de La Paz. Por ter sido acusado de incendiar urnas eleitorais em Gran Cruz, inconformado com supostas fraudes. Ainda assim, continua recolhido ao presídio de Cobija. Ele deveria ter deixado a prisão no sábado (10), porém, a Juíza do caso morreu vítima de COVID-19, na sexta-feira (9).  

Outros dissidentes dessa Aliança em Arca de Noé (ou Arca de Israel), Jerusalém, Gran Cruz, Alto Madeira e Cachuella Del Carmém, acusados na insurreição contra resultados das eleições para prefeitos e deputados estaduais, ainda continuam foragidas e, mesmo assim, caso La Paz saia vitoriosa nessas regiões, com a ajuda de Marcelo Blakt, ‘poderão ficar livres e retornar a seus municípios’, afirmaram integrantes do Comitê Cívico de Apoio aos Campesinos e Indígenas.  

Os resultados das eleições deste super domingo (11), pelo menos aos bolivianos, começaram a ser computados a partir das 17h01, hora do Brasil. Segundo informaram equipes de fiscais, tanto   do Partido Governista quanto de oposição, ‘é possível, ainda, que haja confrontos em Estados onde dissidentes do MAS continuam presos’, arremataram lideranças campesinas e indígenas regionais.  

Fonte: News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias