Domingo, 29 de Novembro de 2020 - 09:41 (Polícia)

10
Não recomendado para menores de 10 anos

Modelo é vítima de feminicídio ao chegar no trabalho em Santa Catarina

Modelo descrita como "doce" e "encantadora" é assassinada pelo ex-companheiro quando chegava para trabalhar. O homem não aceitava o fim do relacionamento.


Imprimir página

Daiana dos Santos da Silva, de 27 anos, é mais uma vítima de feminicídio no Brasil. A modelo foi morta a facadas na manhã desta quinta-feira (26) em Blumenau (SC) quando chegava a um salão de beleza, local onde também trabalhava.

O autor do feminicídio é o ex-companheiro Neylor Eduardo de Siqueira Dias, de 33 anos. Ele foi preso pela Polícia Militar minutos após o crime. Segundo testemunhas, o homem não aceitava o fim do relacionamento.

O assassinato aconteceu no estacionamento do salão de beleza. Daiana chegou ao local de motocicleta para trabalhar por volta das 9h, quando foi abordada por Eduardo. O homem fugiu sujo de sangue após o ataque.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou diversas marcas de perfuração no pescoço e no tórax. O Samu também foi acionado, mas não conseguiu conter a hemorragia e a modelo morreu no local.

“Antes ela [Daiana] trabalhava em uma ótica, mas era um sonho dela trabalhar com cabelos crespos, com cachos. Ela era doce, encantadora, maravilhosa, vai fazer muita falta, todas nós adorávamos ela”, lamenta Margarete Martins, proprietária do salão que presenciou tudo.

“Eu fui fechar a janela e vi os dois. Primeiro pensei que eles estavam juntos, quando vi que ela tentava se desvencilhar dele. E aí eu vi a faca, e comecei a gritar, chamar por socorro, mas foi tudo muito rápido. Ele foi direto na jugular, sabia o que queria. A gente via a fúria do rapaz esfaqueando sem dó, completamente sem controle”, continuou a empresária.

De acordo com a Polícia, Eduardo Siqueira não ofereceu resistência no momento da prisão. “Ele foi abordado em sua residência, ao ver a guarnição policial, já veio ao encontro”, informou o tenente Gassenferth.

Além do trabalho como cabelereira especialista em cabelos cacheados e crespos, Daiana era modelo fotográfica. Nas redes sociais, ela havia publicado fotos de um book fotográfico no mesmo local onde morreu, vestida de noiva.

Eduardo, por sua vez, não teve a profissão divulgada. Na internet, o homem acumulava postagens sobre política e aparece com filtros de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Ele também repercute falas de bolsonaristas como Ricardo Salles, Bia Kicis e Sikêra Jr.

A página do Instagram de Daiana tem recebido publicações após sua morte. “Daiana, não nos conhecemos, mas nossas histórias se cruzam. Como mulher que perdeu uma amiga da mesma forma e como mulher que já foi vítima de agressão. Que tu possas estar em paz onde quer que estejas, que teu espírito possa compreender e aceitar este destino cruel e que tenhas força para superar na tua alma, este crime horrendo do qual vc foi vítima. Estarás em minhas orações, RIP”, escreveu uma internauta.

(imagens de Eduardo Siqueira)

Fonte: https://www.pragmatismopolitico.com.br/

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias