Sabado, 27 de Fevereiro de 2021 - 12:47 (Colaboradores)

L
LIVRE

Sem uma fiscalização firme, 24 horas por dia, nenhum decreto vai surtir o efeito esperado pelo governo

Os 2.817 mortos até ontem em Rondônia já dizimaria a população inteira de Primavera de Rondônia, por exemplo, com um total de 2.776 habitantes segundo a última estimativa divulgada pelo IBGE em agosto de 2020.


Imprimir página

Na madrugada deste sábado, com uma aparência mais serena e aparentemente mais tranquila que a do secretário Fernando Máximo na madrugada passada quando em tom dramático, anunciou o caos total na saúde de Rondônia, o Governador Marcos Rocha praticamente ratificou palavra por palavra o discurso de seu secretário, e anunciou a prorrogação do decreto de distanciamento em vigor, e observando que todos os municípios do estado estão na fase 1.

Antes desse anuncio, porém, o clima nos bastidores era de DECRETAÇÃO DE LOCKDOWN e com anuncio de uma severa fiscalização “aos desobedientes”, só que nesse intervalo de tempo entre anuncio, decretação e publicação de portaria, aconteceu uma declaração em rede nacional do Presidente Jair Bolsonaro: “O governador que adotar medidas de restrição por conta da crise sanitária deverá bancar novas rodadas do auxílio emergencial!,” e o presidente disse mais...

"A pandemia nos atrapalhou bastante, mas nós venceremos este mal, pode ter certeza". "O que o povo mais pede e eu tenho visto, em especial no Ceará, é (para) trabalhar. Essa politicalha do 'fica em casa, a economia a gente vê depois' não deu certo e não vai dar certo", acrescentou o presidente.

Apoiador ferrenho da política de Bolsonaro, e mesmo sabendo que ele não pode cumprir essa ameaça porque fere o princípio da isonomia, o governador, se realmente pensava em decretação de Lockdown, recuou, e eu até concordo com ele, e a prorrogação do decreto já em vigor, tranquiliza comerciantes, “teimosos, desobedientes e negacionistas”, porque sabem que não existe fiscalização eficiente e nem punição severa a quem for pego em desacordo com as normas vigentes.

A fala do presidente que fez Marcos Rocha recuar, ocorre no momento em que governantes locais estudam e adotam medidas de fechamento para combater a disseminação do vírus, que matou mais de 251 mil brasileiros desde o início da pandemia, quase 3 mil desses brasileiros são rondonienses.

 

Os 2.817 mortos até ontem em Rondônia já dizimaria a população inteira de Primavera de Rondônia, por exemplo, com um total de 2.776 habitantes segundo a última estimativa divulgadaaa pelo IBGE em agosto de 2020. 

Fonte: News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias