Quinta-Feira, 25 de Março de 2021 - 11:53 (Coronavírus)

L
LIVRE

COVID-19 - Cerca de 200 mil vacinas contra a Covid-19 foram distribuídas aos municípios de Rondônia em 58 dias

Já são 58 dias que o Poder Executivo deu início à distribuição das vacinas.


Imprimir página

Ao completar um ano de enfrentamento à Covid-19, o Governo de Rondônia, por meio da Agência de Vigilância em Saúde (Agevisa) colhe os frutos de um esforço conjunto com o Ministério da (MS). O Estado recebeu até o momento 190.208 vacinas, representando quase 80% da população que já recebeu a 1ª dose, que compreende os grupos prioritários (idosos, indígenas e profissionais da saúde), conforme apontado pelo Painel Covid RO

Já são 58 dias que o Poder Executivo deu início à distribuição das vacinas. O dia 19 de janeiro de 2021 se tornou um momento histórico para a população rondoniense, marcado pela a chegada do 1º lote de vacinas e com ele, a esperança de vida para todos. A 1ª remessa dos imunizantes foi da ConoroVac, do laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, com a quantidade de 49.208 doses, sendo reservada a 2ª dose, após 28 dias da primeira aplicação. Por orientação do Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), na primeira etapa foram vacinados os grupos prioritários: os profissionais de saúde, idosos institucionalizados, deficientes institucionalizados, indígenas.

A vacina da CoronaVac chegou em sua 8ª remessa, totalizando 172.208 doses. Dessas, foi reservada a quantidade exata para a aplicação da 2ª dose. Até o momento, 86.104 pessoas foram vacinadas. Rondônia também já recebeu outras remessas de vacinas, como a da AstraZeneca, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), totalizando em 18 mil doses aplicadas, com intervalo de até 90 dias para a segunda aplicação. Durante o período de janeiro a março deste ano, Rondônia recebeu do Governo Federal 11 remessas de vacinas, que foram distribuídas aos 52 municípios.

De acordo com a diretora-geral da Agevisa, Ana Flora Camargo Gerhardt, a importância da campanha, por meio da imunização, contra a Covid-19 no Estado é prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos e suas consequências sobre os serviços de saúde, além de minimizar a carga da doença reduzindo os sintomas.

“Ao receber os imunizantes, as equipes das Regionais distribuem aos municípios, já encaminhados de forma separada a quantidade de vacinas, conforme direcionamento do Ministério da Saúde, que deixa determinado o público-alvo, com base no banco de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para ver a população desses grupos prioritários. Também encaminhamos para Nova Mamoré e Guajará-Mirim, embora não sejam Regionais, fazemos essa distribuição para otimizar o atendimento à população”, detalhou Ana Flora.

TRANSPARÊNCIA

O Governo de Rondônia, por intermédio da Agevisa, busca primar de todas as formas pela transparência desde o início dos trabalhos de enfrentamento à Covid-19 e isso inclui os registros da população já vacinada, disponíveis no Painel Covid da Saúde. Por isso, conta com o compromisso crucial dos municípios quanto à inserção dos registros das pessoas vacinadas no sistema do Programa Nacional de Imunização, por meio Painel Covid e Sistema Localiza SUS.

Esse processo acontece, por meio de uma ficha de digitação que é inserida no sistema, que possibilita mensurar a quantidade de doses aplicadas no Estado. Por esse motivo, a diretora-geral da Agevisa faz um apelo aos municípios para que estejam atualizando, de forma célere, os registros dessas aplicações.

“A base do monitoramento feito pelo Ministério da Saúde está nos registros lançados no sistema pelas Secretarias Municipais de Saúde. Por isso, solicitamos aos prefeitos e secretários que intensifiquem a alimentação do sistema e fortaleçam as salas de vacina, para que tenhamos uma real análise de dados e que se atentem aos lotes de doses e aos tipos de vacinas na hora do preenchimento do cartão. Que os servidores sejam bem cuidadosos nas informações a serem inseridas no cartão” alertou a diretora.

DESTAQUE NACIONAL

Desde o início do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Rondônia, o Governo do Estado tem realizado o trabalho de distribuição das vacinas aos 52 municípios, em tempo hábil. O processo inicia na Rede de Frio Estadual, que fica em Porto Velho, sendo responsável pelo recebimento, armazenamento e distribuição das vacinas contra a Covid-19 às Regionais de Rede de Frio.

Um trabalho de muita responsabilidade que requer total atenção por parte da equipe do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), que envolve Ministério da Saúde (MS) em Rondônia, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Federal (PF) e, no Estado, a Polícia Militar (PM), Agevisa e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), para que os imunizantes cheguem com segurança às prefeituras, que são responsáveis pela vacinação dos grupos prioritários.

A Rede de Frio Estadual possui estrutura com capacidade para conservar os imunobiológicos, desde o laboratório produtor até aos 52 municípios. Rondônia garantiu a posição de destaque ao possuir uma das melhores redes de frio do país, encontrando-se em conformidade com as exigências dos manuais e notas técnicas do PNI. Com a proposta de receber uma quantidade maior de vacinas contra a Covid-10, a Rede de Frio Estadual foi ampliada, passando de três para quatro câmaras frias.

Para equipar a Rede de Frio, com intuito de elevar a sua capacidade de armazenamento, a Agevisa não mediu esforços para a aquisição de aparelhos de ar condicionado, câmaras para conservação de imunobiológicos, motor geradores de energia, seringas, insumos e construção de câmara fria. A Rede não foi equipada somente para a vacina contra Covid-19, mas para atender todo o Programa Nacional de Imunização das vacinas de rotina.

Todos os imunobiológicos requerem monitoramento 24 horas, para que seja mantida a segurança, qualidade e eficácia. Isso porque, as vacinas são sensíveis à luz, ao calor e ao frio extremo. Portanto, devem ser armazenadas, transportadas, organizadas, monitoradas, distribuídas e administradas adequadamente por técnicos capacitados.

CENTRAIS DE REDES DE FRIO 

O Estado possui seis polos que fazem a distribuição de vacinas e seringas para os 52 municípios.

Unidade 01: Central Regional de Rede de Frio de Porto Velho
Municípios de Abrangência: Porto Velho, Candeias do Jamari, Itapuã D’Oeste, Guajará-Mirim e Nova Mamoré.

Unidade 02: Central Regional de Rede de Frio de Ariquemes
Municípios de Abrangência: Ariquemes, Cujubim, Rio Crespo, Alto Paraíso, Cacaulândia, Machadinho D’Oeste, Monte Negro, Campo Novo de Rondônia e Buritis.

Unidade 03: Central Regional de Rede de Frio de Ji-Paraná
Municípios de Abrangência: Ji- Paraná, Jaru, Ouro Preto D’Oeste, Presidente Médici, Theobroma, Vale do Anari, Governador Jorge Teixeira, Vale do Paraíso, Teixeirópolis, Urupá, Mirante da Serra, Nova União, Alvorada D’Oeste, São Francisco do Guaporé e Costa Marques.

Unidade 04: Central Regional de Rede de Frio de Rolim de Moura
Municípios de Abrangência: Rolim de Moura, Alta Floresta, Alto Alegre dos Parecis, Castanheiras, Novo Horizonte, Nova Brasilândia D’Oeste, Santa Luzia D’Oeste, Seringueiras, Parecis e São Miguel do Guaporé.

Unidade 05: Central Regional de Rede de Frio de Cacoal
Municípios de Abrangência: Cacoal, Ministro Andreazza, Pimenta Bueno, Primavera de Rondônia, São Felipe do Oeste e Espigão d’Oeste.

Unidade 06: Central Regional de Rede de Frio de Vilhena
Municípios de Abrangência: Vilhena, Chupinguaia, Colorado D’Oeste, Cabixi, Cerejeiras, Pimenteiras do Oeste e Corumbiara.

MEDIDAS PREVENTIVAS 

É importante frisar que, as pessoas já vacinas devem continuar mantendo as medidas de proteção, como uso de máscara facial, lavar as mãos, manter o distanciamento social, fazer uso do álcool em gel e evitar aglomeração.

“A vacina contribui para a redução dos agravantes decorrentes da doença. Por isso é necessário manter essas medidas de prevenção. Se a pessoa já foi contemplada com a vacina é preciso pensar nas demais que ainda estão expostas ao risco. Sabemos que por mais que haja um grande esforço por parte do Ministério da Saúde, ainda há muitas pessoas a serem vacinadas. Portanto, se faz necessário manter todos os cuidados possíveis”, concluiu a diretora-geral da Agevisa.

AVANÇO NA VACINAÇÃO

Com intuito de dar mais celeridade no processo de imunização da população, o chefe do Poder Executivo Estadual, coronel Marcos Rocha, participou recentemente de reuniões em Brasília (DF) em que assinou, em formato eletrônico, a aquisição de mais de 1 milhão de doses da vacina Sputnik V com a farmacêutica russa Gamaleya. A compra orçada em montante superior a R$ 55 milhões vai possibilitar a vacinação de 500 mil rondonienses em curto espaço de tempo. A eficácia da vacina contra a Covid-19 é superior a 90% e este foi o principal ponto de escolha do imunizante.

A assinatura para a compra foi firmada por intermédio do Consórcio de governadores e utiliza recursos próprios do Estado. A expectativa do Governo é que sejam vacinados os maiores de 18 anos ainda no primeiro semestre de 2021. Na proposta à farmacêutica, o prazo de chegada das vacinas é na segunda quinzena de abril. O intervalo entre as doses preconizado é em torno de 21 dias. Essa é mais uma estratégia assertiva por parte do Governo de Rondônia, visando preservar a vida dos rondonienses.

Fonte: 010 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias